PUBLICIDADE
Esportes

Autor de golaço olímpico, Pio revela código para cobrança de trivela

16:26 | 11/05/2018
NULL
NULL
[FOTO1]O empate entre CRB e Ceará por 3 a 3 no jogo de ida das quartas de final da Copa do Nordeste teve pelo menos dois golaços, mas um deles se destacou pela maneira como aconteceu. Aos 47 minutos do primeiro tempo, o jogador Pio foi cobrar um escanteio a favor do Vovô, pelo lado direito do ataque alvinegro. Com a perna direita, batendo de três dedos, ele conseguiu mandar a bola direto para o gol.

Como não houve nenhum desvio, o gol foi olímpico, mas a cobrança do escanteio foi totalmente diferente. Quem acerta esse tipo de chute geralmente faz a cobrança com o pé contrário ao lado do ataque e a bola faz uma parábola. Com Pio, o chute de trivela fez a bola pegar efeito e fazer uma trajetória semelhante a um “S”. 

“Tava faltando um gol desses na minha carreira. Eu já tinha feito gol do meio campo, de meia distância e agora o olímpico saiu”, declarou Pio, ao fim da partida. Dono de muitos gols bonitos, já que tem como características chutes de longa distância, o jogador coloca o tento diante do CRB como um forte concorrente no próprio ranking. “Eu creio que foi um dos gols mais bonitos da carreira, se não o mais bonito. Gol olímpico não é qualquer dia ou qualquer jogo e ainda ajudou nossa reação na partida”, disse.

Código

Não foi improviso. O escanteio de trivela é estratégia do jogador utilizada desde o ano passado. E toda vez que ele vai executá-la, um gesto deixa os companheiros de time na grande área atentos. “A gente tem um sinal. Eu levanto os dois braços”, confessa Pio. No gol contra o CRB, porém, ele não cumpriu o código, tanto que nenhum jogador do Ceará avançou para a bola. “Acho que eles esperavam aberto, mas fui feliz porque a bola surpreendeu o goleiro deles”, comemora.

Polivalente, não é raro ver o jogador, que é cearense, em campo. Aos 30 anos, Pio considera estar na melhor fase e realiza o sonho de jogar na elite do futebol brasileiro. “Creio que vivo o melhor momento da minha carreira. Pedi a deus pra jogar Série A e ele me deu essa oportunidade”, concluiu.
TAGS