PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Ex-United explica rejeição ao City em 2008: ?Dinheiro não é tudo?

Atualmente, se um jogador de futebol recebe propostas dos dois maiores clubes de Manchester, dificilmente optaria por defender o United, dado o grande momento que vive o City. Anos atrás, porém, não era assim que funcionava, e a prova maior disto é o atacante Dimitar Berbatov. Hoje com 37 anos de idade e sem clube, [?]

16:00 | 03/09/2018

Atualmente, se um jogador de futebol recebe propostas dos dois maiores clubes de Manchester, dificilmente optaria por defender o United, dado o grande momento que vive o City. Anos atrás, porém, não era assim que funcionava, e a prova maior disto é o atacante Dimitar Berbatov. Hoje com 37 anos de idade e sem clube, o búlgaro revelou ter recusado uma proposta dos Citizens ainda em 2008, ano em que se transferiu do Tottenham para os Diabos Vermelhos.

?Meu agente me disse algo sobre o interesse do Manchester City, mas eu falei que ele não devia se preocupar com nenhuma outra proposta. Eu queria ir ao Manchester United, por toda sua história, jogadores, tradição, por tudo?, afirmou o centroavante, em entrevista concedida à revista FourFourTwo.

Mesmo naquela época, a oferta do City já era, em números, muito mais tentadora. No entanto, Berbatov não se deixou levar pelas cifras, e relutou diante da possibilidade de não firmar o vínculo com o United.

?Acredito que tenha sido na noite em que o City contratou Robinho, que estava no Real Madrid. Meu empresário me disse: ?Berba, temos outro clube interessado em você?. Eu respondi: ?Que se dane, fecharemos com o Manchester United?. Aí ele acrescentou: ?Mas eles te darão mais dinheiro!?. Mas nem tudo se trata de dinheiro?, contou o jogador, cujo último time que defendeu foi o Kerala Blasters, da Índia.

Maior artilheiro da história seleção da Bulgária, Berbatov não se arrepende de maneira alguma de sua decisão. Foram quatro temporadas no Old Trafford antes de deixar o clube e assinar contrato com o Fulham, também da Inglaterra. Ao todo, balançou as redes 56 vezes em 149 partidas disputadas pelos Diabos Vermelhos.

?Para mim, foi a escolha correta, porque chegar ao topo da montanha era meu sonho, especialmente quando você vem de um país do leste da Europa, de um povo pequeno, em que você se torna o primeiro a fazer algo do tipo?, apontou. ?Foi uma grande sensação. Sei que muita gente do Tottenham se irritou com minha opção, mas eu precisava seguir meu caminho?, completou.

Gazeta Esportiva

TAGS