PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
Noticia

Jael marca nos acréscimos, e Ceará vence Bahia na primeira final do Nordestão

Com gol de falta do atacante, Vovô vence Esquadrão por 1 a 0 e abre vantagem para confronto no Castelão. Duelo em Pituaçu teve duas expulsões no primeiro tempo

18:03 | 01/05/2021
Atacante Jael comemora gol no jogo Bahia x Ceará, no estádio de Pituaçu, pela final da Copa do Nordeste 2021 (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Atacante Jael comemora gol no jogo Bahia x Ceará, no estádio de Pituaçu, pela final da Copa do Nordeste 2021 (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Em duelo truncado, com direito a duas expulsões no primeiro tempo e emoção no final, o Ceará venceu o Bahia por 1 a 0 neste sábado, 1º, no estádio de Pituaçu, em Salvador, no primeiro jogo da final da Copa do Nordeste. A definição do campeão do torneio regional será em Fortaleza, no próximo fim de semana.

Bastante disputada, a partida teve muita transpiração e pouca inspiração tanto do Vovô quanto do Esquadrão e foi decidida nos acréscimos em gol de falta do atacante Jael. A vontade em excesso culminou em dois cartões vermelhos ainda na etapa inicial, um para cada lado: Luiz Otávio, dos baianos, e Charles, dos cearenses.

As duas equipes se reencontram no próximo sábado, 8, às 16 horas, na Arena Castelão, na grande decisão do Nordestão. Antes disso, o Alvinegro entra em campo diante do Bolívar, da Bolívia, quarta-feira, 5, no estádio Hernando Siles, em La Paz, pela terceira rodada da Copa Sul-Americana.

O time de Porangabuçu também tem compromisso contra o Pacajus, domingo, 2, às 16 horas, no Castelão, pela segunda rodada da segunda fase do Campeonato Cearense, mas utilizará a equipe sub-23 do certame e será comandado pelo auxiliar Daniel Azambuja.

Vermelho para lá e para cá

Em boa fase na temporada, o Ceará tinha apenas uma dúvida para o confronto em Salvador: o substituto do lateral-direito Gabriel Dias, expulso no triunfo sobre o Vitória-BA, na semifinal. O técnico Guto Ferreira preferiu não improvisar e optou por Buiú. O Bahia também foi a campo com a base dos últimos jogos.

A reedição das finais de 2015 e 2020 da Copa do Nordeste teve clima acirrado e foi bastante movimentado, mas sem grandes chances de gol no primeiro tempo. Os times tiveram poucas finalizações - e quase todas sem perigo. Vina, aos sete minutos, e Thaciano, aos 14, foram os primeiros a arriscar.

Os donos da casa tiveram uma baixa logo aos 18 minutos, quando o zagueiro Luiz Otávio foi expulso por entrada dura em Lima. O Alvinegro ganhou mais terreno e tentou encurralar o Esquadrão, que adotou postura mais retraída. Vizeu e Oliveira tentaram em conclusões dentro da área.

A melhor chance da primeira etapa saiu dos pés de Vina. Aos 40 minutos, o camisa 29 cobrou falta cruzada da esquerda direto para o gol e obrigou Matheus Teixeira a fazer boa defesa. A bola ainda tocou o travessão e saiu em escanteio. O time cearense, porém, teve pouco tempo para se empolgar: seis minutos depois, Charles atingiu Nino Paraíba com carrinho e também recebeu cartão vermelho do árbitro piauiense Antônio Dib Moraes de Sousa.

Gol decisivo nos acréscimos

A ausência de um homem de cada lado deixou os dois times mais cautelosos, sem se expor no ataque e com maior atenção à parte defensiva. Tanto Guto Ferreira quanto Dado Cavalcanti lançaram mão de alterações para recuperar fôlego e tentar ganhar volume ofensivo.

Saulo Mineiro e Yony González entraram em campo pelo lado alvinegro na tentativa de dar maior velocidade, enquanto Pedro Naressi foi acionado para reforçar. Jael entrou nos minutos finais e decidiu o confronto em cobrança de falta.

Os goleiros Richard e Matheus Teixeira seguiram com pouco trabalho no segundo tempo. Aos 17 minutos, após cobrança de escanteio de Rodriguinho, Conti subiu e ajeitou de cabeça para Rossi, que bateu de primeira sem direção. O Ceará tentou responder aos 28, quando Bruno Pacheco avançou pela esquerda e cruzou para Vina, mas o meia não conseguiu cabecear.

Na reta final do jogo, o Bahia teve maior volume de jogo e presença no campo de ataque, enquanto o Ceará tentava explorar os contra-ataques. Aos 40, Matheus Galdezani fez jogada individual e chutou para fora. Cinco minutos depois, Nino Paraíba cruzou da direita, a bola foi na direção do gol, Richard espalmou e carimbou a trave.

O único gol do clássico regional ficou guardado para os acréscimos. Ex-tricolor, Jael cobrou falta da entrada da área, a bola desviou em Oscar Ruíz na barreira e entrou no canto esquerdo de Matheus Teixeira, selando o triunfo alvinegro por 1 a 0 fora de casa.