PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Ceará repete placar do primeiro turno e vence Bahia por 2 a 0 na Fonte Nova; veja gols

Foi a quarta vitória consecutiva do Alvinegro sobre o tricolor baiano em 2020 e subiu para sete jogos a sequência de invencibilidade do Vovô neste clássico nordestino.

Brenno Rebouças
21:07 | 05/12/2020
Vina e Saulo Mineiro marcaram os gols do Ceará diante do Bahia (Foto: RUDY TRINDADE/AE)
Vina e Saulo Mineiro marcaram os gols do Ceará diante do Bahia (Foto: RUDY TRINDADE/AE)

O Ceará repetiu o placar do duelo no primeiro turno, 2 a 0, ao bater novamente o Bahia na Série A do Brasileiro, desta vez na Fonte Nova, em Salvador. Os gols do Vovô foram marcados por Vina e Saulo Mineiro. Com o resultado, o Vovô chegou aos 32 pontos e alcançou a nona posição na classificação.

Vina marcou primeiro, aos 36 minutos do segundo tempo. Pedro Naressi pegou uma sobra de bola na intermediária ofensiva e deu passe em profundidade para Vina, que ganhou do zagueiro na corrida e bateu cruzado na saída do goleiro Anderson. O meia agora tem oito gols na Série A e 18 na temporada, sendo artilheiro absoluto do time em 2020.

O segundo gol, marcado por Saulo Mineiro, saiu já na reta final, aos 49. Ele recebeu uma bola de Wescley, ganhou na disputa de ombro com Gregori, na grande área, mas furou na primeira tentativa de finalização, o que acabou confundindo um segundo marcador. Na segunda tentativa ele marcou.

Foi a quarta vitória consecutiva do Alvinegro sobre o tricolor baiano em 2020 e subiu para sete jogos a sequência de invencibilidade do Vovô neste clássico nordestino.

O Ceará agora tem uma semana para descansar e enfrenta mais um adversário direto na próxima rodada, o Atlético-GO. O jogo está marcado para sábado, 12, no Castelão.

O JOGO

Os dois gols saíram na segunda etapa, quando o Ceará assumiu uma postura mais ofensiva, passando a construir jogadas. Nos primeiros 45 minutos, o Vovô havia apostado muito em jogar no erro do adversário e teve uma marcação frouxa, oferecendo espaços ao Bahia no último terço de campo.

Apesar de ficar mais com a bola no primeiro tempo e também finalizar mais, a melhor chance do Esquadrão antes do intervalo foi um chute de Rodriguinho, de fora da área, que o goleiro Ricarhd quase aceitou. Ele evitou que a bola passasse toda da linha, mas se não houvesse o VAR, a equipe de arbitragem do campo teria validado o gol. A tecnologia mudou a decisão.

O arqueiro alvinegro não fez muitas defesas no primeiro tempo, mas a zaga trabalhou bastante, fazendo cortes ou se antecipando em bolas aéreas, evitando a conclusão dos atacantes do Bahia. Na parte ofensiva, o time de Guto Ferreira usou de desarmes e interceptações para retomar a bola já no campo de ataque e chegar rápido na área do adversário.

As duas melhores oportunidades do Ceará nesta etapa foram com Cléber, num chute cruzado de dentro da grande área, e Tiago Pagnussat, em cabeçada após cobrança de falta de Vina.

Noutra bola parada de Vina, logo no início do segundo tempo, o Alvinegro quase abre o placar. Ele mandou no canto superior esquerdo do goleiro Anderson — Douglas sentiu lesão e foi substituído ainda na primeira etapa — que voou para evitar que a bola entrasse. Cinco minutos depois, o meia resolveu arriscar de fora da área e o arqueiro deu rebote. Lima finalizou mal no rebote, mas estava em posição irregular.

Estava dado o recado que a postura seria outra. As linhas de defesa passaram a jogar mais aproximadas e diminuir os espaços para o Bahia. Mano Menezes sentiu a queda de produção e utilizou todas as substituições que podia fazer até os 25 minutos, mas não conseguia retomar o controle da partida.

Guto Ferreira reagiu e lançou Saulo Mineiro e Pedro Naressi. O atacante teve chances de marcar nas duas primeiras bolas que recebeu na grande área. Concluiu uma de cabeça, que passou bem próximo do gol e na outra viu um defensor desviar a trajetória.

Ele, porém, não saiu de campo sem marcar. Já aos 49, ganhou de Gregore na disputa de ombro, invadiu a grande área, furou no primeiro chute, o que acabou confundindo o segundo marcador e não desperdiçou quando finalizou outra vez.

Saulo fechou o placar que Vina abriu aos 36. Em grande fase, o meia alvinegro recebeu um passe rasteiro, em profundidade, de Pedro Narresi, ganhou do zagueiro na corrida e bateu na saída do goleiro. Foi o oitavo gol dele na Série A e o 18º na temporada. Ele é o artilheiro isolado do time no Campeonato Brasileiro e na temporada.