PUBLICIDADE
Notícias

Projeto "Por um mundo mais amoroso" é destaque no quarto dia do Festival Vida&Arte

12:58 | 24/06/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
O amor como base para o desenvolvimento de crianças em situação de vulnerabilidade. Essa é a proposta do projeto "Por um mundo mais amoroso", apresentado na manhã deste domingo, 24, no quarto dia do Festival Vida&Arte. A ação filantrópica e multidisciplinar é desenvolvida desde 2017 na Escola Clara de Assis (que integra o Lar de Clara), em Iparana, Caucaia, atendendo 385 crianças de 2 a 7 anos de idade, 55 idosos, além de gestantes, jovens e adultos pais das crianças. 

Os 19 professores que desenvolvem as atividades têm como objetivo principal promover os princípios éticos de autonomia, responsabilidade, sociabilidade e respeito ao bem comum, sempre atentos à realidade de cada estudante atendido. "Vamos em busca da vivência dessa criança, com o que ela tem contato: a praia, o mangue, respeitando a singularidade de cada um", destaca a professora Juliana Lima. Desta forma, ressalta ela, é possível construir sentimentos de amorosidade entre as pessoas e com o mundo. "Precisamos compreender a importância do amor. Não só o amor ao próximo, mas o amor próprio. Se reconhecer e também trabalhar os sentimentos negativos que podem interferir na vida dessas crianças", complementa. 

Cada etapa do processo de ensino-aprendizagem possui dinâmicas específicas. No Infantil II, por exemplo, para falar de afetividade foi preciso ter a compreensão que o brincar é inerente a infância e precisa ser vivenciado e ensinado, assim como o amor. Segundo a professora Kerbene Veloso, isso acontece com atividades que tentam integrar as crianças e a natureza, "valorizando as diferentes flores, os pássaros. Convidamos todos a conhecerem a exuberância da nossa fauna e da nossa flora". 

Já no Infantil III, é trabalhada a autonomia das crianças, que começa com o autoconhecimento por meio da escrita e de atividades lúdicas, valorizando a cultura e o fazer de muitos pais e responsáveis dos alunos. "Nas brincadeiras eles aprendem, constroem laços de amizade, se sociabilizam melhor para desenvolver a afetividade e o amor". 

É também preocupação do projeto atingir as famílias dos estudantes, para que o trabalho educacional aconteça também dentro de casa e não haja prejuízos para o crescimento das crianças. Assim surgiu a "Ciranda de Valores", livro com conteúdo que estimule o respeito e afetividade para além dos muros da escola. 

A arte também é meio para estimular os bons sentimentos nas pessoas atendidas, explorando quadros de Romero Brito como o "Abraço". "Fizemos uma releitura da obra, em que as crianças poderiam escolher as cores que achassem melhor¨. Foi realizada ainda uma "revoada de pipas", cada um levando bons sentimentos para o céu. 

No Infantil IV e V, o cuidado com o outro é a meta principal. Primeiro as crianças devem cuidar de um bichinho de pelúcia, para depois se responsabilizarem por animais de verdade, como um cachorrinho. Já no 1º ano do ensino fundamental, o respeito às diferenças é a prioridade. "Não existe uma criança ou um ser humano igual ao outro. Dentro das diferenças, somos todos iguais. Conversamos com os pais, levamos bonecos diferentes, sem um braço, por exemplo, com os olhinhos puxados, e assim conseguimos atingir também o cognitivo da criança", explica a professora Paloma Caliope. Ela conta que os resultados foram surpreendentes, na interação e na ajuda entre os alunos. "Eles passaram a mediar os próprios conflitos, algo extraordinário", comemora. 

Neste ano de 2018, o "Por um mundo mais amoroso" sofreu algumas adaptações, mas conseguiu seguir adiante. "Trouxemos novas propostas, porque o amor é infinito, sempre em construção com as crianças", sublinha Paloma.
 
Redação O POVO Online 
TAGS