PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Exclusivo: incêndio furou proteção contra fogo do teto do Castelão; estádio não deve ser interditado

O fogo se espalhou por cima e comprometeu parte da cobertura do prédio central. Por conta disso, a administração do estádio teve a preocupação de isolar toda a arquibancada coberta pela parte do teto prejudicada

20:32 | 05/02/2021
Alcançado pelo fogo, teto do Castelão tem partes comprometidas (Foto: Aurelio Alves)
Alcançado pelo fogo, teto do Castelão tem partes comprometidas (Foto: Aurelio Alves)

O incêndio que afetou uma cabine de imprensa e parte da cobertura do Castelão completa uma semana neste sábado, 6, ainda sem esclarecimentos. O laudo pericial só deve ser entregue na segunda-feira, 8, quando se completam dez dias do incidente. A Secretaria do Esporte e Juventude (Sejuv), responsável pelo equipamento, aguarda o documento para se pronunciar sobre o caso.

Do trabalho de análise de quase dez horas realizado no domingo passado, pelo Corpo de Bombeiros, Perícia Forense e alguns engenheiros, porém, já existem hipóteses mais prováveis, segundo apurou O POVO. A do início das chamas, por exemplo, tende a se confirmar a primeira aventada, de curto-circuito.

O problema maior, no entanto, não foi dentro da cabine de imprensa que pegou fogo, mas no teto. O fogo se espalhou por cima e comprometeu parte da cobertura do prédio central — as imagens feitas por drone deixam o dano evidente. Por conta disso, a administração do estádio teve a preocupação de isolar toda a arquibancada coberta pela parte do teto prejudicada pelo fogo.

A cobertura do Castelão possui uma manta térmica que tem como uma das funções não deixar o fogo passar, mas o efeito foi exatamente o contrário. O POVO apurou com mais de uma fonte que a proteção foi furada e passou a conduzir as chamas. Para contê-las, os bombeiros tiveram que cortar a comunicação da manta com o teto. Depois disso, ficou mais fácil controlar o incêndio.

Apesar dos problemas causados e da preocupação da administração em resguardar os locais cobertos pela parte da cobertura afetada, o estádio não deve sofrer interdições. A CBF, inclusive, já confirmou os próximos jogos da Série A do Brasileiro no Castelão.

O prédio central voltou a ser utilizado na partida entre Fortaleza e Coritiba, realizada na última quinta-feira, 4. Profissionais de imprensa que foram até o local relataram vazamentos no teto, o que deixou poças de água em alguns pontos da arquibancada do setor especial. Houve relatos também de que cinzas caíam algumas vezes.

Na próxima quarta-feira, 10, o Fortaleza volta a jogar no Castelão, contra o Vasco, em partida válida pela 35ª rodada da Série A do Brasileiro de 2020. Até lá, os laudos oficiais já deverão ter saído e novos protocolos de segurança podem ser estabelecidos.