PUBLICIDADE
Mundo

Governo britânico nega que esteja dividido e despreparado para negociar o Brexit

15:24 | 13/08/2017
O governo do Reino Unido tentou lutar, neste domingo, contra as críticas de divisão interna e de que está despreparado para as negociações da saída britânica da União Europeia, ao dizer que apresentará planos detalhados para o Brexit em breve.

O ministro do Comércio, Liam Fox, forte defensor da saída britânica da UE, e o ministro do Tesouro, Philip Hammond, caracterizado por ser mais pró-UE, escreveram no Sunday Telegraph uma declaração conjunta na qual os dois concordaram que deveria haver um período de transição depois que o Reino Unido deixar formalmente o bloco europeu, em 2019, para evitar uma "barreira" para pessoas e empresas.

Fox e Hammond disseram que o período de transição "não pode ser indefinido e nem pode ser uma porta traseira, pra ficar na UE". Eles não disseram, no entanto, quanto tempo duraria esse período de transição ou quais seriam as regras aplicáveis durante esse tempo.

O governo britânico também afirmou, neste domingo, que deseja aumentar a pressão sobre a UE para começar a negociar uma relação futura "profunda e especial", a qual inclua um acordo de livre comércio entre as duas partes. A UE comentou que essas negociações não poderiam ter início até que progressos suficientes tenham sido feitos em três questões iniciais: quanto o Reino Unido irá pagar por seus compromissos pendentes com o bloco; sobre os controles de segurança e os direitos aduaneiros na fronteira irlandesa; e sobre os direitos de 3 milhões de cidadãos da UE que vivem em solo britânico.

A secretaria britânica para o Brexit afirmou que o Reino Unido deseja mostrar que o progresso nas questões preliminares foi feito e que "estamos prontos para ampliar as negociações" durante a cúpula da UE, em outubro. O secretário britânico para o Brexit, David Davis, disse que "com o tempo, precisamos continuar negociando as maiores questões em torno da nossa futura parceria para assegurar um acordo que ofereça um Reino Unido forte e uma UE forte".

O impulso vem depois que funcionários da UE expressaram impaciência com o ritmo do Reino Unido durante as negociações. O principal negociador do bloco europeu, Michel Barnier, apontou, no mês passado, que os britânicos deveriam ir mais preparados e com mais detalhes para a mesa de negociações. Na próxima semana, está marcada uma nova rodada de conversas entre Barnier e Davis. Fonte: Associated Press.