Participamos do

Ceará empata por 1 a 1 com o Sampaio Corrêa pelo Nordestão e segue líder do Grupo B

O gol do Vovô foi marcado por Kelvyn, aos 19 minutos do primeiro tempo, enquanto Eron, aos 24, igualou o placar para a Bolívia Querida
21:48 | Fev. 12, 2022
Autor Mateus Moura
Foto do autor
Mateus Moura Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ceará foi superior e pressionou o Sampaio Corrêa, mas não conseguiu vencer os maranhenses na noite deste sábado, 12. Na Arena Castelão, Vovô e Bolívia Querida empataram por 1 a 1 pela 4ª rodada da Copa do Nordeste. Kelvyn, aos 19 minutos, marcou para o Alvinegro, enquanto Eron igualou o marcador aos 24, ambos no primeiro tempo.

Com o resultado, a equipe comandada pelo treinador Tiago Nunes permanece na liderança isolada do Grupo B, com oito pontos. O Sampaio Corrêa sobe uma posição e passa a integrar o G-4 do Grupo A, com quatro pontos.

Na próxima rodada, o Ceará enfrenta o Sport, na terça-feira, 15, às 21h30min, novamente na Arena Castelão, pela 5ª rodada da Copa do Nordeste.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O jogo

Empurrado pela torcida na arquibancada, o Ceará iniciou o confronto com ritmo acelerado, encurralando o Sampaio Corrêa em seu campo. Com o domínio da posse de bola, o Vovô trocava passes rápidos buscando espaços entre as linhas defensivas da Bolívia Querida, que tinha como principal estratégia explorar os contra-ataques.

Taticamente, o time comandado por Tiago Nunes seguiu com a mesma ideia apresentada nas últimas partidas, de intensidade, triangulações e muita movimentação. Dentro desse modelo de jogo, uma característica que tem ficado cada vez mais evidente nos momentos de construção ofensiva são as constantes trocas de posição entre Vina, Mendoza e Zé Roberto, que alternam entre si funções no ataque.

Superior, o Alvinegro de Porangabuçu abriu o placar aos 19 minutos do primeiro tempo após boa jogada individual de Mendoza. No lance, o colombiano — que tem sido um dos destaques da equipe neste início de temporada — se livrou da marcação, arrancou em velocidade pela esquerda e tocou para Kelvyn, que finalizou e contou com um desvio do defensor adversário para balançar as redes.

A vantagem alvinegra no marcador, porém, durou menos de cinco minutos. Aos 24, a Bolívia Querida aproveitou um cochilo da zaga do Vovô para empatar o jogo com o atacante Eron. Por conseguir igualar o placar de forma rápida, o Sampaio pode seguir com o mesmo planejamento tático do início do confronto, de muita marcação e tentativas de transições, enquanto o Ceará permanecia com a posse de bola, controlando as ações, mas com dificuldade em concluir os lances com qualidade.

Na volta do intervalo, o Alvinegro se tornou ainda mais incisivo na busca pelo segundo gol. Em 20 minutos, a equipe de Tiago Nunes criou três chances claras com Vina, Zé Roberto e Lima, mas a bola não entrou. Para oxigenar o time, o comandante promoveu três importantes mudanças, a de Fernando Sobral, Iury Castilho e Erick, que entraram no lugar de Mendoza, Marlon e Lima, respectivamente. As alterações mantiveram o Vovô com velocidade e intensidade na partida.

Apesar da pressão alvinegra durante os 45 do segundo tempo, o Sampaio suportou o ímpeto do Vovô e quase virou a partida nos minutos finais, mas João Ricardo, que praticamente não foi exigido ao longo de todo confronto, realizou dois milagres para impedir. Houve, ainda, tempo para a Bolívia Querida carimbar o travessão e uma cabeçada de Iury Castilho raspar a trave defendida por Luiz Daniel.

Entre os destaques, Zé Roberto, novamente muito participativo, foi o principal atleta do setor ofensivo da equipe, com diversos passes que geraram chances claras de gol, jogadas individuais e finalizações. Em sua saída de campo para a entrada de Cléber, foi aplaudido de pé pela torcida presente no Castelão.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente