PUBLICIDADE
Esportes

Após mais uma partida de destaque, Coutinho nega ser ?o cara? da Seleção

Enquanto muitos ainda esperam pelo melhor futebol de Neymar, Philippe Coutinho vem roubando a cena nesta Copa do Mundo. Nesta quarta-feira, foi dos pés do camisa 11 que saiu a jogada do primeiro gol do time canarinho, marcado por Paulinho, porém, o meia prefere evitar o rótulo de principal jogador do Brasil no torneio até [?]

20:30 | 27/06/2018

Enquanto muitos ainda esperam pelo melhor futebol de Neymar, Philippe Coutinho vem roubando a cena nesta Copa do Mundo. Nesta quarta-feira, foi dos pés do camisa 11 que saiu a jogada do primeiro gol do time canarinho, marcado por Paulinho, porém, o meia prefere evitar o rótulo de principal jogador do Brasil no torneio até aqui.

?O cara da Seleção é a Seleção. O elenco é forte, unido. Nosso principal é o coletivo, então saímos felizes com a vitória. A equipe toda está jogando bem e, claro, cada um ajudando da melhor maneira?, afirmou Coutinho.

Embora não tenha sido eleito o ?homem do jogo? pela Fifa nesta quarta-feira, prêmio dado desta vez a Paulinho, Philippe Coutinho recebeu a honraria nos dois primeiros jogos do Brasil no Mundial. O camisa 11 também soma dois gols, um na estreia, contra a Suíça, e outro contra a Costa Rica, fundamental para a vitória suada do time canarinho contra ante os centro-americanos.

Passada a expectativa da estreia e a pressão pela ida às oitavas de final, Coutinho comemorou não só o resultado conquistado no duelo com os sérvios, mas também o desempenho da equipe, que teve um pouco mais de espaço para imprimir seu jogo e fechar a primeira fase do Mundial de maneira positiva.

?Grande jogo. Precisávamos da vitória e conseguimos o nosso primeiro objetivo, que era a classificação. Com certeza, o que queríamos era crescer na competição e evoluir a cada jogo. Hoje, seguramente jogamos melhor e esperamos continuar crescendo?, prosseguiu.

Mais centralizado após a entrada de Willian no time titular, Coutinho não demonstrou dificuldades de se adaptar à nova função após anos acostumado a atuar pelos lados do campo. Nos tempos de Liverpool, o jogador, inclusive, atuava na mesma posição de Neymar, porém, após sua transferência para o Barcelona, teve de ser mais flexível e vem mostrando bastante versatilidade.

?Procuro aprender e evoluir. Tenho que estar sempre preparado para onde o professor precisar. Não tenho preferência [de jogar mais centralizado ou pelas laterais]?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS