Ajuda negada no Fortaleza e assalto no Bahia: a trajetória de Felipe Jonatan até o CearáCeará Sporting Club | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Ajuda negada no Fortaleza e assalto no Bahia: a trajetória de Felipe Jonatan até o Ceará

Jogador foi destaque no Ceará em 2018, renovou contrato até 2022 e tem multa rescisória de R$ 15 milhões

17:42 | 09/12/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
Antes de brilhar com a camisa do Ceará, o jovem lateral-esquerdo Felipe Jonatan, 20, chegou a defender as cores do Fortaleza nas categorias de base. A passagem dele pelo Tricolor terminou após um diretor do clube negar uma ajuda de custo ao atleta, que ainda passou pelo Bahia antes de desembarcar no Porangabuçu. O jogador fez as revelações no programa Frias do Sérgio, da Rádio O POVO/CBN.

"Em 2013, estava aperreado para o meu pai. Pedi ajuda de custo para um diretor do Fortaleza, mas ele negou. Resolvi sair do clube para ir para o Bahia", contou Felipe Jonatan.

%2b Ceará trabalha para anunciar atacante e lateral-direito em breve; veja os nomes

No tricolor baiano, o jogador também não permaneceu por conta de outro percalço. "Fui aprovado, mas aconteceram algumas divergências. Fui assaltado em frente ao clube e acabei retornando para Fortaleza", explicou o lateral.

De volta à Capital cearense, surgiu a oportunidade de ir jogar na base do clube do Porangabuçu. Desde então, o jogador tem feito uma trajetória de destaque no Alvinegro. Em 2018, terminou a temporada como titular da equipe comandada por Lisca, renovou seu contrato até maio de 2022 e tem multa rescisória de R$ 15 milhões.

"O que aconteceu no Fortaleza é que pedi uma ajuda de custo e não quiseram me dar. Hoje, estou no maior rival e evoluindo. Da minha turma do Fortaleza, fui o único que vinguei. Fico triste pelo outros, mas futebol é muito dinâmico", afirmou.
 
Ouça o novo episódio do FutCast, o podcast do O POVO sobre o futebol cearense:
[VIDEO1] 
TAGS