PUBLICIDADE
Política
TRÍPLEX DO GUARUJÁ

Moro condena Lula a nove anos e seis meses de prisão

Como a condenação ocorre ainda em 1ª instância, Lula segue elegível e poderá recorrer em liberdade ao TRF-4, em Porto Alegre

13:52 | 12/07/2017

O juiz federal Sergio Moro, relator da Lava Jato no Paraná, condenou nesta quarta-feira, 12, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a nove anos e seis meses de prisão. A condenação ocorre pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex no Guarujá (SP).

Como a condenação ocorre ainda em 1ª instância, Lula segue elegível e poderá recorrer em liberdade ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. Apesar de Lula ser réu em outros processos da Lava Jato, esta é a primeira vez que o ex-presidente, hoje com 71 anos, é condenado na Justiça.

"Entre os crimes de corrupção e de lavagem, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a nove anos e seis meses de reclusão, que reputo definitivas para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva", diz decisão do juiz.

 

Lula pode ficar inelegível

Para que a decisão de Moro tenha quaisquer efeitos práticos, ela precisa ser referendada pela maioria do TRF-4. A Corte superior leva, em média um ano e meio para analisar as sentenças da Lava Jato no Paraná. Caso Porto Alegre confirme a condenação, o ex-presidente ficaria inelegível por até oito anos.

Na ação que embasa a condenação, Lula é acusado de ter se beneficiado de recursos desviados da Petrobras através da compra e reforma de um apartamento tríplex no Guarujá. Os benefícios teriam sido pagos pela empreiteira OAS em troca de contratos com a estatal.

O ex-presidente nega as acusações e afirma ser  vítima de perseguição política por Moro e pela força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal do Paraná. Ele afirma que não existem quaisquer provas de que o imóvel teria sido comprado ou reformado para o beneficiar. 

Redação O POVO Online