PUBLICIDADE
Futebol

Chape estreia em 2018 com gol de Ruschel e título da Recopa Catarinense

Mesmo após um breve período para treinos, a Chapecoense já conseguiu erguer uma taça em 2018 logo em sua estreia na temporada. Na noite desse sábado, o Verdão do Oeste venceu o Tubarão por 3 a 2 na Arena Condá em amistoso de pré-temporada e levou o título simbólico da Recopa Catarinense. A partida colocou […]

20:15 | 13/01/2018

Mesmo após um breve período para treinos, a Chapecoense já conseguiu erguer uma taça em 2018 logo em sua estreia na temporada. Na noite desse sábado, o Verdão do Oeste venceu o Tubarão por 3 a 2 na Arena Condá em amistoso de pré-temporada e levou o título simbólico da Recopa Catarinense. A partida colocou a Chape, atual campeã Estadual, diante do campeão da Copa Santa Catarina. Alan Ruschel, um dos seis sobreviventes a maior tragédia esportiva da história, que envolveu o avião da Chapecoense em novembro de 2016, marcou o terceiro gol e se transformou o lance no ponto alto da noite.

A equipe do Tubarão, que carrega o nome de um pequeno município de Santa Catarina, não conseguiu em momento algum do jogo se impor diante dos donos da casa. Melhor time do segundo turno da última edição do Campeonato Brasileiro, classificada à Libertadores da América, a Chapecoense sobrou contra um clube que tem a Série D Nacional e a Copa do Brasil como seus maiores objetivos no ano.

Depois de tanto pressionar, o Verdão abriu o placar com Guilherme, atacante que chegou do Grêmio para reforçar o esquadrão de Gilson Kleina e deu o melhor cartão de visita em sua primeira apresentação. Guilherme aproveitou cruzamento de Apodi pela direita e estufou as redes aos 22 minutos de jogo.

O Tubarão se limitava a marcar e, quando tinha a bola sob domínio, não conseguir trocar mais que três passes sem perder a posse. Dessa forma, só assustou em uma cobrança de falta de Daniel Costa, que raspou o ângulo de Jandrei.

Antes, aos 39, Amaral já havia ampliado a vantagem da Chapecoense. De cabeça, livre no meio da área, o zagueiro completou o cruzamento oriundo de uma cobrança de falta e correu para o abraço.

Na etapa final, apesar do título simbólico da Recopa Catarinense estar em jogo, os dois técnicos não perderam a oportunidade de fazer testes e observar vossos elencos. Kleina trocou logo os 11 atletas, enquanto o Tubarão fez sete substituições.

Com as trocas, o confronto ficou mais equilibrado. Aos poucos, o Tubarão chegava, até que Oliveira carimbou a trave do goleiro Elias. O lance serviu para despertar a Chape, que em seguida partiu em contra-ataque. A zaga do Tubarão falhou, Perotti roubou a bola e Vinícius cruzou para Alan Ruschel, mesmo tropeçando, completar para as redes.

Mais que o terceiro gol da Chape, a jogada emocionou a todos na Arena Condá pelo fato do volante ser um dos seis sobreviventes do acidente aéreo que envolveu toda a delegação do clube em novembro de 2016 e vitimou 71 pessoas.

Na sequência, logo após a saída de bola, o Tubarão conteve parte das comemorações ao anotar um gol polêmico. Nova jogada de bola parada, Matheus Barbosa desviou de cabeça para o meio e Marcus Índio escorou quase embaixo da trave. O jogador estava impedido, mas o trio de arbitragem validou o gol do Tubarão.

E aos 43, depois mais substituições, os reservas do Tubarão mostraram serviço de novo. Eduardo vacilou na saída de bola e Batista ficou livre, dentro da área, para limpar a marcação e bater firme, no canto esquerdo de Elias.

Independente do resultado de 3 a 2 para a Chape, agora as duas equipes se concentram para os últimos dias de treino antes do início do Campeonato Catarinense. A Chapecoense estreia quarta-feira, contra o Concórdia, fora de casa. Enquanto isso, o Tubarão visita o Hercílio Luz no mesmo dia. Ambos os jogos estão marcados para às 20h30 (horário de Brasília).

Gazeta Esportiva