PUBLICIDADE
Esportes

Carille agradece segundo gol e vê Corinthians ?muito abaixo do que pode?

O técnico Fábio Carille não gostou nem um pouco da atuação dos seus comandados na tarde deste domingo, no estádio do Pacaembu. Derrotado por 3 a 2 pelo Bragantino, o comandante viu o time muito aquém daquilo que poderia produzir. Incomodado com algumas perguntas feitas sobre o desempenho do Alvinegro, ele reconheceu que o segundo [?]

20:15 | 18/03/2018

O técnico Fábio Carille não gostou nem um pouco da atuação dos seus comandados na tarde deste domingo, no estádio do Pacaembu. Derrotado por 3 a 2 pelo Bragantino, o comandante viu o time muito aquém daquilo que poderia produzir. Incomodado com algumas perguntas feitas sobre o desempenho do Alvinegro, ele reconheceu que o segundo gol, marcado por Pedrinho, já no final da partida, será muito valioso no duelo da volta, quinta-feira, em Itaquera.

?Sim, esse segundo gol aí faz a gente ter 90 minutos para jogar em casa para construir uma vitória. Vamos primeiro buscar um gol, depois o segundo. Mas é claro que esse segundo gol ajuda bastante?, comentou o treinador, sem ver tantos méritos do Braga por ter surpreendido o Timão no triunfo conquistado.

?Quando você toma dois gols de bola parada não é surpresa. Talvez a estratégia deles era tentar surpreender, vi meu time um pouco abaixo, todo mundo tem a consciência de fazer. O segundo gol eu coloco como mérito, 1 contra 1 e chute cruzado?, avaliou, bastante crítico à entrega da equipe em campo.

?Fizemos um jogo muito abaixo do nosso normal, não gostei da intensidade, errando muitos passes, dois gols de bola parada, não é algo tático. Faltou concentração apesar de ser um ponto forte do adversário. Adversário fez 12 gols no campeonato, 7 de bola parada. Nós sabíamos disso. Vitória por um gol de vantagem leva para o pênalti, dois ou mais a gente consegue a classificação. Vamos trabalhar?, continuou.

Para ele, os Corinthians não fez o que fora treinado com a formação utilizando Emerson Sheik mais à frente. Apontando defeitos até na primeira etapa, quando o Timão foi superior ao adversário, ele criticou as opções dos jogadores na criação e os espaços causados pelos erros.

?O que faz acontecer isso, de dar espaço na defesa para o contra-ataque, são os erros de passe. Eles estavam muito fechados, jogamos por dentro sendo que o jogo era por fora. Jogando bola no Rodriguinho e no Emerson no meio dos zagueiros. Uma coisa desencadeou a outra?, relatou, antes de dar sua avaliação final.

?Sim, nós fomos abaixo. Primeiro tempo até criamos chances, mas faltava uma faísca. No segundo, nós nos desesperamos um pouco, buscando o domínio, mas não conseguimos. Só que isso de colocar mais no coração é uma coisa do Corinthians também, de buscar na empolgação?, concluiu.

Com o resultado, a equipe tem que obrigatoriamente vencer no jogo da volta por dois gols de diferença para avançar à semifinal do Campeonato Paulista. Triunfo simples levará a decisão para os pênaltis. Os comandados de Fábio Carille e os de Marcelo Veiga fazem o segundo duelo na quinta-feira, às 16h (de Brasília), no estádio de Itaquera, fechando a fase de quartas de final da competição.

Gazeta Esportiva

TAGS
Carille agradece segundo gol e vê Corinthians ?muito abaixo do que pode?Sport Club Corinthians Paulista | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes

Carille agradece segundo gol e vê Corinthians ?muito abaixo do que pode?

O técnico Fábio Carille não gostou nem um pouco da atuação dos seus comandados na tarde deste domingo, no estádio do Pacaembu. Derrotado por 3 a 2 pelo Bragantino, o comandante viu o time muito aquém daquilo que poderia produzir. Incomodado com algumas perguntas feitas sobre o desempenho do Alvinegro, ele reconheceu que o segundo [?]

20:15 | 18/03/2018

O técnico Fábio Carille não gostou nem um pouco da atuação dos seus comandados na tarde deste domingo, no estádio do Pacaembu. Derrotado por 3 a 2 pelo Bragantino, o comandante viu o time muito aquém daquilo que poderia produzir. Incomodado com algumas perguntas feitas sobre o desempenho do Alvinegro, ele reconheceu que o segundo gol, marcado por Pedrinho, já no final da partida, será muito valioso no duelo da volta, quinta-feira, em Itaquera.

?Sim, esse segundo gol aí faz a gente ter 90 minutos para jogar em casa para construir uma vitória. Vamos primeiro buscar um gol, depois o segundo. Mas é claro que esse segundo gol ajuda bastante?, comentou o treinador, sem ver tantos méritos do Braga por ter surpreendido o Timão no triunfo conquistado.

?Quando você toma dois gols de bola parada não é surpresa. Talvez a estratégia deles era tentar surpreender, vi meu time um pouco abaixo, todo mundo tem a consciência de fazer. O segundo gol eu coloco como mérito, 1 contra 1 e chute cruzado?, avaliou, bastante crítico à entrega da equipe em campo.

?Fizemos um jogo muito abaixo do nosso normal, não gostei da intensidade, errando muitos passes, dois gols de bola parada, não é algo tático. Faltou concentração apesar de ser um ponto forte do adversário. Adversário fez 12 gols no campeonato, 7 de bola parada. Nós sabíamos disso. Vitória por um gol de vantagem leva para o pênalti, dois ou mais a gente consegue a classificação. Vamos trabalhar?, continuou.

Para ele, os Corinthians não fez o que fora treinado com a formação utilizando Emerson Sheik mais à frente. Apontando defeitos até na primeira etapa, quando o Timão foi superior ao adversário, ele criticou as opções dos jogadores na criação e os espaços causados pelos erros.

?O que faz acontecer isso, de dar espaço na defesa para o contra-ataque, são os erros de passe. Eles estavam muito fechados, jogamos por dentro sendo que o jogo era por fora. Jogando bola no Rodriguinho e no Emerson no meio dos zagueiros. Uma coisa desencadeou a outra?, relatou, antes de dar sua avaliação final.

?Sim, nós fomos abaixo. Primeiro tempo até criamos chances, mas faltava uma faísca. No segundo, nós nos desesperamos um pouco, buscando o domínio, mas não conseguimos. Só que isso de colocar mais no coração é uma coisa do Corinthians também, de buscar na empolgação?, concluiu.

Com o resultado, a equipe tem que obrigatoriamente vencer no jogo da volta por dois gols de diferença para avançar à semifinal do Campeonato Paulista. Triunfo simples levará a decisão para os pênaltis. Os comandados de Fábio Carille e os de Marcelo Veiga fazem o segundo duelo na quinta-feira, às 16h (de Brasília), no estádio de Itaquera, fechando a fase de quartas de final da competição.

Gazeta Esportiva

TAGS