Participamos do

Estratégia temerária, com trocadilho

01:30 | Jun. 28, 2017
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Guálter George, editor-executivo de Conjuntura


Há desespero no discurso de Michel Temer, por mais que seu esforço seja o de demonstrar tranquilidade diante do quadro dramático que o acossa. O pálido apoio político-parlamentar observado no evento de ontem do Palácio do Planalto, na quantidade e na qualidade, talvez se baste, como imagem, para expressar o tamanho do desgaste imposto ao presidente da República pela inédita e contundente denúncia apresentada contra ele pelo Ministério Público Federal. Como defesa, restou-lhe o ataque, cujo uso exige uma inteligência ausente de um discurso marcado por acusações vazias, ilações irresponsáveis, até, e pouco esforço de esclarecer a sociedade em relação aos fatos graves apontados na acusação. O Brasil sangrará mais algum tempo, infelizmente, como vítima de um governo moribundo e de um governante que, a essa altura, tem sua agenda totalmente tomada por um esforço de sobrevivência pessoal que somente objetiva estender um pouco mais seu tempo no poder.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente