PUBLICIDADE
Esportes

Às vésperas da Copa, Egito e Colômbia não saem do zero em amistoso

A doze dias do início da Copa do Mundo, duas seleções que estarão na Rússia se enfrentaram em um amistoso nesta sexta-feira. No estádio Atleti Azzurri d?Italia, Egito e Colômbia não saíram do empate por 0 a 0. A partida foi morna, sem muitas chances para nenhum dos lados, terminando sem gols. O Egito caiu [?]

18:45 | 01/06/2018

A doze dias do início da Copa do Mundo, duas seleções que estarão na Rússia se enfrentaram em um amistoso nesta sexta-feira. No estádio Atleti Azzurri d?Italia, Egito e Colômbia não saíram do empate por 0 a 0. A partida foi morna, sem muitas chances para nenhum dos lados, terminando sem gols.

O Egito caiu no Grupo A do Mundial e estreia diante da seleção do Uruguai, na sexta-feira, dia 15 de junho, às 9h (de Brasília). Os egípcios ainda enfrentarão a anfitriã Rússia, no dia 19, e a Arábia Saudita, no dia 25.

A Colômbia, por sua vez, está no Grupo H da Copa ao lado de Japão, contra quem estreia no dia 19 de junho, às 9h (de Brasília), além de Polônia e Senegal.

O Egito não contou com seu principal jogador, Mohamed Salah, que se lesionou na final da Liga dos Campeões em lance com Sérgio Ramos. A Colômbia, por sua vez, não poupou seus grandes nomes como James Rodríguez, Falcão Garcia e Cuadrado.

O primeiro tempo foi bastante morno, sem grandes lances de nenhum dos lados. A principal chance aconteceu apenas aos 37 minutos, quando James soltou a bomba de longe e a bola explodiu na trave esquerda. Aos 42, foi a vez do Egito responder, mas David Ospina estava lá para defender, à queima roupa, o cabeceio de Ramadan Sobhi.

A segunda etapa seguiu o roteiro da primeira e não teve muitas emoções. Como era de esperar, ambos os técnicos promoveram várias substituições ao longo dos 45 minutos finais. Pelo lados dos sul-americanos, porém, James Rodríguez permaneceu em campo até o fim e as melhores chances continuaram saindo de seus pés.

No geral, a Colômbia foi melhor, terminou com maior posse de bola, 69% contra 31% do Egito, e chutou mais ao gol. Os goleiros, no entanto, praticamente não tiveram trabalho ao longo dos 90 minutos e os sul-americanos não conseguiram converter a superioridade em gols e as redes não balançaram.

Gazeta Esportiva

TAGS