PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Castelão reabrirá com capacidade acima de 55 mil e área para organizadas volta a ser estudada

Em entrevista à rádio O POVO CBN, secretário do Esporte e Juventude falou sobre a reposição de cadeiras e ajustes nas arquibancadas

Brenno Rebouças
22:41 | 30/01/2020
Ceará e Fortaleza repuseram mais de 3 mil cadeiras já em 2020
Ceará e Fortaleza repuseram mais de 3 mil cadeiras já em 2020 (Foto: Júlio Santos/Rádio O POVO)

O Castelão reabre no sábado, 1º, com o primeiro Clássico-Rei do ano, pela Copa do Nordeste. Além de um gramado novo, o gigante que foi palco de Copa do Mundo estará com mais capacidade, já que 3.300 cadeiras foram instaladas, pagas por Ceará e Fortaleza.

A informação foi dada pelo secretário do Esporte e Juventude do Ceará, Rogério Pinheiro, em entrevista ao programa Trem Bala, da rádio O POVO CBN. Além disso, o gestor da pasta confirmou que dia 4 de fevereiro será aberto um certame licitatório para a compra de mais 12 mil cadeiras.

O Esportes O POVO apurou que a capacidade do Castelão na reabertura será de aproximadamente 55.800 torcedores. Nesse caso, quando da compra das 12 mil cadeiras - que vai levará um tempo, dado o processo burocrático de uma licitação -, o estádio poderá recuperar a quantidade de assentos que tinha quando foi reformado para a Copa do Mundo de 2014, que é de 63.903 lugares.

Rogério Pinheiro revelou ainda que a ideia de criar um setor específico para as torcidas organizadas foi retomado e que os locais escolhidos devem ter as cadeiras retiradas. “Nós estamos estudando a viabilidade, tudo de dentro da questão de segurança, para fazer áreas destinadas às organizadas. Esses espaços não terão cadeiras, mas esses assentos seriam alocadas para demais áreas. É uma demanda das organizadas, dos clubes e que a Secretaria e Governo vão fazer estudo de engenharia para viabilizar", disse o secretário.

Não foi estabelecido prazo, mas a ideia é que tudo isso aconteça nesta temporada, uma vez que está mantido o mesmo sistema de gestão, com Ceará e Fortaleza, para o ano de 2020.

Quanto aos locais desses espaços para organizadas, respeitariam os lados em que elas já costumam ficar, mas há um impasse quanto a ser no anel superior ou inferior do estádio. "permanecem os mesmos locais tradicionais, o que a gente vai verificar é a questão da segurança. Antes de retirar qualquer cadeira tem todo um procedimento de segurança. E isso (se será na superior ou inferior) vai ser definido após os estudos técnicos, no melhor espaço que a engenharia permitir", garante Rogério Pinheiro.