PUBLICIDADE
Notícias

336 motoristas são autuados por emissão de fumaça negra em 2012

17:06 | 18/06/2012

Em meio às discussões sobre meio ambiente, preservação e sustentabilidade, no Ceará ainda encontram-se veículos que emitem a famosa fumaça negra. Segundo levantamento feito pelo O POVO Online, somente este ano, 336 motoristas foram autuados, dos 9.097 fiscalizados, porque seus veículos movidos a diesel emitiam fumaça acima do que é permitido pela legislação. A multa, nestes casos, pode variar entre R$ 1.239,33 e R$ 4.957,33.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente do Ceará (Semace), as blitze são feitas quase que semanalmente. A última ocorreu na semana passada, entre os dias 12 e 15. No total, 502 veículos movidos a diesel foram vistoriados e nove estavam emitindo fumaça negra, em Fortaleza, Aquiraz e Maracanaú.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) pontua que a emissão de fumaça negra e material particulado de veículos movidos a óleo diesel contribui para a degradação da qualidade do ar, principalmente, nos centros urbanos, como Fortaleza e a Região Metropolitana. A manutenção correta, portanto, torna-se indispensável para controlar a emissão.

Ainda segundo o levantamento, em 2011, foram 11.905 veículos fiscalizados em 155 blitze e, destes, 431 motoristas foram autuados por estarem irregulares. Em 2010, foram 361 autuados de 7.690 fiscalizados em 139 blitze.

As vistorias
De acordo com a Semace, a medição da intensidade de fumaça emitida pelo escapamento é feita com o auxílio da escala de Ringelmann Reduzido. Ela é composta por cinco cores, variando de cinza claro ao preto total. Na oportunidade, um técnico da Semace faz uma comparação visual da tonalidade do material particulado expelido pelo escapamento com o da cartela.

No caso em que a fumaça apresenta cor mais branda, o automóvel está dentro dos padrões estabelecidos, que é de 20 e 40% da escala. Porém, se a cor for mais escura, o veículo é multado, pois se encontra nos percentuais de 60, 80 e 100%, proibidos pela legislação.

Camila Holanda

[email protected]

TAGS