PUBLICIDADE
Esportes

Ídolo alemão, Lothar Matthaus critica postura de Ozil: ?Joga sem alegria?

A estreia com derrota da Alemanha na Copa do Mundo não rendeu apenas críticas da imprensa local quanto a atuação coletiva do time comandado por Joachim Low, mas também a alguns destaques individuais que renderam abaixo do que era esperado. Um desses atletas é Mesut Ozil, criticado publicamente por um dos maiores ídolos do país: [?]

08:15 | 20/06/2018

A estreia com derrota da Alemanha na Copa do Mundo não rendeu apenas críticas da imprensa local quanto a atuação coletiva do time comandado por Joachim Low, mas também a alguns destaques individuais que renderam abaixo do que era esperado. Um desses atletas é Mesut Ozil, criticado publicamente por um dos maiores ídolos do país: Lothar Matthaus.

Campeão mundial e capitão na Copa de 1990, Matthaus não poupou o meia do Arsenal de críticas. Em sua coluna no jornal alemão Bild, o recordista de jogos pela seleção tetracampeã tratou a derrota para o México por 1 a 0 um fracasso e, entre outras coisas, considerou Ozil um jogador ?sem alegria? e ?sem coração?.

?A linguagem corporal dele (Ozil) é negativa para o grupo, ainda mais porque ele joga sem alegria. Tenho a sensação de que ele está incomodado com a camisa da seleção alemã, algo como se não quisesse jogar. Não tem coração, nem alegria, nem paixão em seu futebol. Diante de suas última atuações, não excluo a chance de ele se retirar da seleção após a Copa da Rússia?, disse o ídolo.

Além das críticas sobre seu futebol, Ozil também é constantemente alvo de questionamentos por parte dos alemães devido a sua postura e suas atitudes. De origem turca, o jogador costumeiramente não canta o hino nacional e na Rússia foi o único a não saudar os presentes antes no estádio antes do início do jogo.

?Ozil não compreende o que se espera de um jogador que veste a camisa da seleção da Alemanha. Eu insisto. Não tenho nenhum problema com Ozil por não cantar o hino, pois isso depende de cada jogador. Seja de raiz alemã, turca ou africana. Mas o que eu vi depois do hino em Moscou me enfureceu muito. Enquanto todos os outros dez alemães saudaram os presentes no estádio, Ozil preferiu se manter intacto e não o fez?, completou.

Gazeta Esportiva

TAGS