PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Manifestantes estão de volta às ruas do País

Várias capitais do País reuniram movimentos que pediam a saída do presidente Michel Temer do cargo e a realização de eleições diretas. Outros atos estão marcados para o próximo domingo

01:30 | 19/05/2017
Manifestantes se reuniram ontem em Fortaleza para protestar contra o governo Temer e pedir eleições diretas FOTOS MATEUS DANTAS
Manifestantes se reuniram ontem em Fortaleza para protestar contra o governo Temer e pedir eleições diretas FOTOS MATEUS DANTAS

O dia que aprofundou a maior crise do governo de Michel Temer (PMDB) reuniu protestos nas principais capitais do País. Numericamente, a mobilização ainda é pouco expressiva se comparada aos movimentos que pediam o impeachment de Dilma Rousseff (PT), mas a tendência é que cresça nos próximos dias com a promessa de intensificação da instabilidade. Movimentos de esquerda e de direita já marcaram atos para o próximo domingo.

Pelo menos metade das capitais do País foi palco das mobilizações. Além de Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Natal, João Pessoa, Manaus e Aracaju.

A maioria aconteceu a partir das 17 horas, pouco depois de Temer anunciar, em rede nacional, que não renunciaria ao cargo de presidente.

Com o levantamento do sigilo das delações e a divulgação das gravações pelos veículos de comunicação, os movimentos ganharam mais força durante a noite.

O maior número de pessoas reuniu-se no Rio e em São Paulo. Na capital carioca, organizadores dizem que ato levou até 50 mil pessoas à ruas, mas o número não foi confirmado pela Polícia. O protesto na cidade, que começou pacífico, terminou em confusão.

Em São Paulo, cidade que tradicionalmente agrupa mais pessoas em manifestações, não há estimativa de participantes. Eles ocuparam uma das faixas da avenida Paulista em frente ao prédio do Masp. Em Brasília, manifestantes marcharam da rodoviária do Plano Piloto à Praça dos Três Poderes. Já em Fortaleza, ato reuniu cerca de 1.500 pessoas, que se concentraram na Praça Clóvis Beviláqua, no Centro, e seguiram até a Praça da Gentilândia, no Benfica.

Vestidos na sua maioria de vermelho, os manifestantes pediam a saída do presidente do cargo e a realização de eleições diretas. No geral, os protestos de ontem foram organizados por grupos de esquerda, mas nem todos levantaram a voz para defender Lula, réu em cinco inquéritos na Lava Jato.

Nova convocação

Movimentos de lados opostos convocam protestos para o próximo domingo em todo o País. O Vem Pra Rua, que pediu o impeachment de Dilma, e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, contrárias à sua queda, devem protestar lado a lado na avenida Paulista, em São Paulo. Não deve haver, porém, ato unificado. Em Fortaleza, até o momento, a manifestação está sendo marcada por movimentos de esquerda. (colaborou Daniel Duarte)

SAIBA MAIS

Evento no Facebook intitulado “Fora Temer! Diretas já”, que convoca para manifestações no próximo domingo, 21, já tem mais de mil confirmações. O evento é organizado pela Frente Brasil Popular, União Nacional dos Estudantes (UNE) e Levante Nacional da Juventude. Os grupos de esquerda já marcaram manifestações em São Paulo, a partir das 19 horas, no Masp; em Brasília, às 17 horas, na rodoviária do Plano Piloto e no Museu Nacional; e no Rio de Janeiro, às 17 horas, na Igreja da Candelária. Os atos em outras capitais ainda não estão marcados nem os dos movimentos de direita.

A Central Única dos Trabalhadores do Ceará (CUT), junto com as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, também irá realizar ainda no próximo domingo manifestação contra Temer. A concentração terá início às 15 horas, na Estátua de Iracema Guardiã, na avenida Beira Mar, Praia de Iracema.

 

LETíCIA ALVES