PUBLICIDADE
Notícias

"Tudo que eu faço é por Deus", diz Luciana Dummar, em homenagem no FVA

A presidente do Grupo de Comunicação O POVO recebeu rosas brancas, na manhã de ontem, no último dia do Festival Vida & Arte. Emocionada, Luciana atribuiu a Deus como principal motivador do trabalho que realiza

16:17 | 24/06/2018
NULL
NULL

[FOTO1]

No meio de uma oração destinada à Nossa Senhora da Assunção, presidida pelo padre Francisco Sales, dentro da programação do Festival Vida & Arte, os colaboradores do Grupo de Comunicação O POVO organizaram uma homenagem. A surpresa, destinada à presidente da Casa, Luciana Dummar, pela dedicação e empenho aos funcionários e ao jornal, contou com a ajuda de 20 crianças vestidas como anjos. Em fila, cada um dos meninos e meninas entregaram rosas brancas nas mãos da gestora. Em seguida, foi a vez dos empregados oferecerem as flores. Luciana recebia e abraçava cada funcionário e, emocionada, disse que tudo que fazia era com a força de Deus.

 

“Sou muito grata a vocês, meus amigos, que acreditam na justiça e no amor. Por isso, fazem dessa Casa, lá na Aguanambi 282, a segunda casa de vocês”, conta ela, vestida de branco, do palco Belchior. Enquanto recebia as rosas, o padre puxava músicas de louvor à nossa senhora. Muitos dos funcionários do jornal ficaram emocionados. Até que, um dos últimos a entregar a flor, o filho, o administrador André Filipe Dummar deixou a mãe com lágrimas nos olhos. “Coração de mãe, assim como o coração de Nossa Senhora, tem amor infinito”, diz.

 

A homenagem foi acompanhada pelo sanfoneiro Kayro Oliveira. No alto de seus 10 anos, ex-integrante do The Voice Kids, o menino puxou, ao som da sanfona, Ave Maria Sertaneja, de Luiz Gonzaga. Neste momento, Luciana Dummar subiu ao palco e colocou, beijando os pés de Nossa Senhora da Assunção, cada uma das rosas recebidas. “Deve ser sempre pra Deus e pra ela a nossa gratidão”, confirma. No abraço com o jornalista Ivonilo Praciano, da coluna Muito Prazer, eles arriscaram uns passos de forró. Solange Aquino passou metade dos 50 anos de vida trabalhando no O POVO. Gerente de negócios no Ceará do jornal, a funcionária diz, muito emocionada, que os melhores momentos da vida foram ali, na sede da empresa. “A minha história de Mundo é O POVO”, finaliza.

TAGS