PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Senador Romário apoia causa de clubes dos Estaduais que pedem aporte financeiro à CBF

Ex-jogador postou no seu facebook o apoio aos clubes, fazendo apelo ao presidente da entidade, Rogério Caboclo

Gerson Barbosa
15:02 | 03/04/2020
Político ainda sugeriu utilizar o legado da Copa do Mundo de 2014 para ajudar
Político ainda sugeriu utilizar o legado da Copa do Mundo de 2014 para ajudar (Foto: Reprodução/Facebook Romário Faria)

Clubes de Estaduais por todo o Brasil que vão enfrentar dificuldades nessa parada do futebol por conta do novo coronavírus ganharam um novo aliado na luta por aporte financeiro vindo da CBF. Trata-se do senador Romário, ex-jogador e campeão do mundo com a Seleção Brasileira. Em seu Facebook nesta quinta-feira, 2, o político pediu sensibilidade do presidente da entidade máxima que rege o futebol no Brasil.

Em sua conta na rede social, Romário explicou que os clubes com maiores investimentos - aqueles na Série A - têm capacidade de atravessar essa crise, ainda que precise de cooperação dos jogadores desses times, mas que os de menores receitas não conseguiriam. O senador sugere a Rogério Caboclo, presidente da CBF, que utilize o Fundo de Legado da Copa do Mundo de 2014 para ajudar aos clubes.

"Isso (ajuda) pode ser feito mediante não somente isenção de taxas cobradas pelas federações, mas principalmente aporte de recursos diretos pela entidade, que conta hoje com sobra de caixa. Uma sugestão seria usar parte do Legado da Copa do Mundo de 2014, pago pela Fifa. A própria entidade máxima do futebol já apresentou um plano para investir mais de R$ 7 bilhões das suas reservas para minorar os impactos dessa grave crise nos gramados", escreve o ex-jogador.

A CBF teve receita recorde de quase R$ 1 bilhão em 2019, mas por mais de R$ 500 milhões vieram da Fifa pela Copa do Mundo de 2014. Marcelo Paz, presidente do Fortaleza, explicou em programa do Bandsports que esse dinheiro não poderia investido no futebol masculino profissional, apenas de base, feminino e demais modalidades. Quem informou o dirigente foi o secretário geral da CBF, Walter Feldman.

Por fim, Romário escreve ainda um apelo a Rogério Caboclo. "Apelo, mais uma vez, à sensibilidade do presidente Rogério Caboclo para que a CBF faça sua parte e ajude os nossos pequenos clubes, tão importantes para a geração de empregos e renda em nosso País", lê-se na publicação.

Confira a mensagem completa do senador Romário:

A paralisação dos campeonatos devido à pandemia do covid-19 continua deixando a comunidade do futebol brasileiro apreensiva quanto aos seus efeitos. Sim, todos sabem da importância de parar neste momento. Não há discussão sobre isso. O que preocupa todos, sobretudo os clubes de menor estrutura, é como irão pagar a folha salarial de seus jogadores e funcionários.

Os clubes grandes ainda têm lastro financeiro para fazer ajustes e continuar operando. E os pequenos? Em carta à Federação Paulista de Futebol, a rede de televisão detentora dos direitos de transmissão já confirmou que não pagará a última parcela referente aos estaduais. As fontes de receita com patrocínio e bilheteria estão travadas. Como fazer?

Mais uma vez, pedimos à CBF que ajude esses clubes menores, sobretudo os que disputam os campeonatos estaduais pelo Brasil afora, para que não encerrem suas atividades e deixem milhares de trabalhadores desempregados. Isso pode ser feito mediante não somente isenção de taxas cobradas pelas federações, mas principalmente aporte de recursos diretos pela entidade, que conta hoje com sobra de caixa. Uma sugestão seria usar parte do Fundo de Legado da Copa do Mundo de 2014, pago pela FIFA.

A própria entidade máxima do futebol já apresentou um plano para investir mais de 7 bilhões de reais das suas reservas para minorar os impactos dessa grave crise nos gramados. Apelo, mais uma vez, à sensibilidade do Presidente Rogério Caboclo para que a CBF faça a sua parte e ajude os nossos pequenos clubes, tão importantes para a geração de emprego e renda em nosso País.