PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
Noticia

Com muitos problemas defensivos, Ceará é derrotado por 4 a 2 pelo Bragantino

Alvinegro caiu para a 10ª posição com o resultado e pode perder mais posições com os jogos de domingo.

Lucas Barbosa
21:04 | 19/09/2020
Ceará foi derrotado por 4 a 2, jogando em Bragança Paulista (SP) contra o Bragantino (Foto: Israel Simonton/CearaSC)
Ceará foi derrotado por 4 a 2, jogando em Bragança Paulista (SP) contra o Bragantino (Foto: Israel Simonton/CearaSC)

Em péssima exibição defensiva, o Ceará foi derrotado por 4 a 2 pelo Bragantino na noite deste sábado, 19, em jogo válido pela 11ª rodada da Série A 2020. Os gols do jogo foram marcados por Léo Ortiz, Alerrandro, Tubarão, Lucas Evangelista (Bragantino), Vina e Wescley (Ceará). 

Com a derrota, o Ceará, momentaneamente, caiu para a 10ª posição, mas pode perder mais posições com o complemento da rodada. O time agora volta a campo na quarta-feira, 23, no jogo de volta da Copa do Brasil diante do Brusque. Pela Série A, o próximo compromisso do Ceará é contra o Goiás, no domingo, 27.

O jogo foi decidido pelos muitos espaços que o Bragantino teve no jogo, sobretudo, em contra-ataques e lançamentos longos. Os problemas defensivos do Ceará se mostraram presentes já aos 3 minutos, quando Ligger escorou cruzamento para Léo Ortiz, livre, tocar para o fundo do gol. Os jogadores do Ceará reclamaram falta de Ligger, mas o VAR não assinalou irregularidade. 

O Bragantino seguiu melhor no jogo. Aos 9 minutos, Artur ficou cara a cara com Prass, mas mandou por cima. Aos 11, Lucas Evangelista invadiu a área, mas chutou fraco. Aos 16, chance ainda mais clara. Alerrando chegou a driblar Prass, após lançamento longo, mas Gabriel Lacerda conseguiu de carrinho tocar na bola. O atacante do Braga chegou a bater caído, mas a bola foi para fora.

Demorou para o Ceará chegar, mas, quando chegou, já empatou. Naquela que foi a primeira finalização alvinegra no jogo, aos 19, Vina aproveitou toque de cabeça para trás de Samuel Xavier e pegou na veia — um golaço. Mesmo apos o gol, o Bragantino chegava com perigo. E já aos 23, Tubarão aproveitou rebote de Prass em chute de Artur Victor e botou de novo o time paulista na frente.

Havia muito espaço nas costas da zaga do Ceará. Aos 26, Alerrandro recebeu lançamento, de novo, ficou no mano a mano e sofreu falta na meia-lua. Claudinho cobrou no canto de Prass, que fez segura defesa. O Ceará responderia aos 30, com bela cobrança de falta de Vina, que Júlio César espalmou.

A partir dali, foi mais comum ver o Ceará no campo ofensivo. Era mais espaço, porém, para as jogadas de transição do Braga. Aos 44, o Bragantino fez o terceiro. Após novo lançamento longo,Bruno Tubarão cruzou da linha de fundo para Alerrando tocar para o fundo do gol. Aos 46, novo lance de risco após saída rápida de bola. Artur tocou com consciência e tirou tinta da trave direita de Prass.

Guto Ferreira demonstrou insatisfação com o time. No intervalo, foram duas substituições: Sobral, que havia sido poupado, entrou no lugar de Lima, enquanto Marthã deu lugar a Willian Oliveira. O Ceará seguiu no campo de ataque e parecia estar mais efetivo. Logo no primeiro minuto, Cléber completou cruzamento e levou perigo ao gol de Júlio César. Aos 5, Leandro Carvalho bateu colocado do bico esquerdo da área e quase diminuiu.

Os persistentes problemas defensivos, porém, minaram a reação. Aos 15, Alerrandro tomou de Luiz Otávio e saiu cara a cara com Prass. Acertou a trave. Aos 17, porém, gol. Lucas Evangelista tabelou com Alerrandro, que, de letra, deixou o camisa 35 cara a cara com Prass. Lucas Evangelista, então, deu uma cavadinha e saiu para comemorar. Quatro minutos mais tarde, mais Bragantino. Da marca do pênalti, Tubarão acertou a trave, após boa jogada coletiva.


O jogo, então, esfriaria. Aos 36, Sobral bateu cruzado e Júlio César conseguiu defender. O Vovô não conseguia pressionar. Aos 43, o time conseguiu evitar, pelo menos, a derrota por goleada. Wescley, que havia entrado no lugar de Vina, recebe de Bruno Pacheco e, já dentro da área, chutou forte, vencendo Júlio César. Prass também evitaria a goleada aos 46, quando defendeu chute de Luis Phelipe já dentro da área. Aos 49, Matheus Jesus ainda chutou perigosamente para fora, após Artur Victor perder o ângulo já de frente para Prass. O placar não se alteraria mesmo e o Ceará teve de amargar a derrota por 4 a 2.