PUBLICIDADE
Esportes

O que fica de positivo apesar da derrota da Seleção Brasileira

19:31 | 07/07/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
Após a derrota por 2 a 1 para a Bélgica e a eliminação da Copa do Mundo de 2018, chegou a hora de juntar os cacos e recomeçar o trabalho rumo ao Mundial de 2022. Apesar do fracasso, Tite tem bom retrospecto à frente da Seleção: com o revés para os belgas, o técnico chegou apenas à sua segunda derrota no comando do Brasil, enquanto acumula vinte vitórias e quatro empates. Aproveitamento de 85,7%.

Depois de início de ciclo turbulento com Dunga no comando, eliminações precoces em duas edições de Copa América e, consequentemente, não classificação para a Copa das Confederações pela primeira vez, o Brasil conseguiu um ponto de equilíbrio com Tite. O técnico conseguiu uma perfeita mescla de juventude e experiência que garantiu à Seleção grandes atuações nos últimos dois anos.

O retrospecto de Tite no comando pesa ao seu favor numa virtual manutenção no cargo. O técnico só perdeu uma partida oficial sobre o comando da amarelinha: Bélgica, pelas quartas de final da Copa de 2018.

A seu favor também pesa a definição tática do time. O Brasil tinha um jeito de jogar e, diferente do que aconteceu em 2014, não sofreu de uma dependência exacerbada por um único jogador. O conjunto conseguia prevalecer e ainda era beneficiado pelas habilidades individuais de seus craques. Craques esses ainda jovens: Neymar tem 26 anos, chegaria à próxima Copa com 30 anos, Coutinho, Casemiro e Firmino da mesma forma.

A jovialidade de importantes jogadores que disputaram o Mundial em 2018 conta pontos a favor da Seleção, que disputará futuras jornadas. Uma base está formada com atletas que têm qualidade para permanecer em listas futuras. Os goleiros Alisson e Ederson, que terão 29 e 28 anos, respectivamente, o zagueiro Marquinhos, que terá 28 anos, Douglas Costa terá 31 anos, e Gabriel Jesus terá 25 anos.

Outro ponto positivo será a disputa de sua primeira competição oficial pós-Copa do Mundo ser em solo nacional. A Copa América de 2019 será disputada no Brasil,. Nela, a Seleção busca o título após três fracassos na competição continental. O último deles fazendo sua pior campanha na história, saindo ainda na primeira fase.
 
O apoio da torcida deve dar novo ânimo para esse time que precisará de confiança para tentar apagar a má impressão deixada na Copa do Mundo. A festa brasileira na Rússia animada pelo Canarinho Pistola foi ponto positivo, mostrando que a torcida abraçou o time e segue acreditando que o hexa é possível.
 
 
TAGS