PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Baptista enxerga evolução, mas pede tranquilidade para a Ponte voltar a vencer

A derrota diante do Bragantino, nesta segunda-feira, aumenta a preocupação da Ponte Preta no Campeonato Paulista. A duas rodadas do final da primeira fase, o time foi ultrapassado pelo São Caetano na tabela e caiu para a terceira posição do Grupo B, no momento, ficando de fora do mata-mata da competição. O treinador Eduardo Baptista [?]

12:15 | 06/03/2018

A derrota diante do Bragantino, nesta segunda-feira, aumenta a preocupação da Ponte Preta no Campeonato Paulista. A duas rodadas do final da primeira fase, o time foi ultrapassado pelo São Caetano na tabela e caiu para a terceira posição do Grupo B, no momento, ficando de fora do mata-mata da competição. O treinador Eduardo Baptista não esconde a tensão pelos próximos confrontos, dos quais o primeiro já é nesta quinta-feira, contra o Red Bull Brasil.

?Tenho que trabalhar.  Já estou com o foco no Red Bull. Minha preocupação é essa: de montar a equipe, ver se tem jogadores lesionados e pensar no próximo jogo. Temos mais duas partidas em casa e temos que vencer. É difícil, por tudo o que aconteceu, pela juventude da equipe, mas temos que lutar ainda mais para sair dessa situação?, reconheceu, em coletiva de imprensa pós-jogo.

Visando o amadurecimento e aumentar a confiança da equipe, o técnico continuará a fazer ajustes para o duelo da próxima rodada. Segundo ele, o time alvinegro não está tendo tranquilidade o suficiente para fazer a bola entrar. ?Ontem criamos bastante, chegamos pelos lados e temos que trabalhar. Criamos situações, o Silvinho fez talvez a melhor partida dele, com o Léo Artur como volante. Temos buscado soluções, mas a equipe sofre um pouco com suspensões e lesões. É preciso ter tranquilidade, para que a bola entre e que saiamos dessa situação?, apontou.

Eduardo Baptista também mostrou não ter dúvidas a respeito dos motivos que impossibilitaram a Macaca de obter uma campanha melhor no Paulistão 2018. E novamente bateu na tecla da grande reformulação e da juventude do elenco para explicar a situação. ?Quando você usa dez jogadores da base e contrata sete, se remonta uma equipe do zero. Diferente do que aconteceu em 2016 para 2017. Nesse ano sabíamos do risco. Se contrata homens, não máquinas. Alguns respondem mais rápidos que outros, e nós estamos colocando aqueles que tem respondido melhor?, concluiu.

As duas partidas decisivas da Ponte no campeonato estadual serão no Moisés Lucarelli. Além do RB Brasil, a equipe também enfrentará a Ferroviária na última rodada. Além de vitórias, os comandados de Eduardo Baptista terão de torcer contra o São Caetano para beliscarem a vaga para as quartas de final.

Gazeta Esportiva

TAGS