PUBLICIDADE
Cearenses
NOTÍCIA

Ferroviário vence novamente Caucaia e garante vaga na final da Fares Lopes

Ferrão derrotou Raposa por 3 a 1, após vencer o primeiro jogo por 3 a 0. Agora, aguarda o segundo jogo entre Floresta e Icasa

Lucas Barbosa
17:24 | 07/02/2021
Segundo jogo da semifinal da Taça Fares Lopes entre Ferroviário e Caucaia foi disputado neste domingo, 7 (Foto: Divulgação/Ferroviário Atlético Clube)
Segundo jogo da semifinal da Taça Fares Lopes entre Ferroviário e Caucaia foi disputado neste domingo, 7 (Foto: Divulgação/Ferroviário Atlético Clube)

Depois de vencer o primeiro jogo da semifinal por 3 a 0, o Ferroviário venceu por 3 a 1 o Caucaia na tarde deste domingo, 7, no estádio Elzir Cabral, e garantiu a vaga na final da Taça Fares Lopes 2020. Os gols do Ferroviário foram marcados por Adilson Bahia, aos 41 do primeiro tempo, Luiz Henrique, aos 45 do segundo tempo, e Wesley Dias, aos 50 do segundo tempo. Ciel, aos 32 do primeiro tempo, fez o gol do Caucaia.

O Ferroviário agora espera o segundo jogo entre Floresta e Icasa, a ser realizado na quarta-feira, 10, no estádio Inaldão, em Barbalha. O Icasa também ficou próximo da vaga no primeiro jogo ao vencer por 3 a 0.

O Jogo
O Caucaia tentou partir para o ataque já desde a saída da bola, quando fez lançamento longo e já conseguiu um escanteio. O Ferroviário, porém, não se deixou dominar. Foi o Tubarão quem teve a primeira boa chance do jogo. Logo no 1º minuto, André Mensalão recebeu, girou e chutou com perigo da entrada da área.

O ímpeto ofensivo do Caucaia não conseguia se converter em finalização. Quando não faltava precisão no último passe, o arremate explodia na defesa do Tubarão. O Ferroviário não tinha tanta posse de bola no campo de ataque, mas conseguia assustar mais. Aos 18, Adilson Bahia desviou falta cobrada por André Mensalão e a bola passou rente à trave direita, apesar da arbitragem assinalar impedimento.

Mesmo assim, o Caucaia conseguiu abrir o marcador. Aos 31, após cruzamento, Magno Alves foi derrubado por Richardson dentro da área. Ciel bateu o pênalti e converteu. O gol, porém, não abalou o Ferroviário nem fez o Caucaia sufocar. Pelo contrário, foi o Ferroviário quem passou a ser mais perigoso no fim da primeira etapa. Aos 40, o Ferroviário voltou a arriscar com chute da intermediária, que obrigou Dionatan a cair para fazer boa defesa. Um minuto depois, o Ferroviário empatava o jogo. Após contra-ataque, Adilson Bahia recebeu de Cesinha e, cara a cara, só tirou do goleiro Dionatan. Os contra-ataques foram, aliás, a grande arma do Ferrão.

No segundo tempo, o Caucaia teve mais sucesso em pressionar. Aos 2 minutos, Ciel teve boa chance, mas tentou limpar em vez de chutar quando recebeu de frente, já dentro da grande área. Aos 6, de novo Ciel bateu escanteio fechado e obrigou Jonathan a se esticar para mandar para fora. Pressão havia, mas faltavam boas chances. Para piorar, o Caucaia ainda precisava se precaver dos contra-ataques do Ferrão. Aos 13, Cesinha bateu de cobertura da entrada da área e levou muito perigo.

Bem postada, a defesa do Ferroviário obrigava a bola alçada na área. Sem precisão, o Caucaia não conseguiu assustar nos cruzamentos. A cada minuto que passava o jogo ficava mais confortável para o Ferroviário. Aos 16, Hugo tentou de longe, mas isolou. Dois minutos depois, Ciel assustou ao cobrar falta fechada, mas Jonathan estava atento e encaixou. Seriam as faltas e os chutes de longe as melhores chances da Raposa dali em diante. Foi assim com Paulista, que arriscou da entrada da área e levou muito perigo. Não era suficiente, porém. Aos 35, Hugo fez boa jogada individual pela direita e cruzou. A bola passou pelo goleiro, mas não encontrou quem finalizasse. Aos 41, Ciel, de novo, bateu falta fechada. A bola desviou e tocou na trave.

Aos 45, Edvan foi expulso pelo segundo cartão amarelo. O Ferroviário aproveitou a superioridade numérica e o abatimento do adversário para dar os golpes de misericórdia. Aos 45, após saída errada do Caucaia, Diego Viana deixou Luiz Henrique de cara para o gol. Ele só deslocou e correu para o abraço. Aos 50, foi a vez do volante Wesley Dias sair de cara para o gol e tocar para fazer o terceiro.