PUBLICIDADE
Corinthians SC

Carille fica orgulhoso com atuação de Mantuan: “Parece que é titular”

O lateral direito Mantuan chamou a atenção do técnico Fábio Carille em sua primeira partida como titular do Corinthians. O garoto de 20 anos, proveniente das categorias de base, substituiu o suspenso Fagner neste domingo, em Ribeirão Preto, e teve uma atuação segura na vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo-SP. “O que me […]

20:45 | 11/03/2018

O lateral direito Mantuan chamou a atenção do técnico Fábio Carille em sua primeira partida como titular do Corinthians. O garoto de 20 anos, proveniente das categorias de base, substituiu o suspenso Fagner neste domingo, em Ribeirão Preto, e teve uma atuação segura na vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo-SP.

“O que me deixou feliz e muito orgulhoso foi a estreia do Mantuan, um menino que acompanhamos há muito tempo, que sofreu com lesões e cirurgia no ano passado. Ele fez um jogo tranquilo. Parece que é titular, que já fez vários jogos. Foi bem maduro, marcando e saindo para o jogo”, elogiou Carille, espontaneamente.

A partida deste fim de semana foi apenas a terceira de Mantuan como profissional. Meio-campista de origem, o polivalente jogador que venceu a concorrência do também prata da casa Léo Príncipe já havia participado de partes da vitória por 1 a 0 sobre o Sport, na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2017, e da derrota por 4 a 2 para o Rangers, da Escócia, na pré-temporada em Orlando, nos Estados Unidos.

Contra o Botafogo-SP, Mantuan foi apenas um dos vários reservas utilizados por Fábio Carille. O técnico ainda recorreu ao atacante Lucca como substituto do também suspenso Clayson e escalou o zagueiro Pedro Henrique, o meia Mateus Vital e o atacante Emerson Sheik nas vagas dos poupados Balbuena, Jadson e Rodriguinho.

Para Carille, a dificuldade de entrosamento foi minimizada pelos treinamentos – ele gosta de enfatizar que, no dia a dia, dá tanta atenção aos reservas quanto aos titulares. Contra o forte calor de Ribeirão Preto, no entanto, não houve o que fazer a não ser cadenciar a partida.

“O primeiro tempo foi de intensidade muito baixa por conta disso. Já tinha percebido que seria assim no aquecimento. No segundo, a temperatura diminuiu e o jogo ficou mais intenso”, analisou Carille, que comemorou os dois gols do Corinthians na etapa complementar, um do zagueiro Henrique e outro do volante Gabriel.

Gazeta Esportiva