Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Palmeiras treina com goleiro Jailson e centroavante Borja em campo

Após folgar na segunda-feira, o elenco dirigido pelo técnico Cuca se apresentou na Academia de Futebol durante a tarde desta terça. O Palmeiras, adversário do Coritiba no Campeonato Brasileiro, trabalhou com o goleiro Jailson e o centroavante Miguel Borja em campo. Jailson sentiu uma lesão rara no quadril durante a decisão nos pênaltis diante do [?]
17:45 | Set. 12, 2017 Autor - Tipo Notícia

Após folgar na segunda-feira, o elenco dirigido pelo técnico Cuca se apresentou na Academia de Futebol durante a tarde desta terça. O Palmeiras, adversário do Coritiba no Campeonato Brasileiro, trabalhou com o goleiro Jailson e o centroavante Miguel Borja em campo.

Jailson sentiu uma lesão rara no quadril durante a decisão nos pênaltis diante do Barcelona de Guaiaquil, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, no último dia 9 de agosto. Ele foi ao campo ao lado dos outros goleiros nesta terça, mas não treinou com a mesma intensidade dos companheiros e saiu antes dos demais.

Borja, por sua vez, ganhou alguns dias de folga para resolver problemas particulares na Colômbia após integrar a delegação de seu país em duas partidas pelas Eliminatórias Sul-Americanas. De volta à Academia de Futebol, o centroavante participou normalmente do treinamento.

O lateral direito Mayke e o zagueiro Luan, com maior desgaste físico, foram preservados do trabalho com bola em campo reduzido conduzido pelo técnico Cuca. Já o volante Felipe Melo realizou aquecimento junto com o elenco e na sequencia seguiu para atividades de recondicionamento físico.

Com 37 pontos ganhos, 13 a menos que o líder Corinthians, o Palmeiras ocupa a quarta colocação do Campeonato Brasileiro. Às 20 horas (de Brasília) de segunda-feira, pela 24ª rodada do torneio nacional, o time comandado por Cuca pega o Coritiba, no Pacaembu, já que o Palestra Itália estará indisponível.

Contra o adversário paranaense, Cuca não terá Luan e Willian, expulsos por Leandro Vuaden no empate contra o Atlético-MG. Juninho é o favorito para assumir uma vaga no miolo de zaga, enquanto o capitão Dudu pode retomar a condição de titular no ataque.

 

Gazeta Esportiva

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Tóquio: único com chance de pódio, Fratus avança à semi dos 50m livre

Esportes
2021-07-30 13:04:59 Autor Agência Brasil Tipo Notícia

O brasileiro Bruno Fratus disputará logo mais à noite a semifinal dos 50m livre da nataçõ na Olimpíada de Tóquio (Japão). O velocista chegou em primeiro lugar na série oito das eliminatórias ao completar a prova em 21s67, o quarto melhor tempo geral, no Centro Aquático de Tóquio. Em sua terceira Olimpíada, Fratus, de 32 anos, é o último representante da natação brasileira com chance de medalhas em Tóquio. A semifinal está programada para começar às 23h11 (horário de Brasília).  Os oito melhores disputarão a final neste sábado (31), às 22h30. 

Osvaldo, do Fortaleza, foi sondado pelo Vasco

De Saída?
2021-07-30 13:00:13 Autor Horácio Neto Tipo Notícia

O Vasco estaria interessado no atacante Osvaldo, do Fortaleza. O clube carioca estaria de olho no atleta tricolor a pedido do ex-técnico cruzmaltino, Marcelo Cabo, e aguarda o aval de Lisca para investir no jogador de 34 anos. O Esportes O POVO confirmou que o Leão foi procurado semanas atrás, mas que não houve novo contato.

|Leia mais| 

Revelado pelo Leão, Osvaldo soma 177 jogos e 27 gols pelo Tricolor. O atacante perdeu espaço nas últimas temporadas e com Juan Pablo Vojvoda, o ponta é mais utilizado como opção durante as partidas.

Pelo Fortaleza, Osvaldo conquistou os Campeonatos Cearenses de 2008, 2019, 2020 e 2021, uma Copa do Nordeste e a Série B.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

IBGE: indústria contrata 75 mil trabalhadores e comércio demite 289 mil

ECONOMIA
2021-07-30 12:59:51 Autor Agência Estado Tipo Notícia

O comércio fechou 289 mil vagas no trimestre móvel encerrado em maio ante o trimestre terminado em fevereiro, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados nesta sexta-feira, 30, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Também houve perdas de vagas nos outros serviços (-80 mil) e em transporte, armazenagem e correio (-14 mil) em um trimestre.
Ainda na comparação com o trimestre móvel imediatamente anterior, houve contratações na indústria (75 mil), alojamento e alimentação (95 mil), agricultura, pecuária, produção florestal pesca e aquicultura (167 mil), serviços domésticos (127 mil), informação, comunicação e atividades financeiras (408 mil) e administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (116 mil).
Em relação ao patamar de um ano antes, a agricultura ganhou 770 mil trabalhadores. Também houve contratações na construção (653 mil) e em informação, comunicação e atividades financeiras (584 mil).
Houve perdas em todas as demais atividades. O comércio dispensou 290 mil trabalhadores. Alojamento e alimentação fechou 200 mil vagas; administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais demitiram 259 mil trabalhadores; a indústria dispensou 14 mil funcionários. Transporte e armazenagem perdeu 201 mil vagas, e os outros serviços demitiram 322 mil pessoas. Considerando a posição na ocupação, o setor público fechou 301 mil vagas em um ano.
Ainda entre os grupamentos de atividade econômica, os serviços domésticos ganharam 8 mil trabalhadores em um ano. Considerando a posição na ocupação, o contingente de trabalhadores domésticos caiu 0,1% em um ano, com 5 mil trabalhadores a menos na comparação com o trimestre móvel terminado em maio de 2020. Na comparação com o trimestre móvel terminado em fevereiro, são 120 mil trabalhadores domésticos a mais.
O quadro de estabilidade no trabalho doméstico não é motivo de comemoração, disse Adriana Beringuy, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE. "O serviço doméstico teve uma estabilidade, mas sofreu muito em 2020. A estabilidade remonta a perdas muito grandes", afirmou a pesquisadora.
Defasagem
A Pnad Contínua referente ao segundo trimestre, prevista para ser divulgada daqui a um mês, teve seu período de coleta prorrogado para a próxima quarta-feira, 4, diante da expectativa de ver a taxa de resposta elevada acima de 60%, afirmou Adriana Beringuy.
Apesar do otimismo com a melhora na taxa de respostas da Pnad Contínua, o IBGE ainda trabalha para divulgar ajustes na série histórica da pesquisa "nos próximos meses" e não tem data definida para diminuir defasagem da divulgação.
Desde março de 2020, por causa da pandemia de covid-19, o IBGE suspendeu as visitas presenciais de pesquisadores para coletar dados, o que piorou a taxa de resposta da Pnad Contínua e elevou a defasagem na divulgação. Atualmente, os dados são divulgados cerca de dois meses após o período de referência - a edição do trimestre móvel até maio foi divulgada hoje.
Na leitura referente ao trimestre móvel encerrado em abril, a taxa de resposta havia sido de 55,8%. Na Pnad Contínua do trimestre até maio, divulgada hoje, a taxa de resposta foi de 57,9%, como informou o IBGE ao Estadão/Broadcast no último dia 12. O aumento na taxa de resposta de um mês para o outro se deve ao retorno gradual da coleta presencial de informações, processo que continua ocorrendo, segundo Adriana.
No último dia 12, o IBGE informou que retornaria à coleta presencial de forma gradual, seguindo protocolos sanitários. Inicialmente, a coleta presencial está sendo feita apenas nos casos em que não for possível obter os dados pelo telefone. As unidades estaduais têm autonomia para decidir sobre a coleta presencial condicionada à evolução local da pandemia.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

