PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Romildo reprova arbitragem e Renato vê Inter jogar como ?pequeno?

O clássico entre Grêmio e Internacional, encerrado com empate na tarde deste sábado, terminou em polêmica, como de costume. Romildon Bolzan, presidente do time tricolor, reprovou a arbitragem de Wilton Pereira Sampaio. Já o técnico Renato Gaúcho, além de reclamar de três supostos pênaltis, afirmou que o rival joga como pequeno. No primeiro tempo, os [?]

20:00 | 12/05/2018

O clássico entre Grêmio e Internacional, encerrado com empate na tarde deste sábado, terminou em polêmica, como de costume. Romildon Bolzan, presidente do time tricolor, reprovou a arbitragem de Wilton Pereira Sampaio. Já o técnico Renato Gaúcho, além de reclamar de três supostos pênaltis, afirmou que o rival joga como pequeno.

No primeiro tempo, os gremistas viram falta de Fabiano sobre Bruno Cortez dentro da área. Na etapa complementar, pediram pênalti de Patrick sobre Luan e reclamaram de um lance de mão na bola. Wilton Pereira Sampaio, que será um dos árbitros de vídeo na Copa do Mundo, mandou seguir nas três ocasiões.

?A arbitragem foi um escândalo. Se a arbitragem que o Brasil vai oferecer à Copa do Mundo é essa, acho que nem com árbitro de vídeo conseguimos ter uma correção. Três pênaltis, uma condição desastrosa e leviana. Se é isso que vamos ofertar à Copa do Mundo em termos de arbitragem, podemos começar a rezar?, declarou Bolzan.

O técnico Renato Gaúcho também citou ?três pênaltis legítimos? a favor do Grêmio. Empurrado pela torcida, o time tricolor dominou o arquirrival durante os 90 minutos e criou as melhores oportunidades para marcar, mas não conseguiu furar a retranca de Odair Hellmann.

?É a maneira deles de jogar, a gente respeita e não é problema meu. Mas jogam como time pequeno. A verdade é essa: jogam como time pequeno. Se alguém falar que o Internacional joga como time grande, tem que pensar um pouco se está na profissão certa?, afirmou Renato Gaúcho, irônico com o arquirrival.

?Se eu me colocar no lugar de um torcedor, não gostaria nem um pouquinho. Mas, felizmente, trabalho no Grêmio, trabalho em um grande clube, que a toda hora dá volta olímpica, a toda hora massacra os adversários, como massacramos o Internacional hoje. Só faltou o gol e meu time jogou bem de novo?, afirmou.

Gazeta Esportiva

TAGS