PUBLICIDADE
Futebol


Relembre os caminhos de Real e Liverpool até a final da Liga dos Campeões

Neste sábado, às 15h45 (de Brasília), Real Madrid e Liverpool se enfrentam no Estádio Olímpico de Kiev, na Ucrânia, para decidir o novo vencedor da Liga dos Campeões. O duelo coloca frente a frente dois dos times mais tradicionais do futebol mundial, mas com resultados recentes diferentes: enquanto os espanhóis são os atuais bicampeões da [?]

09:15 | 24/05/2018

Neste sábado, às 15h45 (de Brasília), Real Madrid e Liverpool se enfrentam no Estádio Olímpico de Kiev, na Ucrânia, para decidir o novo vencedor da Liga dos Campeões. O duelo coloca frente a frente dois dos times mais tradicionais do futebol mundial, mas com resultados recentes diferentes: enquanto os espanhóis são os atuais bicampeões da competição, os ingleses não a conquistam desde 2005. Os caminhos dos dois finalistas na atual temporada na competição também foram diferentes.

Os Reds avançaram com facilidade na fase de grupos e nas oitavas de final antes do encontro com o Manchester City nas quartas. Apesar de não terem o favoritismo ao lado, Salah e companhia não tomaram conhecimento dos campeões ingleses e venceram ambos os jogos. O único momento de dificuldade foi na fase semifinal, contra a Roma, outra surpresa da competição.

Por outro lado, o clube da capital espanhola encontrou adversários consideravelmente mais difíceis, incluindo fortes candidatos ao título europeu. Após ficar atrás do Tottenham na fase de grupos, os merengues despacharam Paris Saint-Germain, Juventus e Bayern de Munique para garantir a viagem à capital ucraniana.

Real Madrid deixou vários favoritos pelo caminho

Finalista da Liga dos Campeões pela terceira vez seguida, o Real Madrid não teve vida fácil em momento algum. O time da capital espanhola disputou o grupo H na primeira fase, com Tottenham, Borussia Dortmund e Apoel-CYP e passou para a segunda fase em segundo lugar, atrás dos ingleses.

Os comandados de Zinedine Zidane começaram bem a disputa, com vitórias por 3 a 0 sobre o Apoel em casa e 3 a 1 sobre o Borussia Dortmund na Alemanha. No entanto, a boa sequência foi interrompida pelo Tottenham. Após empate por 1 a 1 no Santiago Bernabeu, o time de Dele Alli e Harry Kane venceu por 3 a 1 em Wembley e chegou à liderança do grupo. Nos últimos dois jogos, goleada de 6 a 0 sobre o Apoel no Chipre e vitória por 3 a 2 sobre o Borussia em casa, o Real garantiu sua classificação, mas na vice-liderança.

A segunda posição no grupo rendeu ao time merengue um adversário ingrato nas oitavas de final: o Paris Saint-Germain, reforçado por Neymar e Mbappé. Mas Cristiano Ronaldo e companhia não tomaram conhecimento dos parisienses. No primeiro jogo, na capital espanhola, o craque português marcou dois gols na vitória por 3 a 1. Na volta, na capital francesa, o PSG desfalcado de Neymar foi derrotado por 2 a 1 e deu adeus à competição.

Nas quartas de final, reeditando a final da última temporada contra a Juventus, Cristiano Ronaldo mostrou por quê foi eleito cinco vezes o melhor do mundo. O português marcou dois gols na vitória por 3 a 0 no jogo de ida, na Itália, incluindo uma obra-prima de bicicleta. No segundo jogo, em Madri, a Juve devolvia o 3 a 0 até os acréscimos, quando CR7 marcou em pênalti polêmico e colocou sua equipe nas semifinais.

Na fase semifinal, o Bayern de Munique foi o adversário da vez e também deu trabalho. No entanto, os alemães pagaram por falhas individuais e pela falta de inspiração de Lewandowski, que não marcou em nenhum dos jogos. Na ida, em Munique, o Real venceu por 2 a 1 mesmo com atuação apagada de Cristiano Ronaldo. Na volta, os espanhóis novamente não jogaram bem, mas empatou em 2 a 2 graças a lambanças do adversário e avançaram à final, na qual tentam o tricampeonato consecutivo contra o Liverpool.

Liverpool desbancou o embalado Manchester City e a surpreendente Roma

Ao contrário do Real Madrid, o Liverpool teve um caminho mais tranquilo no decorrer da competição. Na fase de grupos, o time de Jurgen Klopp terminou na liderança do grupo E, de Sevilla, Spartak Moscou-RUS e Maribor-ESL, com 12 pontos e o segundo melhor ataque da primeira fase, com 23 gols marcados. No entanto, os Reds demoraram para engrenar.

Após dois empates nos dois primeiros jogos, 2 a 2 contra o Sevilla em casa e 1 a 1 contra o Spartak Moscou fora, Firmino e Salah comandaram o Liverpool na goleada por 7 a 0 sobre o Maribor fora de casa na terceira rodada. No jogo seguinte, nova vitória sobre o Maribor, desta vez por 3 a 0. E após novo empate com o Sevilla, por 3 a 3, os ingleses fecharam a primeira fase aplicando outra goleada por 7 a 0, contra o Spartak, com três gols de Philippe Coutinho.

Nas oitavas de final, o Liverpool encontrou pela frente o Porto e não tomou conhecimento do campeão português desta temporada. No jogo de ida, em pleno Estádio do Dragão, os donos da casa viram o senegalês Mané marcar três gols e comandar a goleada por 5 a 0. Com a classificação na mão, os times ficaram no empate sem gols em Anfield no jogo de volta.

O maior desafio do Liverpool na Liga dos Campeões seria nas quartas de final, contra o compatriota Manchester City, que fazia campanha espetacular no Campeonato Inglês. Mesmo assim, os Reds não tomaram conhecimento dos Citizens no primeiro jogo e abriram 3 a 0 no confronto em casa. Na volta, em Manchester, o time de Pep Guardiola saiu na frente, mas Firmino e Salah comandaram a virada do time vermelho, que venceu por 2 a 1.

Depois de passar pelo City, o Liverpool encontrou nas semifinais a surpreendente Roma, que havia eliminado o Barcelona na fase anterior, e pela primeira vez teve dificuldades reais. No jogo de ida, em Anfield, o ataque do Liverpool comandou mais uma goleada, por 5 a 2. No entanto, no Estádio Olímpico de Roma, a equipe italiana esboçou uma reação e venceu por 4 a 2, mas o resultado não foi suficiente. Os ingleses avançaram à final e buscam seu sexto título na história contra os atuais bicampeões.

Gazeta Esportiva