PUBLICIDADE
Esportes

?Cara chato?, Fagner cita duelos com Neymar e se vê em nível europeu

Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo. [?]

14:00 | 24/06/2018

Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo.

?O nível de enfrentamento nos treinamentos da Seleção te deixa em condições de enfrentar qualquer adversário. Enfrentar Neymar, Taison, Douglas Costa, te prepara para qualquer tipo de situação nos jogos. Estou tranquilo, pensando em ajudar no jogo da melhor maneira possível?, argumentou, em entrevista coletiva, neste domingo.

Com a lesão no quadril de Danilo, sofrida na véspera da partida contra a Costa Rica, Fagner pôde estrear em Mundiais e, de quebra, foi o único titular entre os que atuam no futebol brasileiro. Ele chegou na Rússia na condição de reserva, após o corte de Daniel Alves, a quem não ousa a se comparar.

?É difícil me comparar, o Daniel é um excelente jogador. Mas procurei fazer o que estou habituado a fazer no meu clube: o básico. Fui ganhando confiança no jogo e fiquei muito feliz por como as coisas se desenrolaram. Acredito que a tendência, como sou um cara chato, é ir melhorando no decorrer dos jogos?, projetou.

Embora tenha desconversado quando questionado sobre o assunto, Fagner deve permanecer na equipe e enfrentar a Sérvia no decisivo duelo da próxima quarta-feira, em Moscou. Neste domingo, em Sochi, Danilo deu sequência ao seu tratamento com a fisioterapia da Seleção e não viajará com o grupo para a capital russa.

Seja como for, Fagner se vê preparado para o desafio. ?Sei o quanto é importante, mesmo no Brasil, eu estar mais próximo dessa intensidade do futebol europeu. A intensidade dos treinos te dá essa melhora, me senti muito bem contra a Costa Rica. A tendência é melhorar física, técnica e mentalmente para os demais jogos. Aqui temos os melhores jogadores do mundo. O nível de concentração dos treinos tem que ser muito alto?, finalizou.

Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E e joga por um empate diante da Sérvia para alcançar as oitavas de final da Copa do Mundo. O duelo está previsto para a próxima quarta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Moscou.

Gazeta Esportiva

TAGS
?Cara chato?, Fagner cita duelos com Neymar e se vê em nível europeuCopa do Mundo | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes

?Cara chato?, Fagner cita duelos com Neymar e se vê em nível europeu

Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo. [?]

14:00 | 24/06/2018

Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo.

?O nível de enfrentamento nos treinamentos da Seleção te deixa em condições de enfrentar qualquer adversário. Enfrentar Neymar, Taison, Douglas Costa, te prepara para qualquer tipo de situação nos jogos. Estou tranquilo, pensando em ajudar no jogo da melhor maneira possível?, argumentou, em entrevista coletiva, neste domingo.

Com a lesão no quadril de Danilo, sofrida na véspera da partida contra a Costa Rica, Fagner pôde estrear em Mundiais e, de quebra, foi o único titular entre os que atuam no futebol brasileiro. Ele chegou na Rússia na condição de reserva, após o corte de Daniel Alves, a quem não ousa a se comparar.

?É difícil me comparar, o Daniel é um excelente jogador. Mas procurei fazer o que estou habituado a fazer no meu clube: o básico. Fui ganhando confiança no jogo e fiquei muito feliz por como as coisas se desenrolaram. Acredito que a tendência, como sou um cara chato, é ir melhorando no decorrer dos jogos?, projetou.

Embora tenha desconversado quando questionado sobre o assunto, Fagner deve permanecer na equipe e enfrentar a Sérvia no decisivo duelo da próxima quarta-feira, em Moscou. Neste domingo, em Sochi, Danilo deu sequência ao seu tratamento com a fisioterapia da Seleção e não viajará com o grupo para a capital russa.