13º de aposentados e precatórios influenciaram déficit primário em junho, diz BC

ECONOMIA
2021-07-30 12:49:50 Autor Agência Estado Tipo Notícia

O chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central (BC), Fernando Rocha, destacou nesta sexta-feira que a antecipação do 13º de aposentados e pensionistas e a alta nos pagamentos de precatórios pela União em junho explicam o aumento do déficit primário do setor público em relação a maio.
Apenas o rombo da Previdência aumentou R$ 27,7 bilhões de um mês para outro. O setor público consolidado (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção de Petrobras e Eletrobras) apresentou déficit primário de R$ 65,508 bilhões em junho. Em maio deste ano, havia sido registrado déficit de R$ 15,541 bilhões e, em junho de 2020, déficit de R$ 188,682 bilhões.
"Já na comparação com o ano passado, o resultado melhorou bastante porque tivemos em junho 2020 o maior déficit fiscal da história para o mês, em função dos gastos para enfrentar a pandemia de covid-19.
Além dessas despesas, em junho do ano passado estávamos no momento mais agudo da crise, com queda na arrecadação e diferimento de tributos", completou.
Rocha apontou ainda que a melhora no superávit dos governos regionais se deve ao crescimento da arrecadação de tributos e aos repasses da União para Estados e municípios.O resultado fiscal de junho foi composto por um déficit de R$ 75,083 bilhões do Governo Central (Tesouro Nacional, Banco Central e INSS). Já os governos regionais (Estados e municípios) influenciaram o resultado positivamente com R$ 8,391 bilhões no mês.
Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 7,541 bilhões, os municípios tiveram resultado positivo de R$ 850 milhões. As empresas estatais registraram superávit primário de R$ 1,183 bilhão.
Pagamento de juros
Fernando Rocha também disse que o ganho de R$ 21,7 bilhões do BC com swaps cambiais ajudou a reduzir a conta de juros do setor público em junho. O setor público consolidado teve despesas de R$ 10,086 bilhões com os juros da dívida pública em junho, após ter encerrado maio com gastos de R$ 21,897 bilhões. Segundo Rocha, sem esse efeito dos swaps, o pagamento de juros teria sido de R$ 32 bilhões no mês passado.
"Sem esse efeito dos swaps cambiais, teria havido um aumento da conta de juros tanto em relação a maio quanto em relação a junho do ano passado, devido ao aumento da Selic e da inflação", completou Rocha.
Dívida
O chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central afirmou que o aumento de 1,1 ponto porcentual da dívida líquida em proporção Produto Interno Bruto (PIB) do de maio para junho se deve principalmente ao déficit nominal R$ 75,6 bilhões no mês passado.
A Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) passou de 59,8% (dado revisado) para 60,9% do PIB em junho. A DLSP atingiu R$ 4,878 trilhões. A dívida líquida apresenta valores menores que os da dívida bruta porque leva em consideração as reservas internacionais do Brasil.
"Outro efeito que explica o aumento da dívida líquida em junho foi a apreciação cambial de 4,4% no mês", afirmou. "Já o aumento do PIB nominal no mês puxou a dívida para baixo, contrabalançando esses efeitos e equilibrando um pouco a alta da DLSP", completou.
Já a Dívida Bruta do Governo Geral (DBGG) fechou junho aos R$ 6,729 trilhões, o que representa 84,0% do PIB. Apesar de o endividamento ter crescido nominalmente, o porcentual, divulgado nesta sexta pelo Banco Central, é menor que os 84,6% de maio (dado revisado).
"O principal fator para a redução da dívida bruta em porcentual em junho foi o aumento do PIB nominal, que cresceu mais aceleradamente que a dívida no mês. E, diferentemente da dívida líquida, no caso da dívida bruta a apreciação cambial contribui para reduzir o estoque", explicou.
No melhor momento da série, em dezembro de 2013, a dívida bruta chegou a 51,5% do PIB. A Dívida Bruta do Governo Geral - que abrange o governo federal, os governos estaduais e municipais, excluindo o Banco Central e as empresas estatais - é uma das referências para avaliação, por parte das agências globais de classificação de risco, da capacidade de solvência do País. Na prática, quanto maior a dívida, maior o risco de calote por parte do Brasil.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

No 7º dia olímpico, boxe garante a 8º medalha brasileira

OLIMPÍADA EM TÓQUIO
2021-07-30 12:34:00 Autor O Povo Tipo Notícia

Num dia encerrado com poucos brasileiros com chances de pódio, a 8º medalha brasileira veio no boxe. Ainda não se sabe a cor. Abner Teixeira, na categoria 91kg, derrotou o jordaniano Hussein Ishaish por 4 a 1 na decisão dos árbitros e avançou entre os 4 melhores.

No boxe, quem perde a semifinal não disputa bronze. Os 2 perdedores recebem medalha. Na semifinal, Abner vai enfrentar o favorito da categoria, o cubano Julio de La Cruz. O cubano foi campeão olímpico e 4 vezes campeão mundial em outro peso. Na categoria 81kg, Keno Machado foi eliminado pelo britânico Benjamin Whittaker por 3 a 2.

No feminino, a campeã mundial dos 60kg Bia Ferreira, estreou com vitória contra Shih-Yi de Taipei por decisão unanime dos árbitros. Nas quartas de finais, já valendo medalha, pega a usbeque Raykhona Kodirova.

