Participamos do

Em confronto direto, Ceará perde por 2 a 1 para o Athletico-PR pela Série A

Alvinegro sai atrás do placar, reage com gol de Rick, mas é derrotado pelo Furacão na Arena da Baixada. Vovô fica na bronca com a arbitragem no lance do segundo gol rubro-negro
20:30 | Nov. 10, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Repórter de Esportes
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em partida que marcou o retorno do técnico Tiago Nunes à Arena da Baixada e o reencontro com a torcida rubro-negra pela primeira vez, o Ceará foi derrotado por 2 a 1 pelo Athletico-PR, na noite desta quarta-feira, 10, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela 31ª rodada da Série A.

Os donos da casa abriram o placar nos minutos finais do primeiro tempo, com o atacante Renato Kayzer, que fez gesto de bigode na comemoração em alusão ao ídolo Sicupira, homenageado no jogo após o falecimento. No início da segunda etapa, Rick igualou para o Alvinegro, mas Pedro Henrique decretou o triunfo rubro-negro.

Com o resultado, o Vovô foi ultrapassado pelo próprio Furacão e caiu para a 11ª posição, com 39 pontos. O próximo compromisso será diante do Sport-PE, domingo, 14, a partir das 19 horas, na Arena Castelão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O jogo

Para o confronto no Sul, o técnico Tiago Nunes precisou mexer na escalação do Ceará em razão dos desfalques de Messias, Luiz Otávio e Jael, todos suspensos. Klaus e Gabriel Lacerda formaram a dupla de zaga titular, enquanto Marlon entrou no meio-campo, deslocando Vina para o ataque ao lado de Rick - o lateral-direito Gabriel Dias também reapareceu após suspensão.

Com a postura mais reativa do Alvinegro, o Athletico-PR teve mais volume de jogo e conseguiu dificultar as ações ofensivas dos visitantes. Logo no primeiro minuto, em contra-ataque, Renato Kayzer recebeu bola na ponta direita da área e bateu cruzado rasteiro para defesa em dois tempos de João Ricardo.

Aos 16, após cobrança de escanteio ensaiada, Terans cruzou da esquerda, Erick recebeu livre no meio da área e emendou de primeira por cima da meta, sem perigo. Dez minutos mais tarde, Nikão bateu escanteio, e Thiago Heleno subiu para cabecear à direita do alvo. Aos 30, Gabriel Dias cortou mal cruzamento na área, Terans pegou o rebote na entrada da área, matou no peito e encheu o pé para intervenção do camisa 1 do Vovô, que espalmou para escanteio.

A chance mais perigosa da equipe de Porangabuçu na etapa inicial foi aos 39 minutos, quando Vina finalizou forte de fora da área, de perna esquerda, e obrigou Santos a trabalhar. O Furacão respondeu minutos depois e mexeu no placar da Arena da Baixada: aos 43, Marcinho deu bom passe em profundidade para Renato Kayzer, que recebeu livre na área, cara a cara com João Ricardo, e bateu rasteiro cruzado para balançar as redes.

Na volta para o segundo tempo, o Ceará mostrou nova postura e não demorou a empatar o confronto: aos seis minutos, após a equipe recuperar a bola na intermediária, Vina recebeu lançamento na entrada da área e serviu Mendoza, que bateu cruzado e viu Santos espalmar. No rebote, livre dentro da área, Rick empurrou para o fundo do gol para deixar tudo igual.

O Athletico-PR reagiu depois de sofrer o tento, voltou a ter maior volume de jogo e conseguiu chegar ao segundo gol: aos 22, Nikão cobrou escanteio da esquerda, Pedro Henrique subiu livre na área, testou firme e viu a bola desviar em Gabriel Lacerda para trair João Ricardo e balançar as redes. Mendoza, do Vovô, reclamou de empurrão do defensor rubro-negro no lance, mas o árbitro Wilton Pereira Sampaio não apontou falta e validou o gol.

Na reta final do duelo, sem conseguir pressionar em busca do empate, o Alvinegro ainda perdeu o volante Fernando Sobral, expulso. Aos 37 minutos, em disputa próxima à área, o camisa 8 atingiu Fernando Canesin com um pisão e recebeu cartão amarelo. O árbitro revisou o lance no monitor do VAR e trocou a advertência por cartão vermelho.

Com um homem a menos, o Ceará ainda viu o Furacão levar perigo na cobrança da falta, em chute forte de Renato Kayzer, que saiu à direita de João Ricardo, e chegou ao ataque três minutos depois, quando Gabriel Dias ficou com rebote na entrada da área e bateu de primeira para defesa de Santos. Sem maiores lances de perigo, o Rubro-Negro assegurou o triunfo e impôs novo resultado aos cearenses como visitante.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags