PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Capitão do Brasil, Marcelo combate acomodação após classificação

O lateral esquerdo Marcelo foi contemplado com a faixa de capitão da Seleção Brasileira contra o Equador, na quinta-feira, na Arena do Grêmio ? o técnico Tite adota um rodízio na função. Em seu primeiro ato como líder, o jogador do Real Madrid pregou contra a acomodação na única equipe sul-americana já classificada para a [?]

21:30 | 30/08/2017

O lateral esquerdo Marcelo foi contemplado com a faixa de capitão da Seleção Brasileira contra o Equador, na quinta-feira, na Arena do Grêmio ? o técnico Tite adota um rodízio na função. Em seu primeiro ato como líder, o jogador do Real Madrid pregou contra a acomodação na única equipe sul-americana já classificada para a Copa do Mundo de 2018.

?Não existe tranquilidade por já estarmos classificados. Sabemos o que temos que melhorar. O professor Tite sempre vem com uma coisa nova. Nunca está bom. É um caminho duro porque queremos colocar a Seleção no lugar mais alto, onde ela deve estar. Para chegar lá, temos que sofrer. Então, a mentalidade não muda?, discursou Marcelo, para quem o Brasil ?não ganhou absolutamente nada?.

Ouvindo com atenção as palavras do seu lateral esquerdo, Tite se encheu de orgulho principalmente quando ele falou sobre o prazer de defender o time nacional. ?Fico muito feliz por ter ganhado a Champions League, mas o que não tem preço é representar o meu país, ver o povo feliz, a minha família sorrindo. Isso é muito maior do que uma Champions?, bradou Marcelo. ?Essa foi a resposta que ele me deu por telefone?, interrompeu o técnico.

Com essa postura, na visão de Tite, Marcelo está pronto para ser mais um jogador a usar a braçadeira do Brasil. ?Sou o décimo que vestirá essa faixa nessa Seleção, mas não muda muita coisa. Cada um tem a sua parcela de ajuda aqui dentro. O Tite sempre deixa isso bem claro para a gente?, disse.

O que também não muda, segundo Marcelo, é o comportamento dos jogadores do Brasil. Contestador diante de jornalistas, o jogador não gostou de ouvir que o elenco era menos brincalhão antes de confirmar presença no Mundial da Rússia.

?Vocês não viam brincadeiras porque não queriam. A gente era igual quando o Brasil não estava classificado ? ria, ficava triste, irritado? Essa tranquilidade não é agora. O professor passa a tranquilidade para a gente executar o nosso trabalho?, concluiu o capitão do Brasil.

Gazeta Esportiva

TAGS