Seja como for, Fagner se vê preparado para o desafio. ?Sei o quanto é importante, mesmo no Brasil, eu estar mais próximo dessa intensidade do futebol europeu. A intensidade dos treinos te dá essa melhora, me senti muito bem contra a Costa Rica. A tendência é melhorar física, técnica e mentalmente para os demais jogos. Aqui temos os melhores jogadores do mundo. O nível de concentração dos treinos tem que ser muito alto?, finalizou.

Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E e joga por um empate diante da Sérvia para alcançar as oitavas de final da Copa do Mundo. O duelo está previsto para a próxima quarta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Moscou.

Gazeta Esportiva

TAGS
?Cara chato?, Fagner cita duelos com Neymar e se vê em nível europeuCopa do Mundo | Esportes O POVO
?Cara chato?, Fagner cita duelos com Neymar e se vê em nível europeuCopa do Mundo | Esportes O POVO
Esportes

?Cara chato?, Fagner cita duelos com Neymar e se vê em nível europeu

Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo. [?]

14:00 | 24/06/2018

Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo.

?O nível de enfrentamento nos treinamentos da Seleção te deixa em condições de enfrentar qualquer adversário. Enfrentar Neymar, Taison, Douglas Costa, te prepara para qualquer tipo de situação nos jogos. Estou tranquilo, pensando em ajudar no jogo da melhor maneira possível?, argumentou, em entrevista coletiva, neste domingo.

Com a lesão no quadril de Danilo, sofrida na véspera da partida contra a Costa Rica, Fagner pôde estrear em Mundiais e, de quebra, foi o único titular entre os que atuam no futebol brasileiro. Ele chegou na Rússia na condição de reserva, após o corte de Daniel Alves, a quem não ousa a se comparar.

?É difícil me comparar, o Daniel é um excelente jogador. Mas procurei fazer o que estou habituado a fazer no meu clube: o básico. Fui ganhando confiança no jogo e fiquei muito feliz por como as coisas se desenrolaram. Acredito que a tendência, como sou um cara chato, é ir melhorando no decorrer dos jogos?, projetou.

Embora tenha desconversado quando questionado sobre o assunto, Fagner deve permanecer na equipe e enfrentar a Sérvia no decisivo duelo da próxima quarta-feira, em Moscou. Neste domingo, em Sochi, Danilo deu sequência ao seu tratamento com a fisioterapia da Seleção e não viajará com o grupo para a capital russa.

Seja como for, Fagner se vê preparado para o desafio. ?Sei o quanto é importante, mesmo no Brasil, eu estar mais próximo dessa intensidade do futebol europeu. A intensidade dos treinos te dá essa melhora, me senti muito bem contra a Costa Rica. A tendência é melhorar física, técnica e mentalmente para os demais jogos. Aqui temos os melhores jogadores do mundo. O nível de concentração dos treinos tem que ser muito alto?, finalizou.

Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E e joga por um empate diante da Sérvia para alcançar as oitavas de final da Copa do Mundo. O duelo está previsto para a próxima quarta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Moscou.

Gazeta Esportiva

TAGS
  • Checagem
  • Fortaleza
  • Economia
  • Brasil
  • Ceará
  • Mundo
  • Saúde
  • Tecnologia
  • Curiosidades
  • Esportes
  • Divirta-se
  • Vida & Arte
  • Vídeos
  • PUBLICIDADE
    Esportes

    ?Cara chato?, Fagner cita duelos com Neymar e se vê em nível europeu

    Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo. [?]

    14:00 | 24/06/2018

    Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo.

    ?O nível de enfrentamento nos treinamentos da Seleção te deixa em condições de enfrentar qualquer adversário. Enfrentar Neymar, Taison, Douglas Costa, te prepara para qualquer tipo de situação nos jogos. Estou tranquilo, pensando em ajudar no jogo da melhor maneira possível?, argumentou, em entrevista coletiva, neste domingo.

    Com a lesão no quadril de Danilo, sofrida na véspera da partida contra a Costa Rica, Fagner pôde estrear em Mundiais e, de quebra, foi o único titular entre os que atuam no futebol brasileiro. Ele chegou na Rússia na condição de reserva, após o corte de Daniel Alves, a quem não ousa a se comparar.

    ?É difícil me comparar, o Daniel é um excelente jogador. Mas procurei fazer o que estou habituado a fazer no meu clube: o básico. Fui ganhando confiança no jogo e fiquei muito feliz por como as coisas se desenrolaram. Acredito que a tendência, como sou um cara chato, é ir melhorando no decorrer dos jogos?, projetou.

    Embora tenha desconversado quando questionado sobre o assunto, Fagner deve permanecer na equipe e enfrentar a Sérvia no decisivo duelo da próxima quarta-feira, em Moscou. Neste domingo, em Sochi, Danilo deu sequência ao seu tratamento com a fisioterapia da Seleção e não viajará com o grupo para a capital russa.

    Seja como for, Fagner se vê preparado para o desafio. ?Sei o quanto é importante, mesmo no Brasil, eu estar mais próximo dessa intensidade do futebol europeu. A intensidade dos treinos te dá essa melhora, me senti muito bem contra a Costa Rica. A tendência é melhorar física, técnica e mentalmente para os demais jogos. Aqui temos os melhores jogadores do mundo. O nível de concentração dos treinos tem que ser muito alto?, finalizou.

    Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E e joga por um empate diante da Sérvia para alcançar as oitavas de final da Copa do Mundo. O duelo está previsto para a próxima quarta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Moscou.

    Gazeta Esportiva

    TAGS
    ?Cara chato?, Fagner cita duelos com Neymar e se vê em nível europeuCopa do Mundo | Esportes O POVO
    PUBLICIDADE
    Esportes

    ?Cara chato?, Fagner cita duelos com Neymar e se vê em nível europeu

    Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo. [?]

    14:00 | 24/06/2018

    Aos 29 anos, Fagner construiu a maior parte de sua carreira jogando em seu país natal. Prestes a fazer a sua segunda partida como titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o lateral direito do Corinthians minimiza a sua breve experiência na Europa, onde defendeu PSV-HOL e Wolfsburg-ALE por um curto período de tempo.

    ?O nível de enfrentamento nos treinamentos da Seleção te deixa em condições de enfrentar qualquer adversário. Enfrentar Neymar, Taison, Douglas Costa, te prepara para qualquer tipo de situação nos jogos. Estou tranquilo, pensando em ajudar no jogo da melhor maneira possível?, argumentou, em entrevista coletiva, neste domingo.

    Com a lesão no quadril de Danilo, sofrida na véspera da partida contra a Costa Rica, Fagner pôde estrear em Mundiais e, de quebra, foi o único titular entre os que atuam no futebol brasileiro. Ele chegou na Rússia na condição de reserva, após o corte de Daniel Alves, a quem não ousa a se comparar.

    ?É difícil me comparar, o Daniel é um excelente jogador. Mas procurei fazer o que estou habituado a fazer no meu clube: o básico. Fui ganhando confiança no jogo e fiquei muito feliz por como as coisas se desenrolaram. Acredito que a tendência, como sou um cara chato, é ir melhorando no decorrer dos jogos?, projetou.

    Embora tenha desconversado quando questionado sobre o assunto, Fagner deve permanecer na equipe e enfrentar a Sérvia no decisivo duelo da próxima quarta-feira, em Moscou. Neste domingo, em Sochi, Danilo deu sequência ao seu tratamento com a fisioterapia da Seleção e não viajará com o grupo para a capital russa.

    Seja como for, Fagner se vê preparado para o desafio. ?Sei o quanto é importante, mesmo no Brasil, eu estar mais próximo dessa intensidade do futebol europeu. A intensidade dos treinos te dá essa melhora, me senti muito bem contra a Costa Rica. A tendência é melhorar física, técnica e mentalmente para os demais jogos. Aqui temos os melhores jogadores do mundo. O nível de concentração dos treinos tem que ser muito alto?, finalizou.

    Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E e joga por um empate diante da Sérvia para alcançar as oitavas de final da Copa do Mundo. O duelo está previsto para a próxima quarta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Moscou.

    Gazeta Esportiva

    TAGS