Vamos ao resumo do Brasil em mais um dia de competições:

Vela - As atuais campeãs olímpicas Martine Grael/ Kahena Kunze tiveram uma boa madrugada de resultados na classe 49er e assumiram a 3º posição após 9 regatas realizadas. Restam 3 regatas, além da regata da medalha, com pontuação dobrada. São 4 duplas que abriram vantagem em relação as demais e devem brigar por medalhas. A dupla holandesa tem 41 pontos perdidos, a espanhola 42, a brasileira 47 e a britânica 48. Já na classe Laser, Robert Scheidt teve 2 resultados ruins e caiu para o 6º lugar, restando apenas a regata da medalha. Ainda pode brigar pelo bronze.

Saltos ornamentais - o Brasil fez a estreia com Luana Lira na prova de trampolim. Ela terminou na 21º posição e a não avançou as semifinais entre as 18 melhores. A principal expectativa de bons resultados do Brasil estarão nas provas de plataforma masculina com Kawan Pereira e plataforma feminina com Ingrid Oliveira.

Handebol - Após 3 derrotas, a seleção masculina venceu o 1º jogo na Olimpíada: 25 a 23 contra a eterna rival de continente Argentina. O Brasil chegou a abrir 12 gols de diferença, permitiu a reação no 2º tempo, mas garantiu as chances de classificação para as quartas de finais. Para isso, vai precisar derrotar a Alemanha na última rodada.

Vôlei - A seleção brasileira masculina tomou um susto, perdeu o 1º set por 32 a 30 para os Estados Unidos, mas conseguiu reagir e vencer por 3 a 1. Agora o Brasil soma 3 vitórias e uma derrota. Na última rodada enfrenta a França.

Futebol feminino - A seleção brasileira desde 2008 não conquista uma medalha olímpica. E mais uma vez foi eliminada. Empatou com o Canadá em 0 a 0 e perdeu na disputa de penaltis. A técnica brasileira Pia, duas vezes campeã olímpica e uma vice, desta vez fica sem medalha olímpica. As semifinais terão Estados Unidos x Canadá e Suécia x Austrália. A Holanda, que fez 21 gols na 1º fase foi eliminada pelos Estados Unidos

Remo - Lucas Verthien terminou sua participação no single skiff com o 12º lugar na classificação geral. Foi uma campanha acima do esperado. O ouro foi surpreendente. Vitória do grego Stefanos Ntoukos.

Natação - Bruno Fratus, principal candidato a medalha dentre os brasileiros, estreou na eliminatória dos 50 livres e avançou a semifinal com o 4º tempo. Bruno tem duas medalhas de prata em mundiais neste ciclo olímpico na prova. Já no feminino dos 50 livres da mesma prova, Etiene Medeiros ficou apenas na 29º posição. Outra prova em que o Brasil foi eliminado é a do revezamento 4x100 medley masculino. A equipe fez tempo para avançar a final mas foi desclassificada por irregularidade na passagem de um dos atletas.

Atletismo - modalidade começou a ser disputada na noite de quinta-feira. A boa notícia para o Brasil foi a classificação a semifinal do principal atleta, Alison dos Santos nos 400 com barreiras. Ele fez o 2º melhor tempo dentre os competidores.

Vôlei de praia - Bruno e Evandro avançaram a 2º fase após vencerem o 3º jogo no grupo, contra os poloneses Bryl/ Fijalek. O detalhe é que caso as duas duplas brasileiras masculinas vençam seus jogos nas oitavas de finais, se enfrentam nas quartas

Judô - no último dia de disputas no individual, o Brasil ficou sem medalhas. Rafael Baby e Maria Suelen nas categorias dos pesados foram eliminados. Suelen inclusive saiu contundida e não vai participar da disputa por equipes.

Ciclismo BMX - o brasileiro Renato Rezende terminou em 14º lugar na classificação geral. Após 3 baterias eliminatórias, ele não conseguiu chegar na decisão de medalhas. O ouro ficou com o holandês Niek Kimmann, um dos favoritos após vencer diversas etapas da Copa do Mundo antes da pandemia.

Canoagem slalom - Pepe Gonçalvez foi apenas o 19º entre 20 atletas na semifinal do caiaque individual masculino e não conseguiu vaga para a final. O ouro ficou com o experiente tcheco Jiri Prskavec, duas vezes campeão mundial.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags