PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Entenda como a conjunção de Júpiter e Saturno no signo de Aquário afeta o mundo

O POVO conversou com as astrólogas Isabella Torquato e Tyfani Justo. Especialistas comentaram como o alinhamento dos dois grandes planetas deve refletir nas esferas pessoais e coletivas nos próximos anos

Gabriela Feitosa
10:55 | 23/12/2020
As astrólogas Isabella Torquato e Tyfani Justo explicam novo ciclo de Aquário, que deve durar 20 anos (Foto: Pixabay)
As astrólogas Isabella Torquato e Tyfani Justo explicam novo ciclo de Aquário, que deve durar 20 anos (Foto: Pixabay)

Vistos da terra, os dois maiores planetas do sistema solar - Júpiter e Saturno - se alinharam quase que perfeitamente no dia 21 de dezembro. Gigantes e brilhantes, os astros protagonizaram um fenômeno raro e significativo para a humanidade: desde 1623 não víamos eles tão próximos um do outro. O alinhamento aconteceu em dia de solstício de verão no Hemisfério Sul, que também marca início da estação quente no Brasil.

Nesse mesmo céu, astrologicamente temos a entrada do Sol e Mercúrio no signo de Capricórnio, e a mudança mais significativa: Júpiter e Saturno fazem conjunção no signo de Aquário. Será ele o guia dos próximos 20 anos. O 11º signo do zodíaco, o representante da mudança, renovação, da solidariedade. Desde o dia 21 de dezembro, deixamos o ciclo de Touro para trás e embarcamos nessa aventura que é pensar no outro.

Como disse a astróloga Claudia Lisboa em seu minicurso sobre o tema, se “o céu foi quem primeiro nos viu nascer”, chegou nossa hora de vê-lo se transformar. Para O POVO, Isabella Torquato, astróloga especialista em mapas individuais, conta que os eventos citados acima marcam o início de uma época. “Júpiter e Saturno são marcadores ou senhores do tempo. As aproximações deles sempre foram marcos
do tempo e mudança na sociedade”, explica.

Esse movimento de sair do signo Touro, que regeu os últimos 20 anos e carrega características de materialidade, produção, assuntos financeiros, e chegar em Aquário - signo das relações, trocas, comunicação - demonstra que 2021 e os anos seguintes trazem novas perspectivas para a humanidade. “Um resumo dessa conjunção: a velha estrutura se quebra para expansão de novos caminhos que ainda estão por vir”, acrescenta a astróloga.

Paciência para colher os frutos

 

Tyfani Justo, especialista em Astrologia Psicológica, área que compreende a energia do mapa astral como a representação do funcionamento interno e psique de uma pessoa, concorda que a conjunção dos planetas representa mudanças sociais. Segundo a astróloga, é comum que ciclos regidos por essa conjunção tragam mudanças nos âmbitos sociais, econômicos e de comportamento da sociedade.

O ciclo em Aquário deve predominar pelos próximos 20 anos. Após esse período, os planetas ainda seguem regidos pelo elemento Ar, transitando também para Gêmeos e Libra. De forma geral, podemos dizer que os próximos 200 anos serão guiados por signos de Ar. “Antes a nossa sociedade estava orientada na energia da matéria: busca de posses, de terra, de ter coisas. Todas essas energias vieram fortes ao ponto do excesso”, alerta Justo.

O que torna o 21 de dezembro ainda mais significativo é que, além da conjunção de Júpiter e Saturno, temos a mudança do elemento para Ar. Para a astróloga, a mudança histórica não será vista por nós. Ela explica: “200 anos é muito tempo. A gente vai começar a ver essa mudança, porque isso já foi apontado nos anos 80 (quando os planetas também se encontraram em Ar). A mudança real, profunda, não vamos ver”. Assim, a dica é mesmo ter paciência para colher os frutos e pensar em construir um futuro melhor para quem vem depois de nós.

Para saber como essa conjunção pode afetar você, é necessário observar onde Aquário aparece no mapa astral. Sites como Personare, Astrolink e o da Claudia Lisboa disponibilizam o serviço mais básico de forma gratuita. Mas para quem quer se aprofundar, é importante contatar especialistas. Tanto Tifany quanto Isabella fazem consultas.

> Instagram de Tyfani 

> Instagram de Isabella 

A astróloga Tyfani Justo preparou um vídeo sobre como o ciclo de aquário reflete no seu ascendente:

Conflito entre velho e novo

 

Apesar das boas previsões, Isabella Torquarto acredita que o desejo de mudança ainda encontrará resistências nas velhas estruturas de poder. “2021 não é um ano em que tudo vai mudar. A gente está em uma estrutura viciada em poderes, que não inclui as diversidades. Acho que um grande chamado dessa conjunção é que a gente precisa incluir o outro”, comenta a astróloga.

Além de Saturno em Aquário, uma outra característica importante é que Urano estará em Touro nesse novo ciclo. É como se fosse um conflito entre o velho e o novo. “Urano em Touro vem pedir que a gente mude nossos meios de produção e Saturno em Aquário cobra nossas responsabilidades sociais”, detalha Torquato.

Ainda assim, Isabella crê que “estamos tendo a possibilidade de vivenciar uma mudança depois de um 2020 tão difícil”. É o que também comenta Tyfani Justo. Para ela, uma nova realidade entra em choque com os modelos antigos, mas as energias de Aquário devem prevalecer.

LEIA TAMBÉM | Verão no Brasil: quais as perspectivas climáticas para janeiro, fevereiro e março de 2021 

 Isabella Torquato é astróloga e designer. Ela trabalha com mapas gráficos
Isabella Torquato é astróloga e designer. Ela trabalha com mapas gráficos (Foto: Arquivo Pessoal)