Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Pelé recebe alta da UTI e seguirá recuperação de cirurgia no quarto

O rei do futebol celebrou a alta nas redes sociais e agradeceu as mensagens de apoio que recebeu. " Continuo cada dia mais alegre, com muita disposição para jogar 90 minutos, mais a prorrogação. Estaremos juntos em breve", escreveu.
16:44 | Set. 14, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Rei Pelé recebeu alta da UTI nesta terça-feira. O Hospital Albert Einstein, no qual o ex-jogador está internado, emitiu boletim informando que o ídolo do Santos possui boa condição clínica e dará sequência a seu processo de recuperação no quarto.

"O paciente Edson Arantes do Nascimento apresenta boa condição clínica e recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Permanecerá, a partir de agora, em recuperação no quarto", afirma o comunicado do hospital.

Pelé foi internado para realizar a retirada de um tumor no cólon direito, no intestino. O procedimento ocorreu no dia 4 de setembro e ele vinha se recuperando na UTI desde então.

O tricampeão mundial pelo Brasil celebrou a alta nas redes sociais e agradeceu as mensagens de apoio que recebeu. "Meus amigos, esse é um recado para cada um de vocês. Não pensem, por um minuto sequer, que eu não li as milhares de mensagens de carinho que recebi por aqui", escreveu.

"Muito obrigado a cada um de vocês por dedicarem um minuto do seu dia para me enviar boas energias. Amor, amor e amor! Eu já saí da UTI e estou no meu quarto. Continuo cada dia mais alegre, com muita disposição para jogar 90 minutos, mais a prorrogação. Estaremos juntos em breve!", completou Pelé.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Câncer já é a principal causa de morte de crianças e adolescentes

Saúde
16:43 | Set. 14, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Embora o câncer em crianças seja uma doença rara, ele é responsável pela maioria das mortes entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos de idade, da ordem de 8% do total, de acordo com o  Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). 

“É a primeira causa de morte por doença no Brasil e nos países desenvolvidos. Ele (câncer) só perde para causas externas, como traumas, e outros agentes externos”, disse hoje (14) à Agência Brasil a oncologista e membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (Sobope) Flávia Martins. 

Os três tipos de câncer mais comuns entre crianças e jovens, por ordem de frequência, são leucemias, tumores no Sistema Nervoso Central (SNC) e linfomas.

A doutora Flávia Martins recomenda que, para fazer o diagnóstico precoce, é preciso prestar atenção na criança e no que dizem os pais, pois há tempos variados de diagnóstico. Os primeiros consistem no reconhecimento dos sintomas pelos pais e no atendimento médico não especializado da criança em um hospital, pronto-socorro ou Unidade Básica de Saúde (UBS). Em seguida, vem o atendimento complexo, com o diagnóstico final.

O mês de setembro é reservado à conscientização e combate ao câncer infantojuvenil. 

Reconhecimento

A oncologista alerta que o reconhecimento dos sintomas pelos pais é muito importante. “Prestar atenção em febres contínuas. Lembrar que a criança tem, sim, febres, tem viroses, infecções, mas elas duram, no máximo, entre três e cinco dias, e não costumam deixar a criança prostrada, não costumam causar dor”. Outro sinal importante, segundo a médica, é a palidez. 

“Quando a criança está um pouquinho descorada e menos ativa, os pais devem levar em consideração e levar para uma avaliação médica. Qualquer sintoma neurológico, como estrabismo, quando a criança fica vesguinha, ou a criança reclamar de alteração visual súbita, dor de cabeça”.

Flávia Martins ressaltou que a "dor é coisa de adulto, isso não é coisa de criança. Criança, para ter dor, tem que ter alguma justificativa e essa dor tem que passar por uma investigação”. 

A oncologista reconheceu que os sintomas de alerta são mais fáceis de serem detectados pelos médicos. Já os sintomas mais comuns a outras doenças, como febre e dor de barriga, acabam passando despercebidos.

Qualidade de vida

Estatísticas do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) para o triênio 2020/2022 estimam 8.460 novos casos por ano de cânceres infantojuvenis, sendo 4.310 para o sexo masculino e 4.150 para o sexo feminino.

Segundo o Inca, o progresso no tratamento do câncer na infância e na adolescência nas últimas quatro décadas foi extremamente significativo. “Hoje, em torno de 80% das crianças e adolescentes acometidos da doença podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados. A maioria deles terá boa qualidade de vida após o tratamento adequado”, informa o Inca.

