PUBLICIDADE
Esportes

Carille culpa desatenção e ?recoloca? Palmeiras na briga

O técnico Fábio Carille culpou a desatenção dos seus jogadores pela derrota para o Botafogo por 2 a 1 na noite desta segunda-feira, no Engenhão, em partida válida pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para o treinador, o time não poderia ter tomado dois gols em lances de escanteio como aconteceu diante dos cariocas, justamente [?]

22:15 | 23/10/2017

O técnico Fábio Carille culpou a desatenção dos seus jogadores pela derrota para o Botafogo por 2 a 1 na noite desta segunda-feira, no Engenhão, em partida válida pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para o treinador, o time não poderia ter tomado dois gols em lances de escanteio como aconteceu diante dos cariocas, justamente uma das jogadas mais trabalhadas durante a semana.

?Se a gente quiser algo no campeonato, temos que ter mais atenção para que esses resultados não aconteçam mais uma vez por desatenção?, avaliou o comandante, que não se mostrou preocupado com a aproximação dos rivais Palmeiras e Santos, agora seis pontos atrás do clube, mas fez questão de ?recolocar? os alviverdes na briga pelo título do torneio.

?Estão chegando, mas não é a primeira vez que fica a seis pontos?, avaliou Carille, que lembrou da diminuição da margem na 15ª rodada. Para ele, porém, as três vitórias do arquirrival foram o bastante para recolocar o clube do Palestra Itália. Há duas semanas, em entrevista à TV Bandeirantes, ele citou apenas Santos e Grêmio, hoje quarto colocado, com 50 pontos, como rivais na disputa.

?Eu falei que as duas equipes que estavam brigando pelo título eram Grêmio e Santos e que estava mais difícil para o Palmeiras. Mas estão todos na briga, sim, os três paulistas e o Grêmio. Os outros, um pouco mais difícil?, reavaliou o técnico corintiano, explicando por que preferiu colocar Romero no banco e apostar na entrada de Marquinhos Gabriel como titular.

?A opção de começar com o Marquinhos foi para ter um cara mais agudo, que fosse para o fundo. Achei que poderíamos ter sido mais agressivos no primeiro tempo, por isso coloquei o Romero?, disse ele, que recolocou o paraguaio em campo na etapa final com a produção ruim de Jadson.

?A ideia era essa, de fazer dois jogadores com mais velocidade, procurando mais o fundo. Acabou não funcionando, até porque a equipe adversária ficou na frente do placar e, partir dali, se fechou lá atrás para conseguir o resultado?, concluiu.

 

 

Gazeta Esportiva

TAGS