Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Internacional volta a jogar mal e acaba derrotado por 2 a 1 pelo Vila Nova neste sábado

O resultado deixou o Inter com 24 pontos ganhos e mais distante da zona de acesso da Série B do Campeonato Brasileiro
19:20 | Jul. 22, 2017
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

Sem nenhuma testemunha nas arquibancadas do Serra Dourada, que estava com os portões fechados por determinação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Internacional voltou a jogar mal e acabou derrotado por 2 a 1 pelo Vila Nova neste sábado. Os gols foram de Alípio e Mateus Anderson (já aos 45 minutos do segundo tempo) para o time mandante e de William Pottker (de pênalti) para os visitantes.

O resultado deixou o Inter com 24 pontos ganhos e mais distante da zona de acesso da Série B do Campeonato Brasileiro. O Vila Nova, que vinha de derrotas para o Paysandu e o Santa Cruz, subiu para 26 e ocupa o quarto lugar – ameaçado pelo CRB, que soma 24 e receberá o líder Guarani ainda neste sábado.

O Inter não terá muito tempo para se recuperar para a próxima rodada da segunda divisão nacional. Enfrentará o Oeste, no Beira-Rio, já na terça-feira, enquanto o Vila Nova só jogará contra o Figueirense, no Orlando Scarpelli, no sábado que vem.

 

Jogo

O Internacional conseguiu conter as investidas do Vila Nova, como queria o técnico Guto Ferreira, mas também não se mostrou perigoso nos primeiros minutos de partida. Atacava quase sempre pela esquerda e pouco fazia a bola chegar a William Pottker. Ao gol adversário, então, menos ainda.

Do outro lado, mesmo sem ninguém para empurrá-lo nas arquibancadas, o Vila Nova começou a se soltar aos poucos. Nas chances que teve para incomodar os visitantes, contudo, viu o goleiro Danilo Fernandes trabalhar bem, principalmente após a parada técnica para os jogadores se hidratarem.

Aos 42 minutos, na última oportunidade do Vila Nova na primeira etapa, a bola até passou por Danilo Fernandes, mas também pela meta. Gastón Filgueira foi acionado dentro da área depois de jogada pela esquerda e soltou o pé. Mandou para fora.

Logo no início do segundo tempo, o Inter mostrou um meio para amenizar a sua falta de criatividade ofensiva – chutou de longe com Cláudio Winck, enfim fazendo o goleiro Luis Carlos trabalhar. Era pouco, contudo, para um time com a tradição do clube gaúcho.

A situação pioraria. Aos 13 minutos, Gastón Filgueira teve liberdade para fazer o cruzamento da esquerda para Alípio, que tirou proveito do vacilo da defesa do Inter e superou Danilo Fernandes com uma conclusão sútil dentro da área. O Vila Nova havia aberto o placar.

Preocupado, Guto Ferreira trocou imediatamente Diego por Eduardo Sasha. Pouco depois, Felipe Gutiérrez também saiu, para a entrada de Juan. No Vila Nova, Hemerson Maia respondeu com a substituição de Alípio, o autor do gol, por Mateus Muller.

O Inter levou a melhor após as mudanças. Aos 24 minutos, Uendel cruzou em cima de Mateus Anderson, que não conseguiu recolher o braço. Pênalti, de acordo com o árbitro Vinicius Furlan. William Pottker se apresentou para a cobrança e bateu no canto. A bola ainda tocou em Luis Carlos antes de entrar.

O Vila Nova se enervou com a arbitragem a partir de então – a ponto de o técnico Hemerson Maia acabar expulso. Ainda assim, chegou à vitória. Aos 45 minutos, Tiago Adan, o substituto de Moisés, fez grande jogada pelo lado esquerdo da área e passou a bola para Mateus Anderson completar para a rede.

No final, o Vila Nova ainda perdeu Geovane, expulso por cometer falta no meio-campo. Àquela altura, no entanto, a desvantagem numérica em relação ao Inter pouco importava para o time goiano.

FICHA TÉCNICA
VILA NOVA 2 X 1 INTERNACIONAL

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data: 22 de julho de 2017, sábado
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Assistentes: Vitor Carmona Metestaine (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
Cartões amarelos: Geovane e Gastón Filgueira (Vila Nova); Víctor Cuesta, Cláudio Winck, Rodrigo Dourado e Joanderson (Internacional)
Cartão vermelho: Geovane (Vila Nova)
Gols: VILA NOVA: Alípio, aos 13, e Mateus Anderson, aos 45 minutos do segundo tempo; INTERNACIONAL: William Pottker, aos 25 minutos do segundo tempo

VILA NOVA: Luis Carlos; Maguinho, Wesley, Alemão e Gastón Filgueira; PH, Geovane, Alan Mineiro, Alípio (Mateus Muller) e Mateus Anderson; Moisés (Tiago Adan)
Técnico: Hemerson Maia

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Cláudio Winck, Danilo Silva, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Fabinho, Felipe Gutiérrez (Juan) e D’Alessandro; Diego (Eduardo Sasha) e William Pottker
Técnico: Guto Ferreira

(Gazeta Esportiva)

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Tabata Amaral justifica voto a favor da privatização dos Correios

Serviço postal
23:43 | Ago. 05, 2021
Autor Lara Vieira
Foto do autor
Lara Vieira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A deputada Tabata Amaral (PDT) gerou repercussão negativa nas redes sociais sobre seu posicionamento a favor da privatização dos Correios. O projeto, apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), foi aprovado nesta quinta-feira, 5, durante votação na Câmara dos Deputados. Em resposta às manifestações, Tabata compartilhou vídeo onde explica o motivo de seu posicionamento.

Em suas redes sociais, apesar de ter votado favoravelmente, Tabata Amaral declarou que votou contra a urgência do projeto pois considera que a discussão não é uma prioridade. “Votei contra a urgência do projeto, por entender que essa discussão não é prioritária, mas sou favorável ao mérito do PL. O Estado deve, sim, executar diretamente atividades que garantam a nossa segurança nacional ou que sejam essenciais, como saúde e educação”, escreveu.

“Mas esse já não é o caso dos serviços postais. Precisamos fazer um debate honesto e sem generalizações sobre concessões e desestatizações”, concluiu a deputada. Segundo ela, é importante, no entanto, que os Correios continuem a oferecer universalização dos serviços.

Durante o vídeo, Tabata argumenta que, desde a década de 1950, o setor privado atua no serviço de entregas de encomendas. “O projeto de concessão dos serviços postais e desestatização dos Correios tem como contrapartida que esses serviços continuem sendo universais e acessíveis a todos os brasileiros, independentemente de localização ou renda. Isso é inegociável pra mim!”, escreveu a deputada. Ao todo, foram 286 votos favoráveis a privatização, 173 contrários e 2 abstenções.

 


Resultados

Os partidos PT, PSB, PDT, PSOL, PCdoB, Rede orientaram a seus representantes que votassem contra. Outros 16 partidos defenderam a proposta: PSL, PL, PP, PSD, MDB, Republicanos, PSDB, DEM, Solidariedade, PSC, PROS, PTB, Novo, Avante, Cidadania e Patriota. Podemos e PV liberaram suas bancadas.

Apenas PT, PSOL, PCdoB e Rede votaram integralmente contra a privatização. Além de Tabata Amaral, outros integrantes de partidos oposicionistas também votaram q favor do projeto, como Felipe Rigoni (PSB-ES), Emidinho Madeira (PSB-MG), Rodrigo Coelho (PSB-SC), Jesus Sérgio (PDT-AC), Alex Santana (PDT-BA) e Flávio Nogueira (PDT-PI), Marlon Santos (PDT-RS).

Do mesmo modo, alguns representantes de partidos que se mostraram favoráveis ao projeto descumpriram as orientações e votaram contra a privatização dos Correios, como os deputados Fábio Trad (PSD-MS), André Janones (Avante-MG) e Alexandre Frota (PSDB-SP).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Com bateria grande e custando R$ 999, Realme C11 chega ao Brasil

Tecnologia
23:42 | Ago. 05, 2021
Autor Bemfica de Oliva
Foto do autor
Bemfica de Oliva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

A fabricante de eletrônicos Realme lançou no Brasil nesta quarta-feira, 4, seu novo smartphone de entrada. Chamado de C11, o modelo traz configurações básicas e tenta conquistar o cliente com bateria grande e preço competitivo.

Segundo a fabricante, otimizações no sistema operacional permitem ao celular até 43 dias em standby. Além dos componentes focados mais em economizar energia que em performance, há também alguns truques de software, como o aplicativo Quick Freeze, que reduz atividades em segundo plano no celular e animações na tela para diminuir o gasto de bateria.

Nas outras configurações, o Realme C11 traz uma tela de 6,5" com resolução HD+, 32 GB de armazenamento interno (com entrada para cartão MicroSD de até 256 GB), câmera traseira de 8 MP e frontal de 5 MP. Por dentro, o processador é o Unisoc SC9863A, e há 2 GB de RAM. Ele roda o Android 11 na versão Go, que é simplificada para smartphones com especificações básicas.

Realme C11: preço e onde comprar

Com preço sugerido de R$ 999, o Realme C11 está disponível no varejo e na loja virtual da fabricante. Ele está disponível nas cores cinza e azul.

Mais sobre smartphones

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Crime de responsabilidade de Bolsonaro: simples assim

POLÍTICA
23:31 | Ago. 05, 2021
Autor Érico Firmo
Foto do autor
Érico Firmo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Opinião

O presidente Jair Bolsonaro reagiu à sua inclusão no inquérito das Fake News, no Supremo Tribunal Federal (STF), com ameaça à Constituição. "Eu jogo dentro das quatro linhas da Constituição. E jogo, se preciso for, com as armas do outro lado." O presidente acrescentou: "Está dentro das quatro linhas da Constituição? Não está. Então o antídoto para isso também não está dentro das quatro linhas. Aqui ninguém é mais macho que ninguém."

O artigo 85 da Constituição Federal diz: "São crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentem contra a Constituição Federal." Simples assim. Bolsonaro incorre em crime de responsabilidade, explicitamente.

Bolsonaro tem história de defesa da ditadura militar, de torturadores. Desde a década de 1980, quando passou a ter visibilidade. A família segue a tendência. Em 2018, antes do primeiro turno, o filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, afirmou: "Se quiser fechar o STF, sabe o que você faz? Não manda nem um jipe. Manda um soldado e um cabo. Não é querer desmerecer o soldado e o cabo." Alguns acham que é só bravata. Outros aplaudem ameaça de fechar o Supremo, de descumprir deliberadamente a Constituição.

Quem tolera uma ameaça como essa de Bolsonaro, na melhor e mais bondosa das hipóteses, acredita que o presidente da República é alguém que não merece ser levado a sério. É muita benevolência. Porque Bolsonaro chegou ao patamar no qual não é possível estar ao lado dele sem compactuar com ameaças à Constituição. Que cada um arque com o significado disso à própria história.

Ah, mas ele faz isso porque o Supremo Tribunal Federal (STF) também descumpre a Constituição. Olha, eu já critico o inquérito das fake news há mais de ano. Acho absolutamente descabido o entendimento adotado para o ministro Alexandre de Moraes se atribuir superpoderes na condução. Independentemente de haver fatos graves a investigar. Virou um inquérito onde cabe tudo e no qual o relator pode tudo. Mas, isso se questiona no âmbito processual, dentro dos mecanismos institucionais.

Reagir com abuso a eventuais abusos cometidos contra ele não fazem Bolsonaro ter razão. Apenas resulta em dois errados, que definitivamente não fazem um certo. De mais a mais, o STF pode até estar errado, e eu assim entendo, mas aponta suas justificativas para a constitucionalidade do inquérito. Se Bolsonaro sair das “quatro linhas” da Constituição, não será por divergência de entendimento. Ele deixou mais que claro que faz de caso pensado.

Nem disfarça

O autoritarismo costuma tentar dar aparência de legitimidade aos arbítrios. Na Venezuela, Hugo Chávez fez uma coisa que Bolsonaro disse pretender no Brasil. Ele aumentou drasticamente o número de juízes na Suprema Corte. Com o aumento, ele indicou a maioria do tribunal, que passou a julgar de acordo com o que ele queria. E assim avalizou a reforma do Estado venezuelano. O aumento passou pelo Parlamento. As mudanças foram referendadas pela Corte. Teoricamente, cumpriu o rito institucional, mas é autoritário. Tem gente que acha errado Chávez ter feito isso, mas achará certo se Bolsonaro agir igual. Tem o contrário também.

Há quem defenda que no Brasil não houve golpe militar, porque o Congresso Nacional decretou a vacância do cargo de presidente. Foi na noite de 1º de abril de 1964. O Congresso entendeu que o presidente João Goulart havia fugido do Brasil, em que pese a manifestação do ministro-chefe da Casa Civil, Darcy Ribeiro, de que Jango estava em território nacional, no Rio Grande do Sul. (Parênteses: o cargo era ocupado por Darcy Ribeiro e hoje é de Ciro Nogueira.) O argumento de que não houve golpe nem mesmo leva em conta que a alegada, e falsa, saída de Jango do Brasil teria ocorrido em meio a levante armado para tirá-lo do poder.

Estou lembrando isso para mostrar que se tenta dar verniz de legitimidade aos piores arbítrios. Bolsonaro, porém, nem disfarça.

Podcast Jogo Político:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Olimpíadas: COI retira credenciais de dois técnicos bielorrussos por caso Tsimanouskaya

Jogos Olímpicos
23:29 | Ago. 05, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Comitê Olímpico Internacional (COI) retirou as credenciais de dois treinadores bielorrussos e pediu-lhes para deixar a Vila Olímpica por suposta tentativa de obrigar a atleta Krystsina Tsimanouskaya a voltar para seu país, informou a entidade esportiva nesta sexta-feira (noite de quinta, no Brasil).

O COI adotou a medida "no interesse do bem-estar dos atletas de Belarus que ainda estão em Tóquio", informou o comitê no Twitter.

A entidade informou esta semana que estava investigando os técnicos por seu papel no caso de Krystsina Tsimanouskaya, que buscou proteção para evitar ser forçada a voltar para seu país.

Ela disse temer por sua vida se tivesse que retornar a Belarus, sacudida por um levante político e uma dura repressão a dissidentes depois das contestadas eleições que mantiveram no poder o homem forte do país, Alexander Lukashenko, no ano passado.

Tsimanouskaya é uma das mais de duas mil personalidades do esporte bielorrusso que assinaram uma carta pedindo novas eleições e a libertação de presos políticos.

Seus problemas em Tóquio ocorreram depois que ela fez uma postagem no Instagram, criticando seus técnicos por inscrevê-la em uma corrida sem informá-la antes.

O COI informou que os dois técnicos "terão a oportunidade de serem ouvidos".

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Fim de semana será de ventos mais fortes no litoral cearense; vejo os cuidados necessários

Ceará
23:28 | Ago. 05, 2021
Autor Marília Serpa
Foto do autor
Marília Serpa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O litoral cearense pode ter rajadas de ventos de até 61 km/h até a manhã de domingo, 8, de acordo com a previsão do Centro de Hidrografia da Marinha (CHN). Nesta quinta-feira, 5, o órgão emitiu um aviso de ventos fortes na zona costeira entre Natal (RN) e Parnaíba (PI), cruzando toda a faixa litorânea cearense.

Por medida de segurança, o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE) recomenda que os banhistas redobrem a atenção no mar, bem como os praticantes de esportes náuticos. O coronel tenente André Ribeiro do CBMCE explica que a velocidade dos ventos influencia na agitação do mar, podendo gerar correntezas maiores.

“O vento causa agitação maior no mar, mas não tem relação com a altura das ondas. O que causa maior perigo nesse momento é a questão da correnteza, onde a ondulação das ondas vai na mesma direção do vento”, explica o coronel.

De acordo com o tenente, quando a Marinha emite comunicados como esse, muitos praticantes de esportes náuticos são atraídos para as praias do litoral a fim de aproveitar os ventos mais fortes. No entanto, os cuidados essenciais não podem ser deixados de lado.

“Os atletas precisam fazer assentamento de risco, que é avaliar as condições da velocidade dos ventos, além de observar as condições geográficas, de velejo e de saúde. É importante também possuir o equipamento correto e necessário para as condições”, ressalta André.

Cada praia apresenta suas características peculiares. É importante que os frequentadores dos diferentes locais do litoral cearense durante esse fim de semana se informem com os guarda-vidas presentes sobre a existência de pedras no mar, correntes de retornos, valas e correntezas.

Aos banhistas, o tenente coronel explica que, muito provavelmente, se observe que o local de entrada e de saída do mar não serão os mesmos por conta da correnteza que tende a puxar as pessoas em determinada direção. Os cuidados envolvem não consumir bebidas alcoólicas se for entrar na água, respeitar as sinalizações, também buscar orientações com os guarda-vidas sobre as condições e evitar entrar no mar após consumir alimentos.

A expectativa é que ocorrências de ventos em alta intensidade possam ser registradas no Ceará durante todo o mês de agosto. A Marinha mantém avisos diários de mau tempo no site do órgão e por meio do aplicativo “Boletim Mar”, disponível para download na App Store e Google Play.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags