Participamos do

Manifestação pede eleições diretas

01:30 | Mai. 19, 2017
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em protesto unificado com manifestações organizadas por frentes populares e centrais sindicais, cerca de três mil pessoas, segundo a organização, percorreram ruas do Centro e do bairro Benfica, na capital cearense, para protestar contra a permanência do presidente Michel Temer (PMDB) e pedir eleições diretas para o cargo.


A manifestação começou a se concentrar na Praça Clóvis Beviláqua – conhecida como Praça da Bandeira –, no Centro de Fortaleza, às 16 horas. Percorrendo a rua Senador Pompeu e, em seguida, a avenida 13 de Maio, o ato fez parada no cruzamento com a avenida da Universidade, onde os carros de som se uniram com palavras de ordem contra o presidente Temer. “Ou Temer renuncia ou paramos o Brasil”, puxou o coro Will Pereira, presidente da Central Única dos Trabalhadores do Ceará (CUT-CE).


Segundo Will, as manifestações são “importantes para reforçar a tese de que Temer renuncie”, apesar de afirmar já ter esperado que o presidente não
renunciasse ontem, visto que “a denúncia é muito recente”.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A ideia, continua Will, é também “trabalhar a tese de novas eleições gerais no nosso País” – proposta que foi estampada em diversas faixas e cartazes da manifestação. “A população tem o direito de participar do processo eleitoral geral muito democrático e direto”, disse.


O número de três mil pessoas é “muito positivo”, segundo integrante da coordenação da Intersindical, Técio Nunes, visto que “tudo foi programado e mobilizado em menos de 24 horas”.


“O objetivo aqui é mobilizar a força popular pra tirar o Temer de forma imediata. Tem que ser tirado à força por pressão popular. É preciso encontrar um mecanismo. Não podemos ter o primeiro presidente da história denunciado por corrupção, com áudios”, afirmou Técio.


Ao final, o ato se concentrou na Praça da Gentilândia, no bairro Benfica, às 19 horas. (Daniel Duarte)

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente