Participamos do

Ceará perde para Atlético-MG no Mineirão, por 3 a 1, e segue como pior visitante da Série A

Vovô não conseguiu conter a força do líder da Série A e ainda perdeu o técnico Tiago Nunes no primeiro tempo. Árbitro de vídeo interferiu bastante na partida
18:38 | Out. 09, 2021
Autor Brenno Rebouças
Foto do autor
Brenno Rebouças Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Ainda não foi na 25ª rodada que o Ceará venceu a primeira partida fora de casa na Série A de 2021. Na tarde deste sábado, 9, no Mineirão, o Vovô foi derrotado pelo Atlético-MG por 3 a 1.

O Galo chegou a abrir três gols de diferença, mas Gabriel lacerda, que entrou no segundo tempo, diminuiu o placar. O atacante Hulk marcou dois tentos e se isolou na artilharia do Campeonato Brasileiro com dez gols marcados.

A partida foi marcada por muitas interferências do árbitro de vídeo. O técnico do Ceará, Tiago Nunes, foi expulso ainda no primeiro tempo por reclamar de uma não intervenção do árbitro de vídeo no lance do primeiro gol dos mineiros. Ele alegava que houve falta sobre o volante Geovane na origem do lance.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Estagnado com 29 pontos, o Vovô agora viaja para São Paulo onde enfrenta o tricolor paulista na próxima quinta-feira.

O JOGO

Antes da bola rolar, o técnico Tiago Nunes descartou um Ceará todo atrás e jogando apenas no erro do Atlético-MG e nos primeiros minutos de jogo o Vovô tentou equilibrar as coisas, mas conseguiu apenas uma descida com Lima pela esquerda, que cruzou a bola para a área, mas ninguém estava lá para concluir.

Pela qualidade técnica e o estilo agressivo que possui, o Galo foi naturalmente se impondo em campo e passou a pressionar bastante o Ceará. O time mineiro tinha facilidade de penetrar na grande área com Keno pela esquerda, nas costas de Igor, mas também ameaçava pela direita com Hulk e tinha Zaracho flutuando próximo da grande área. A defesa do Vovô, no entanto, conseguiu evitar um espaço mais claro para as conclusões do líder da Série A.

Ao ser pressionado em uma saída de bola aos 16 minutos, Luiz Otávio recuou para Richard e o goleiro foi atacado por Zaracho, mas conseguiu desviar a bola para o lado antes do jogador do Galo chegar, não evitando, porém, o choque entre ambos. O árbitro entendeu como falta e marcou pênalti, mas foi alertado pelo VAR para rever o lance e anulou a penalidade.

Numa das raras escapadas do alvinegro cearense na primeira etapa, Cléber fez boa jogada individual pela esquerda e rolou para Geovane, na entrada da área. O volante tocou de primeira para Vina, que havia penetrado pela direita e o camisa 29 finalizou, mas o goleiro Everson fez boa defesa. Essa foi a primeira finalização no gol da partida.

A chegada poderia ter animado o Vovô, mas logo na sequência o Atlético-MG abriu o placar. Geovane foi desarmado por trás no campo de ataque e os jogadores do Ceará pediram falta, mas o árbitro não marcou. Luiz Otávio recuperou a bola, deu passe na frente, mas na continuação da jogada, Jair interceptou com um lançamento da esquerda para a direita e Hulk disparou antes do meio do campo, ganhou dos zagueiros e bateu forte, de pé direito na saída de Richard, para fazer 1 a 0.

Jogadores e comissão técnica reclamaram que o VAR não interferiu alertando para uma falta sobre Geovane no início da jogada, porém, a pressão acabou resultando na expulsão do técnico Tiago Nunes.
O Vovô não se deixou abater pelo gol sofrido e ainda conseguiu mais duas descidas. Numa, Cléber finalizou da entrada da área e viu Emerson segurar firme. Na outra, Lima ganhou de dois marcadores pela direita e cruzou da linha de fundo. Cléber subiu mais alto, cabeceou e a bola passou rente ao travessão.

Quando parecia que o primeiro tempo tinha acabado, já na casa dos 50 minutos, Zaracho fez cruzamento da direita e Jair, na grande área, de costas para o gol, deu toque para trás e Guga finalizou para fora. Logo após dar o passe para a conclusão, porém, o camisa 8 do Galo foi derrubado por Messias na grande área. O VAR sugeriu revisão e o árbitro de campo marcou a penalidade. Hulk cobrou e ampliou. Ele agora tem dez tentos e é o artilheiro da Série A.

Na segunda etapa a partida ficou mais equilibrada. Isso porque Cuca mudou a postura do Atlético-MG. À frente do placar, o time mineiro já não apresentava o mesmo volume de jogo — apesar de não abdicar de atacar — e resolveu apostar muito nos contra-golpes, ciente que o Ceará sairia pro jogo para correr atrás do prejuízo.

Tiago Nunes voltou com mais um zagueiro e com o jovem Rick, que participou do primeiro bom lance do segundo tempo, escorando para trás uma bola lançada por Sobral que foi arrematada de primeira por Bruno Pacheco. O goleiro adversário defendeu.

Os donos da casa responderam com dois lances seguidos, na mesma casa dos 11 minutos. Primeiro, Jair recebeu bola direto do lateral na grande área e finalizou de primeira, mandando na rede por fora. Na reposição, Dylan, recuperou e saiu cara a cara com Richard, tentando cobertura, mas mandou para fora. O galo ainda teve outra chegada, aos 23, com Zaracho, arriscando da meia-lua, para defesa de Richard.

O Ceará não deixou de tentar construir jogadas de ataque, mas esbarrava na defesa adversária ou mesmo se complicava com passes errados. Após uma cobrança de escanteio, Vina pegou uma sobra e bateu de primeira, obrigando Everson a fazer defesa difícil, mas o lance já havia sido invalidado

Na reta final, o jogo foi diminuindo o ritmo e a cada minuto que passava o Vovô mostrava que já não tinha mais forças para correr atrás. Deu tempo ainda para mais dois tentos. O Galo marcou o terceiro com Diego Costa, que apenas desviou para o gol o cruzamento de Nacho Fernández, após boa jogada individual pela direita. O Ceará diminuiu com Gabriel Lacerda, após cobrança de escanteio, cabeceando para a meta depois que Luiz Otávio arrumou para ele também em cabeçada.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags