PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Nos pênaltis, Itália vence Espanha e está na final da Eurocopa

A Azzurra empatou em 1 a 1 com a Roja no tempo normal e na prorrogação. Nas penalidades máximas, vitória por 4 a 2

Gabriel Lopes
19:28 | 06/07/2021
A Itália derrotou a Espanha nos pênaltis e está na semifinal da Euro 2020 (Foto: Matt Dunham/AFP)
A Itália derrotou a Espanha nos pênaltis e está na semifinal da Euro 2020 (Foto: Matt Dunham/AFP)

A Euro 2020 conheceu seu primeiro finalista nesta terça-feira, 6. No estádio de Wembley, em Londres, na Inglaterra, Itália e Espanha jogaram para mais de 60 mil pessoas. Nos pênaltis, os italianos levaram a melhor sobre os espanhóis e venceram por 4 a 2, após empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação. Chiesa marcou para a Azzurra, aos 15 minutos do segundo tempo, enquanto Morata, aos 35 da etapa final, trouxe a igualdade ao placar, que permaneceu assim até o fim da prorrogação.

O outro finalista será definido nesta quarta-feira, 7, também em Wembley, com o embate entre Inglaterra e Dinamarca, que tem início às 16 horas. A decisão será no próximo domingo, 11, às 16 horas, no mesmo palco das semifinais.

Esta será a quarta vez que a Itália chega na final da Eurocopa. Nas outras oportunidades, em 1968, 2000 e 2012, o título veio uma vez, em 68, após triunfo contra a Iugoslávia.

A Azzurra chega na partida decisiva da Euro 2020 com 34 partidas de invencibilidade. A última derrota aconteceu em setembro de 2018, para Portugal, pela Liga das Nações da Uefa.

O momento italiano vai em oposição ao fiasco recente desta seleção, que não se classificou para a Copa do Mundo de 2018 e foi eliminada na fase de grupos das duas últimas edições dos mundiais que atuou, em 2014 e em 2010.

Sob o comando de Roberto Mancini, que assumiu o time após o fiasco nas eliminatórias para a última Copa, em 2018, a Itália mudou sua forma de jogar, com a valorização da posse de bola e do jogo ofensivo, sem que a defesa ficasse prejudicada. Nesta Eurocopa, foram 12 gols marcados e três sofridos.

A consolidação de nomes jovens também foi outro fator que fortaleceu a Azzurra, com o crescimento de rendimento do goleiro Donnarumma, dos volantes Barella e Locatelli, e do atacante Chiesa, por exemplo, que receberam suporte dos experientes Chiellini, Bonucci, Jorginho e Insigne, pilares do elenco italiano.

A melhora na qualidade do futebol jogado no Campeonato Italiano também foi importante para a seleção italiana praticar um bom jogo, com times locais, como a Atalanta, a Inter de Milão e o Sassuolo, servindo de referência para a boa prática coletiva do esporte.