PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

?Larguei a infância para ser o melhor do mundo?, afirma CR7

Quem chamou atenção da mídia nesta quarta-feira foi Cristiano Ronaldo, mas de uma forma pela qual o português não costuma se manifestar. Em carta escrita ao The Players Tribune, o camisa sete fez um resumo da carreira e deixou claro a importância da família para o seu sucesso. A vida em Madri e a relação [?]

19:15 | 04/10/2017

Quem chamou atenção da mídia nesta quarta-feira foi Cristiano Ronaldo, mas de uma forma pela qual o português não costuma se manifestar. Em carta escrita ao The Players Tribune, o camisa sete fez um resumo da carreira e deixou claro a importância da família para o seu sucesso. A vida em Madri e a relação com seu filho foram temas presentes na publicação ao site onde celebridades e personalidades do esporte contam suas histórias.

O início da carreira foi motivado pelo pai, sempre lembrado por Cristiano Ronaldo em seus relatos pessoais. ?Minha principal memória vem quando ainda tinha sete anos e jogava futebol nas ruas da Ilha da Madeira. Não eram em ruas pouco movimentadas, jogávamos no meio dos carros. Até que meu pai me convenceu a ir jogar pelo CF Andorinha e fiz aquilo porque vi que era realmente importante para ele?, revelou Ronaldo. ?Meu pai estava todos os jogos à beira do campo e se orgulhava do que eu fazia. Considero meu primeiro agente, porque ele gostava de dizer aos outros quando eu fazia um ou dois gols?, completou.

A aprovação do restante da família foi parte importante da carreira do jogador do Real Madrid. ?Meu pai sempre estava lá, mas o dia em que nunca vou me esquecer foi quando vi minha mãe e meus irmão na arquibancada. Dava para ver que eles nem sabiam como torcer, mas a presença deles valia a pena. Não tínhamos muito dinheiro, mas naquela época eu não me importava com isso. Apenas com aquele sentimento especial que tomou conta de mim. Me senti protegido e amado?, disse CR7.

A saída da Ilha da Madeira para vestir as cores verde e branca do Sporting foram a grande mudança da sua vida. ?Olho para trás com nostalgia porque minha infância durou muito pouco tempo. O futebol me deu tudo, mas me tirou de casa cedo demais. Com 11 anos fui para Lisboa e lá vivi meu período mais difícil da vida?, afirmou o atacante.

Quatro vezes eleito o melhor do mundo, Cristiano Ronaldo revelou quando surgiu esse sentimento. ?Todos comentavam que eu fazia coisas diferentes, mas também afirmavam que eu era pequeno demais e, a partir desse dia, tomei uma decisão. Deixar de brincar como criança e agir como tal para me tornar o melhor jogador do mundo. Riram quando comentei isso a primeira vez, mas sabia que aquilo estava dentro de mim, a fome que nunca acabava?, ressaltou o capitão português.

O descontentamento com Madri foi tema da carta do português.?Fui para o Real Madrid, onde me dediquei a bater todos os recordes e me tornar uma lenda. Mas lá isso não basta. Se não ganhar tudo você será um fiasco. Mas não levo em conta porque tive um sentimento diferente lá, especial, meu maior presente que foi ser pai?, confessou Cristiano Ronaldo

A relação com seu filho, considerado o maior presente que a vida lhe deu, foi parte especial do texto feito pelo quatro vezes melhor do mundo. ?A final da Liga dos Campeões em Cardiff foi especial, mas quando vi meu filho correndo no campo para comemorar comigo foi tudo diferente e aquele momento foi o mais emocionante da minha vida. Era algo que eu não entendia até ser pai e se compara apenas ao dia que vi minha família na arquibancada. Depois de tantos anos vivendo desse esporte, a lembrança que sempre contarei será a de caminhar com meu filho no campo comemorando um título?, finalizou o camisa sete do Real Madrid e da seleção de Portugal.

Gazeta Esportiva

TAGS