PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Brasil inicia preparação para disputa do Pré-Olímpico; saiba quem são os destaques do time

Desfalcada de alguns jogadores, equipe Sub-23 disputa torneio na Colômbia nos meses de janeiro e fevereiro

18:41 | 03/01/2020
Jardine terá a missão de levar o Brasil até aos Jogos Olímpicos
Jardine terá a missão de levar o Brasil até aos Jogos Olímpicos (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

A Seleção Brasileira busca defender a medalha de ouro, conquistada em 2016, nas Olimpíadas de Tóquio. No entanto, para chegar na Terra do Sol Nascente, os jovens brasileiros precisam garantir a classificação no Torneio Pré-Olímpico Sul-Americano Sub-23.

A competição classificatória será realizada na Colômbia, que começa no dia 18 de janeiro e vai até 9 de fevereiro.

A lista de jogadores convocados para o Pré-Olímpico foi fechada pelo técnico André Jardine nesta sexta-feira, 3. Além disso, todos os atletas da lista já estão reunidos na Granja Comary, em Teresópolis, para o início da preparação - que será até o dia 16 de janeiro. Neste período, o time fará dois amistosos preparatórios contra as equipes profissionais de Boavista e Portuguesa, nos dias 12 e 15, respectivamente.

A equipe brasileira está no Grupo B do torneio com Bolívia, Uruguai, Paraguai e Peru. Os dois primeiros colocados das duas chaves avançam ao quadrangular final, que tem início no dia 3 de fevereiro. Na fase final, os dois melhores garantem classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Veja a lista de convocados pelo técnico André Jardine:

Goleiros

Cleiton (Atlético-MG)

Ivan (Ponte Preta)

Phelipe (Grêmio)

Laterais-direito

Guga (Atlético-MG)

Dodô (Shakhtar)

Zagueiros

Nino (Fluminense)

Bruno Fuchs (Internacional)

Robson Bambu (Athletico-PR)

Walce (São Paulo)

Laterais-esquerdo

Caio Henrique (Fluminense)

Iago (Augsburg)

Meio-campistas

Bruno Guimarães (Athletico-PR)

Igor Gomes (São Paulo)

Maycon (Shakhtar)

Matheus Henrique (Grêmio)

Reinier (Flamengo)

Bruno Tabata (Portimonense)

Atacantes

Antony (São Paulo)

Matheus Cunha (RB Leipzig)

Paulinho (Bayer Leverkusen)

Pepê (Grêmio)

Pedrinho (Corinthians)

Yuri Alberto (Santos)

Com 23 convocados, o técnico André Jardine teve que fazer alterações até definir os jogadores presentes na lista final. Uma das principais armas ofensivas do time, Gabriel Martinelli não foi liberado pelo Arsenal e teve que ser cortado. Além dele, Wendel (Sporting, Douglas Luiz (Aston Villa), Ayrton Lucas (Spartak Moscou), Gabriel (Lille), Emerson (Bétis) e Ibañez (Atalanta) também não foram liberados pelas suas respectivas equipes. Como o Pré-Olímpico não se trata de um torneio organizado pela Fifa, os clubes não tem obrigação de liberar os atletas.

Apesar dos desfalques de jogadores consolidados em equipes europeias, o Esportes O POVO separou alguns atletas do futebol internacional que podem ser os destaques do Brasil.

Dodô (Shakhtar)

Revelado pelo Coritiba, o lateral-direito, tem apenas 21 anos e já conta com participações decisivas em jogos de Liga dos Campeões em seu currículo. Na atual temporada, disputou cinco partidas pela principal competição europeia, onde anotou um gol e distribuiu duas assistências. Apesar da pouca idade, o atleta pode usar sua experiência internacional em um time recheado de atletas que atuam no futebol nacional.

Iago (Augsburg)

Após passagem pelo Internacional, ele chegou ao futebol alemão no início da temporada europeia. O início não foi dos melhores para o lateral-esquerdo. Após sofrer lesão no menisco, perdeu as cinco primeiras rodadas do Campeonato Alemão. Porém, nas últimas três partidas, o ex-Colorado ganhou a titularidade do Augsburg e chega ao Pré-Olímpico em boa fase.

Matheus Cunha (RB Leipzig)

Com nove gols anotados em 2019, o jovem centroavante é o principal artilheiro da Seleção Olímpica na era André Jardine. A confiança do treinador nele é tão grande que também foi o jogador com mais jogos no último ano, com 11 participações. O paraibano, de 20 anos, é pouco conhecido pelos brasileiros. Em terras canarinhas, teve apenas passagem pela base do Coritiba. Já na Europa, antes de chegar ao Leipzig, atuou pelo Sion (Suiça).

Paulinho (Bayer Leverkusen)

Quando saiu do Vasco para o futebol alemão, todos achavam que Paulinho logo ganharia destaque na Europa. Após um ano e meio no futebol europeu, o atacante disputou 30 jogos e fez apenas dois gols. Mesmo com um rendimento pouco destacado, com a camisa da amarelinha, é uma das principais peças ofensivas de Jardine. Em 2019, ele foi quem mais jogou pela equipe sub-23, com 11 partidas disputadas.

Os talentos nacionais também têm capacidade para serem destaques do time de André Jardine. Veja quem são os principais jogadores:

Bruno Guimarães (Athletico-PR)

Campeão da Copa do Brasil pelo Furacão, o meio-campista tem todas as credenciais possíveis para assumir a titularidade. Com passes precisos, boa chegada ao ataque e preciso na marcação, Bruno já chama a atenção de equipes europeias. Além disso, ele ter bom desempenho no Pré-Olímpico deve ser fundamental na caminhada do Brasil rumo à Tóquio 2020.

Matheus Henrique (Grêmio)

Com 22 anos, ele já é titular absoluto do time de Renato Gaúcho. As boas atuações pelo Grêmio já renderam a primeira convocação dele para o time profissional do Brasil. Ao lado de Bruno Guimarães, o jogador do Tricolor Gaúcho será um dos pilares do meio-campo de André Jardine. No título do Torneio de Toulon, em junho do ano passado, o jogador foi fundamental e tem tudo para ser decisivo também no Pré-Olímpico.

Pedrinho (Corinthians)

O ataque é um dos setores que o Brasil está melhor servido de opções. O jogador do Corinthians fez a melhor temporada da carreira em 2019, com 57 jogos disputados e sete gols marcados. Apesar do Corinthians ter conquistado apenas o Campeonato Paulista, a torcida da equipe ficou na bronca com o desempenho geral do time. Com isso, Pedrinho acabou sendo um dos únicos que se salvou das críticas

Antony (São Paulo)

Quando iniciou o ano passado disputando a Copa São Paulo de Futebol Júnior, Antony talvez nem o próprio jogador imaginava acabar o ano como titular do time profissional do São Paulo. A temporada do atleta foi marcada pela oscilação de desempenho, o que é normal para um garoto de 19 anos. A velocidade e os dribles do atleta podem ser fundamentais para a classificação do Brasil aos Jogos Olímpicos.