PUBLICIDADE
Esportes

Dyego Coelho vê Timão mais lutador do que técnico para a Copinha

O Corinthians estreará na Copa São Paulo de Futebol Júnior, no próximo dia 4 de janeiro, contra o Corumbaense, do Mato Grosso do Sul, cercado de expectativas. Vindo de quatro finais consecutivas e atual campeão do torneio, a equipe alvinegra terá de saber lidar com a pressão por bons resultados e dar continuidade ao período [?]

16:45 | 19/12/2017

O Corinthians estreará na Copa São Paulo de Futebol Júnior, no próximo dia 4 de janeiro, contra o Corumbaense, do Mato Grosso do Sul, cercado de expectativas. Vindo de quatro finais consecutivas e atual campeão do torneio, a equipe alvinegra terá de saber lidar com a pressão por bons resultados e dar continuidade ao período glorioso das categorias de base que o clube vem vivendo nesta década. Ainda assim, para o treinador Dyego Coelho, ex-lateral direito e campeão brasileiro com o Timão em 2005, o time que entrará em campo em 2018 deverá se destacar mais pela raça e vontade do que pela técnica, marca dos jogadores Sub-20 dos últimos anos.

?Sem dúvida alguma nos outros anos tínhamos uma equipe com jogadores, individualmente falando, mais vividos dentro do Corinthians. A gente sabe que aqui dentro não importa muito a técnica às vezes. O que eu posso assegurar é que os torcedores vão ver um time que vai lutar bastante, independente de quanto estiver o jogo. É um time que vai se entregar. Tenho meninos que estão desde os dez anos de idade aqui dentro, que quando perdem, parece que perderam um familiar. Temos alguns jogadores técnicos, mas é um time que coletivamente vai lutar mais do que os outros?, disse Dyego Coelho nesta terça-feira, após treino realizado no Parque São Jorge.

Nas últimas temporadas alguns talentos da base conseguiram ascender ao time profissional e mostrar aos jovens das categorias abaixo que é possível se firmar como atleta do Corinthians. O maior exemplo é Guilherme Arana, campeão paulista e brasileiro em 2017 e xodó da Fiel ao longo das campanhas guiadas por Fábio Carille. Claramente, o bom trabalho coletivo e o entrosamento são atalhos para que alguns jogadores possam se destacar. Justamente por isso, a cautela de Dyego Coelhe neste período preparatório é maior.

Somente neste ano, oito atletas chegaram ao Corinthians para a equipe Sub-20, muitos deles de equipes menores e acostumados com um outro tipo de estrutura. Diante da situação, o técnico alvinegro ainda tenta encontrar o encaixe perfeito. Prova disso foi a campanha do Timão na Copa RS, em que se despediu ainda na primeira fase após não conseguir vitórias contra os quatro adversários do Grupo B. Foram duas derrotas, para o Atlético-MG e Bahia, além dos empates contra o Toluca, do México, e Botafogo.

?O trabalho que nós temos aqui realmente é muito grande, tem muita modificação. São jogadores chegando, neste ano foram só oito, que ainda não estão adaptados. Então, estamos pulando algumas etapas. O que eu peço para aqueles que estão aqui desde os dez anos é que deem força para os que estão chegando, porque não é fácil você chegar de um clube menor e ter que se adaptar em poucos meses ao Corinthians. Eles precisam ter essa tranquilidade. A gente quer chegar em uma final, mas o ano que nós passamos foi difícil?, completou o ex-lateral.

Maior campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior, com dez títulos, o Corinthians tentará erguer o quarto troféu da competição somente nesta década. Com sede em Araraquara, o Timãozinho terá pela frente, além do Corumbaense na estreia, o Pinheiro do Maranhão, no dia sete de janeiro, às 16h (de Brasília), e encerra a fase de grupos contra a Ferroviária, no dia dez, às 19h30.

Gazeta Esportiva

TAGS