Entenda de onde vem o apelido de 'doido' do LiscaCeará Sporting Club | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Entenda de onde vem o apelido de 'doido' do Lisca

Treinador do Ceará é adorado por torcidas de times por onde passou pelo seu jeito eufórico de se portar no gramado

15:39 | 30/10/2018
NULL
NULL
[FOTO1] Um dos principais responsáveis por ter salvo o Ceará da Série C em 2015 e pela reação do Alvinegro na Série A 2018, Luiz Carlos Lorenzi, o Lisca, é um treinador que tem uma marca registrada que se confunde com folclore. A euforia na área técnica e a festa ao fim dos jogos, além de toda a entrega física e pessoal, chama a atenção dos torcedores dos times em que ele treina, especialmente quando as vitórias são parte comum do contexto; assim, Lisca Doido ganha vida, como no caso dos torcedores do Ceará, que compram a ideia nos melhores momentos.

Doido é um apelido carinhoso para o gaúcho natural de Porto Alegre. Ele começou como técnico no Juventude, que vivia situações difíceis, com enfrentamento de quedas de divisão, um momento que, segundo Lisca, "o torcedor tinha até vergonha de usar a camisa do clube'. Em diversas entrevistas coletivas ao longo dos anos, o técnico explicou a origem do apelido tão famoso, dizendo que foi uma adaptação do grito 'Papo, papo, doido!' da torcida do alviverde caxiense depois que os resultados apareceram. 

"Juventude sem dinheiro, sem comida, sem série. E eu cheguei lá, louco para trabalhar. Juventude é um time que projeta profissional, jogadores... Caxias do Sul é uma cidade show de bola. E eu digo: "é aqui que vai ser minha porta de entrada no mercado. E a torcida viu isso", disse ao Fox Sports neste ano. 
 
Leia mais sobre o Lisca Doido: 
 
 
"Aí começamos a ganhar jogos, revelamos jogadores, e eu vibrava, e ganhamos copa El Dourado, subimos da D para a C. E aí numa final do Gauchão, eu discuti com o D'Alessandro e a torcida do Juventude enlouqueceu. Viu que eu tava comprando a ideia, brigando pelo clube", acrescentou. 

EXALTAÇÃO DE 'CONQUISTAS PEQUENAS'

Lisca também já pontuou em algumas ocasiões o envolvimento pessoal com causas 'diferentes' no futebol. Em entrevista para o canal do Youtube Pilhados, o treinador de 46 anos foi questionado sobre o fato histórico pessoal de livrar times do rebaixamento e foi enfático ao falar que 'na hora da dificuldade, eles chamam quem tem coragem'. 
[VIDEO1]
"Por causa do doido, né?![explica a escolha por ele em momentos difíceis]. Eu gosto da responsabilidade. E na hora da dificuldade, eles contratam quem está acostumado. Não tem mais empresário indicando, Q.I, que fala bonito... 'Quem é que trabalha na hora que está feio? Ele! Então chama'. E são uns títulos que não têm taça, não tem volta olímpica, jantar, mas está aqui, no coração. Na hora da dificuldade você vê quem é quem", declarou o gaúcho.
TAGS