PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Kleina freia empolgação e pede inteligência para Ponte na última rodada

Antes remotas, as chances da Ponte Preta de conseguir o acesso e disputar a elite do futebol brasileiro em 2019, agora, são reais e bastante plausíveis. Com a vitória sobre o Coritiba na última terça, a Macaca chegou aos 59 pontos e tem confirmada a permanência no G4 da Série B antes do início da [?]

13:45 | 14/11/2018

Antes remotas, as chances da Ponte Preta de conseguir o acesso e disputar a elite do futebol brasileiro em 2019, agora, são reais e bastante plausíveis. Com a vitória sobre o Coritiba na última terça, a Macaca chegou aos 59 pontos e tem confirmada a permanência no G4 da Série B antes do início da última rodada. Mesmo com esses cenários positivos, o discurso segue sendo de cautela.

Após o triunfo no Majestoso, o treinador Gilson Kleina fez questão de frear a empolgação com o bom momento vivido sob seu comando e alertou para a necessidade de uma partida inteligente na Ressacada, contra o Avaí, para concretizar o acesso á Série A.

?Não tem que ter euforia nem achar que está tudo certo. Precisamos conter a empolgação porque ainda vamos pegar uma Ressacada lotada. Vamos ter que dar a vida de novo, mas faltam só 90 minutos para o nosso objetivo. Temos que ter inteligência para que possamos executar da melhor maneira possível o plano e entrar em campo com o sentimento de que é o jogo do acesso?, disse o comandante.

Desde que assumiu a Ponte Preta para recolocar o time campineiro na luta pelo acesso, algo considerado complicado na época, Kleina conquistou 22 pontos de 24 possíveis e liderou a equipe para um aproveitamento superior a 90% nos últimos jogos. Para o treinador, o momento se deve a uma mudança de filosofia que foi utilizada e passada aos atletas.

?Os jogadores tinham que entender o que era vestir a camisa da Ponte Preta. Se não tiver alma, não é aqui que tem que ficar. Lembro que fomos duros e dissemos que quem não estava realmente comprometido com o objetivo não tinha que perder tempo aqui. O trabalho é árduo, intenso, mas a convicção no trabalho é grande. Claro que a partir daí passamos a nos conhecer?, ressaltou o treinador da Ponte

Gazeta Esportiva

TAGS