PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Após Gerson, do Flamengo, acusar Ramírez de injúria racial, Bahia comunica afastamento do colombiano

Esquadrão de Aço informou em nota oficial que o colombiano ficará fora enquanto ocorre a apuração do caso

Victor Hugo Pinheiro
10:02 | 21/12/2020
Ramírez e Gerson durante disputa de bola na partida entre Flamengo e Bahia (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
Ramírez e Gerson durante disputa de bola na partida entre Flamengo e Bahia (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

O Bahia informou, através de nota oficial, na madrugada desta segunda-feira, 21, o afastamento do meia Índio Ramirez por conta da acusação de injúria racial feita por Gerson, do Flamengo. O Esquadrão de Aço afirma que o colombiano nega as acusações. No entanto, optou pela saída temporária do jogador até que a apuração do caso seja finalizada.

Em partida realizada no último domingo, 20, o Flamengo venceu o Bahia por 4 a 3, no Maracanã. O meia do Rubro-Negro, Gerson, acusou Índio Ramírez, do Tricolor, por injúria racial. De acordo com o flamenguista, o colombiano se dirigiu a ele com a frase "cala a boca, negro" em discussão entre os dois atletas.

"Eu fui falar com ele, ele falou bem assim: "Cala a boca, negro. Eu nunca falei nada disso, porque nunca sofri. Mas isso aí eu não aceito. Eu nunca falei de treinador, mas o Mano (Menezes) tem que saber respeitar. Eu estou aqui falando isso em nome de todos os negros do Brasil", relatou Gerson em entrevista pós-jogo ao Canal Premiere, do Grupo Globo.

Confira a nota emitida pelo Bahia na íntegra

"O Esporte Clube Bahia vem a público se manifestar sobre a denúncia de racismo feita pelo atleta Gerson, do Flamengo, ocorrida na noite deste domingo (20).

O atleta Indio Ramírez nega veementemente a acusação e a ele está sendo dada a oportunidade de se defender de algo tão grave.

O clube entende, porém, que é indispensável, imprescindível e fundamental que a voz da vítima seja preponderante em casos desta natureza.

Assim, decidiu afastar imediatamente o jogador das atividades da equipe até a conclusão da apuração.

O presidente Guilherme Bellintani ligou para Gerson a fim de prestar solidariedade."