A oncologista Flávia Martins lembrou que é importante não só a criança ser curada, mas manter qualidade de vida, com capacidade funcional. “Porque não basta curar. A gente tem que promover que essa criança chegue a ser um adulto, e até um idoso saudável. Então, quanto mais precocemente a gente encontrar aquele tumor do sistema nervoso central, aquela leucemia, a gente vai, muitas vezes, poder planejar o tratamento de forma que a criança seja menos espoliada, sofra menos agressões”.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

CNC: Turismo brasileiro acumula prejuízo de R$ 413,1 bilhões na pandemia

ECONOMIA
16:38 | Set. 14, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
As atividades turísticas já somam um prejuízo de R$ 413,1 bilhões desde o agravamento da pandemia do novo coronavírus no País, em março de 2020, até julho deste ano, calcula a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).
O setor chegou a julho de 2021 com ociosidade ainda elevada, operando com aproximadamente 63% da sua capacidade mensal de geração de receitas. Apesar dos prejuízos acumulados, o setor de turismo já apresenta sinais claros de maior dinamismo, avalia o economista Fabio Bentes, responsável pelo estudo da CNC.
"As perdas mensais de receitas, por exemplo, recuaram pelo quarto mês consecutivo e tendem a se reduzir na medida em que as barreiras à circulação de turistas forem relaxadas", escreveu Bentes, em relatório.
A CNC aumentou sua projeção de crescimento para as atividades turísticas em 2021, de uma alta de 18,2% para 19,1% no volume prestado de serviços turísticos. O segmento teve um tombo de 36,6% em 2020, afetado pela crise sanitária.
Em julho deste ano, os serviços turísticos operavam 24,6% abaixo do patamar de fevereiro de 2020, no pré-covid. Mais da metade do prejuízo até agora ficou concentrado nos estados de São Paulo (R$ 171,6 bilhões) e Rio de Janeiro (R$ 50,2 bilhões).
O agregado especial de Atividades turísticas cresceu 0,5% em julho ante junho, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado representa a terceira taxa positiva consecutiva, período em que acumulou um ganho de 42,2%, mas o segmento ainda precisa crescer 32,7% para retornar ao patamar de fevereiro de 2020, no pré-pandemia. Na comparação com julho de 2020, o índice de volume de atividades turísticas no Brasil teve alta de 83,0% em julho de 2021, impulsionado pela base de comparação depreciada.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Argentina: governo anuncia obras e salário mínimo pode ser elevado

INTERNACIONAL
16:38 | Set. 14, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
O governo da Argentina anunciou nesta terça-feira, 14, o início de 25 obras em 15 províncias do país. "A pandemia não nos freou", afirmou o presidente Alberto Fernández no evento de lançamento dos projetos, de acordo com a agência oficial Télam. Além disso, um deputado governista, Marcelo Casaretto, apresentou projeto para permitir que se elevem por decreto os salários de funcionários com contrato, nos setores público e privado.
Fernández disse que agora é hora de "ordenar, continuar a fazer o que estávamos fazendo, fazer o que tivemos de adiar e corrigir o que fizemos mal", em referência às eleições, de acordo com a Télam. Segundo ele, "a Argentina merece algo melhor do que aconteceu com a gente em 2019", quando o presidente era o hoje oposicionista Mauricio Macri e o país viveu uma crise econômica. O presidente destacou a importância da eleição legislativa de novembro, após no domingo seu grupo ter tido um resultado ruim nas primárias para essa disputa.
Candidata da governista Frente de Todos a deputada, Victoria Tolosa Paz afirmou que nos próximos dias o governo publicará medidas na frente salarial, segundo a agência de notícias oficial. A política atribuiu o mal resultado nas primárias do domingo a reclamações na frente salarial, reconhecendo haver um eleitorado "que está em uma situação econômica difícil".

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Exportações de sucata ferrosa seguem em alta, aponta Secex

ECONOMIA
16:38 | Set. 14, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
As exportações de sucatas ferrosas, insumos usados na composição de aço pelas usinas siderúrgicas, se mantiveram em alta em agosto, atingindo 47.013 toneladas, maior volume para um mês do ano, mas ainda 14,4% abaixo do obtido em agosto do ano passado, 54.893 toneladas, conforme dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex). As importações, por sua vez, tiveram queda de 81%, com 2.175 toneladas em agosto de 2021, ante 11.273 toneladas em julho. Em agosto do ano passado, a importação atingiu 2.162 toneladas.
A persistente baixa nos preços de aquisição da sucata de obsolescência por parte das usinas siderúrgicas está levando as empresas que comercializam recicláveis a incrementar as exportações de sucatas ferrosas para subsistência do ciclo da reciclagem e manutenção da compra desses materiais do catador.
"Estados como Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Espírito Santo já estão vendendo sucatas 10% mais baratas do que São Paulo", segundo informou uma fonte de uma usina à S&P Global Platts, agência americana especializada em fornecer preços-referência e benchmarks para os mercados de commodities. "A ideia é não ter uma especificação de obsolescência acima de R$ 800/t FOB", acrescenta a fonte.
A queda de preços vem ocorrendo também em outros tipos de sucata, tais como cavaco, mista e pesada, conforme a S&P Global Platts. "As siderúrgicas brasileiras com características de oligopsônio (poucos compradores) reduzem os preços, restando como opção os mercados conquistados fora do país", diz Clineu Alvarenga, presidente do Instituto Nacional das Empresas de Sucata de Ferro e Aço (Inesfa).
Além disso, com a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou a isenção do PIS/COFINS nas operações de venda de insumos recicláveis à indústria de transformação, os preços dos insumos tendem a ser ainda mais impactados com o aumento dessa carga tributária.
O consumo de sucata no Brasil vem reagindo e pode superar 9 milhões de toneladas neste ano, 13,1% acima de 2020, que fechou em 7,957 milhões de toneladas, estima o Inesfa.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Vacinação de crianças no Ceará está longe de atingir o ideal; cenário é de alerta

Ceará
16:35 | Set. 14, 2021
Autor Marcela Tosi
Foto do autor
Marcela Tosi Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Pelo menos desde 2019, as crianças cearenses estão menos protegidas contra doenças que são evitáveis por meio de vacina. Isso porque cada vez menos pais e responsáveis estão levando os pequenos para receber as doses recomendadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). Neste ano, nenhuma das vacinas destinadas aos menores de um ano alcançou a meta de cobertura vacinal no Estado. 

Para a maioria das vacinas infantis, a meta de cobertura vacinal (proporção entre aqueles que receberam a dose e o total de crianças) é de no mínimo 90%. Entretanto, no primeiro semestre de 2021, essa proporção entre os menores de um ano ficou entre 48% e 69%. A menor taxa é da segunda dose da vacina tríplice viral. Menos de metade das crianças receberam a dose necessária para reforçar a ação da vacina que protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

"As baixas coberturas vinham sendo observadas já em 2019 e essa situação se agravou com a pandemia de Covid-19", afirma a orientadora da Célula de Imunização da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), Kelvia Borges. "Outra questão que percebemos é que muitos pais dessa geração já nasceram em um momento em que doenças perigosas e de fácil transmissão já estavam controladas pelas vacinas. Com isso, acabam não tendo muita dimensão do risco da doença e da importância de vacinar."

Kelvia aponta que o baixo número de crianças vacinadas pode trazer um risco à saúde coletiva. "Essas vacinas protegem contra doenças que já estavam erradicadas no Brasil. Com a baixa vacinação algumas estão voltado, como o sarampo." Ela lembra ainda que a proteção iniciada cedo é para a vida toda.

Uma grande preocupação é que, como em 2020, o Ceará volte a não atingir qualquer meta do calendário nacional de imunização infantil. Por isso, Kelvia ressalta que durante o mês de outubro o Estado intensificará a busca ativa daquelas crianças que estejam com o calendário atrasado, bem como promoverá campanhas de vacinação e um Dia D de multivacinação no dia 12 de outubro.

Leia abaixo respostas a algumas das principais dúvidas quando o assunto é vacinação infantil:

Quantas vacinas as crianças com menos de um ano devem tomar? Elas agem contra quais doenças?

A Sociedade Brasileira de Pediatria indica que todas as crianças de até um ano devem receber pelo menos 29 doses de vacinas. São 13 imunizantes diferentes que protegem contra doenças como paralisia infantil, meningites, hepatites, pneumonia, otite, rubéola, varicela, caxumba e catapora. Todas são disponibilizadas gratuitamente na rede pública de saúde.

As exceções são as crianças prematuras ou com alguma imunodeficiência, que devem seguir recomendações próprias orientadas pelos médicos que as acompanhem

Veja o calendário básico de vacinação infantil: 

 

Meu filho perdeu a dose que é recomendada para a idade. O que fazer?

Para receber as doses, basta se dirigir o quanto antes a um posto de saúde com documento de identidade e a carteira de vacinação. Em Fortaleza, 116 postos estão disponíveis para atender a população (clique aqui para ver os endereços). 

Conforme a Sesa, todos os postos de saúde do Estado têm estoque suficiente de todos os imunizantes estipulados pelo PNI. 

Também é possível recorrer ao serviço de imunização nos Vapt Vupts dos bairros Antônio Bezerra e Messejana. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, mediante agendamento pelo site.

A atenção deve ser apenas com as crianças de até um ano?

Não. As vacinas e seus reforços são necessários desde o nascimento até o fim da vida. Algumas vacinas devem ser tomadas anualmente, como a da gripe, e outras em intervalos de tempo maiores. Em caso de dúvida, basta consultar um posto de saúde.  

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags