PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Cearense sobrevivente da tragédia no Ninho do Urubu é convocado para a seleção brasileira

Dyogo faz parte da lista de 25 jogadores convocados para um período de treinamentos na Granja Comary, em Teresópolis, no Rio de Janeiro

20:41 | 12/04/2019
Francisco Dyogo está entre os três cearenses sobreviventes ao incêndio no CT do Flamengo. (Foto: Reprodução/Flamengo)
Francisco Dyogo está entre os três cearenses sobreviventes ao incêndio no CT do Flamengo. (Foto: Reprodução/Flamengo)(Foto: (Foto: Reprodução/Flamengo))

Sobrevivente da tragédia no Ninho do Urubu, o goleiro cearense Francisco Dyogo, jogador do Flamengo, foi convocado para defender a seleção brasileiro sub-15. O arqueiro voltou a atuar como titular da equipe carioca nessa quinta-feira, 11, na vitória elástica por 8 a 0 sobre o Barra da Tijuca, e chegou a defender um pênalti.

Dyogo faz parte da lista de 25 jogadores convocados para um período de treinamentos na Granja Comary, em Teresópolis, no Rio de Janeiro. Os treinos serão realizados entre 22 e 28 de abril, visando a preparação para o Sul-Americano da categoria, previsto para o fim de 2019.

Em entrevista ao Esportes O POVO, o pai do garoto, Francisco José, comemorou a convocação do filho. "Você não imagina a grandeza, a felicidade que estou passando por esse momento. Estou muito feliz com tudo isso, com o fruto do trabalho do meu filho, principalmente depois desse momento turbulento ao que ele passou no Ninho do Urubu, na recuperação no hospital. Só agradeço a Deus, as pessoas que fizeram orações para o meu filho se recuperar. Sei que isso aí é fruto de um trabalho que ele faz. É um garoto focado, que quer vencer na vida."

"O Dyogo recebeu essa notícia e ficou muito feliz porque é merecedor disso. Corre atrás dos seus objetivos. Ele sempre fala em chegar na seleção para realizar sonho de se tornar um jogador profissional. Ele está lutando pelo seus ideais e tentando melhorar em relação a parte física, ao seu futebol. Ele tem o intuito de se profissionalizar e ajudar a família da gente", completou.

O Povo