PUBLICIDADE
Esportes

Com dois centroavantes no mata-mata, Carille não deve usar nenhum

O Corinthians iniciou 2018 em busca de um novo centroavante para o lugar de Jô, negociado com o Nagoya Grampus-JAP em transferência polêmica, mas teve de se resolver sem um nome que fizesse jus ao legado deixado pelo antigo camisa 7. Com dois camisas 9 à disposição a partir deste domingo, contra o Bragantino, no [?]

08:30 | 17/03/2018

O Corinthians iniciou 2018 em busca de um novo centroavante para o lugar de Jô, negociado com o Nagoya Grampus-JAP em transferência polêmica, mas teve de se resolver sem um nome que fizesse jus ao legado deixado pelo antigo camisa 7. Com dois camisas 9 à disposição a partir deste domingo, contra o Bragantino, no estádio do Pacaembu, o técnico Fábio Carille vai manter a equipe em um esquema sem referência ofensiva.

Sem Matheus Matias para a primeira fase do Paulista, o treinador testou Kazim nas primeiras rodadas, mas abandonou as tentativas com o passar do tempo. Na Copa Libertadores da América, já com Matheus inscrito, Carille teve de tirar o turco da lista já que ele precisaria cumprir uma pena de cinco jogos de suspensão, perdendo praticamente toda a fase de grupos. Dessa forma, o mata-mata do Paulista é a primeira ocasião em que ambos estão liberados para atuar.

O ?problema? para a dupla é que, desde que resolveu abrir mão de um jogador mais adiantado, outrora representado por Kazim e depois por Júnior Dutra, Carille viu sua equipe subi de produção. Testada no Derby, a formação rendeu quatro vitórias e dois empates em seis jogos disputados, além de boas exibições no próprio clássico frente ao Palmeiras e no seguinte, frente ao Santos.

?É uma forma nova que o Carille achou para usar. Deu certo em alguns jogos, tem dado ainda. O time fica mais com a bola, trabalha mais, só que não tem uma referencia, Ano passado tinha o Jô, então acho que é uma questão de adaptação. O Fábio vem testando, como testou eu e o Rodriguinho no meio. Espero que continue dando certo?, comentou o meia Jadson, escolhido para formar uma dupla de armadores com Rodriguinho, auxiliados pelos pontas Romero e Clayson.

Utilizado pelo treinador na partida contra o Botafogo-SP, no final de semana passado, após um hiato de sete partidas, Kazim é quem tem alguma chance de ao menos entrar diante do Bragantino. Mesmo que Jadson não reúna condição de atuar pelas dores na coxa direita, a opção inicial tem sido Emerson Sheik, titular nas duas últimas partidas. Matheus, a princípio, deve esperar mais.

?O Mateus é um menino muito bom, que faz o trabalho dele, temos dado confiança para ele, tem potencial, acho que será importante para o time. Tem que amadurecer um pouco mais, ter mais bagagem, mas tem qualidade e vai nos ajudar?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS