PUBLICIDADE
Esportes

Aliou Cissé: o técnico mais jovem, o único negro e o de menor salário entre os técnicos da Copa

15:42 | 25/06/2018
NULL
NULL
[FOTO1] Aliou Cissé, de apenas 42 anos, é o técnico mais jovem e o único negro entre 32 treinadores das equipes que participam da Copa na Rússia. Ex-futebolista na posição de volante, Cissé fez parte da Seleção Senegalesa durante duas edições da Copa das Nações Africanas e na Copa do Mundo de 2002. Hoje, ele comanda a equipe, que está invicta no Mundial. Estreou com vitória de 2 a 1 sobre a Polônia. No último domingo, empatou em 2 a 2 com o Japão. Ocupa a vice-liderança no grupo H.

Segundo o canal de TV Holandesa Zoomin, Aliou Cissé está na última posição da lista dos salários dos técnicos da Copa do Mundo 2018, enquanto o treinador da Seleção Brasileira, Tite, está em segundo lugar no ranking. Como treinador, Cissé recebe R$ 850 mil por ano, cerca de R$ 70 mil mensais, valor 16 vezes inferior ao de Tite. E o técnico senegalês afirma ter muito orgulho de representar o continente africano no mundial deste ano. “Eu garanto que toda a África está nos apoiando. Eu recebo telefonemas de todos os lugares. Temos orgulho de representar a África”.

O fato de ser negro é um dos motivos que torna Cissé único na Copa deste ano. Em entrevista coletiva, treinador de Senegal pontua que a questão de ser um único técnico negro é um debate longo e que nada tem a ver com futebol. “Temos treinadores de qualidade na África. Represento uma nova geração que quer ter seu espaço no futebol africano e no futebol mundial”. Na avaliação de Cissé,  o futebol da África tem produzido técnicos de qualidade, além de jogadores de destaque no mundo inteiro.

Cissé ainda avalia que mesmo com a situação complexa de contextos socioeconômicos de países da África, as seleções e os jogadores africanos têm se destacado cada vez mais em mundiais como a Copa do Mundo. “Tenho certeza que um time africano vai vencer a Copa do Mundo. Há 20, 25 anos, os países africanos vinham só fazer parte da Copa do Mundo”, afirmou. Para o senegalês, é preciso ter cada vez mais técnicos africanos para o futebol do continente africano seguir em frente.

Aliou Cissé faz parte da geração de técnicos africanos que participam de mundiais, comandando equipes de seus países de origem, fato que pouco a pouco muda a realidade de seleções africanas com treinadores estrangeiros. E mesmo sendo o mais jovem dessa edição da copa, Cissé não quebra nenhum recorde mundial. Até hoje, o técnico mais novo que trabalhou em uma Copa do Mundo foi Juan Jose Tramutola, com 27 anos, na Copa de 1930, pela equipe do Uruguai.

Trajetória

Aliou Cissé começou a jogar aos 18 anos na equipe sub-23 do seu país e consolidou sua carreira no futebol francês e inglês, passando por clubes, como Lille (1994-97), Sedan (1998-2001), PSG (2001-2002), Montpellier (2002-2004), Birmingham (2004), Portsmouth (2004-2006), Sedan novamente (2006-2008) e Nîmes (2008-2009).

Cissé fez parte da seleção de seu país durante os anos de 2000 a 2009 e foi capitão durante a Copa de 2002, que teve resultado histórico ao vencer a França, então campeã mundial. A vitória contribuiu com o acesso do time para as quartas de final, mas a equipe foi eliminada depois na derrota contra a Turquia, de 1 a 0. Como técnico, Cissé iniciou sua carreira em 2013, no comando da equipe sub-23 de Senegal. Com a saída do francês Alain Giresse em 2015, foi promovido ao cargo no time principal e o exerceu na Copa das Nações Africanas de 2017.
TAGS