PUBLICIDADE
Exposições e Cursos
Duas décadas

Unindo design e sustentabilidade, Casa Cor acontece até 23 de outubro

Nova edição da Casa Cor Ceará abre as portas hoje em composição de ambientes que reúnem modernidade, design ecológico e sustentabilidade

10:18 | 13/09/2018
Foto: Esdras Guimaraes/Divulgação

No número 950 da rua Visconde de Mauá, tijolos, paredes e concreto têm muita história pra contar. Do modernismo de Gil Borsoi ao verde tropical de Burle Marx, uma construção dos anos 1950 assume, em meio aos excessos da vida contemporânea, um novo sentido para o morar. Nela, modernidade, natureza e as pessoas interagem com equilíbrio e dinamicidade. No coração da Aldeota, o imóvel recebe a vigésima edição da Casa Cor Ceará, que tem início hoje e segue até o dia 23 de outubro em Fortaleza.

Nesta edição, 54 ambientes ocupam a mostra. Projetada por mais de 70 profissionais de arquitetura, decoração e paisagismo, a casa celebra as artes locais a partir da relação homem-natureza. Com o tema Casa Viva, o espaço apresenta a noção de lar como um refúgio físico, mental e espiritual. "Com ambientes aconchegantes e abundância em natureza, a casa foi pensada como um lugar onde as pessoas confraternizam e encontram seu porto seguro. É um ambiente de relações, memórias e afetos", explica Neuma Figueiredo, diretora do evento.

Neuma aponta que, em 20 anos, a Casa Cor tem investido, cada vez mais, nos espaços de convívio dos visitantes. "São praças infantis, cafés, restaurantes e muitas lojas. Também apostamos muito na música e nas artes manuais". Funcional, versátil e aconchegante, o espaço Casa Viva é um dos ambientes que interagem com o artesanato local dentro da edição comemorativa. Karine Maia, arquiteta responsável pelo espaço, conta que todo o material utilizado na loja prioriza a sustentabilidade. "Tudo foi feito em madeira de reflorestamento, materiais reciclados, e aproveitamos muito do que a casa já oferecia", explica.

Arquiteto e urbanista, Felipe Costa assina, em parceria com Elias Petruço, o Hall Entrelaço, que traz o conceito de lar associado ao de refúgio. "Buscamos tornar esse espaço o mais aconchegante e sofisticado possível, deixando o aspecto modernista da casa em segundo plano". Em tons de verde escuro, "o hall é um ambiente de recepção, que convida ao entrelaço físico e se aproxima do valor histórico da casa e sua vivência cultural", explica o arquiteto. A partir da troca de experiências, o projeto entrelaça memórias e histórias a vivências futuras.

Ao longo das últimas edições, o evento percorreu diversos imóveis da Capital, passando por patrimônios arquitetônicos da Cidade, a exemplo do Palacete Barão de Camocim. Em comemoração às duas décadas, o evento retorna ao local que o acolheu em 2009, ano do centenário de Roberto Burle Marx. O imóvel reabre suas portas reunindo modernidade, paisagismo e memória, como um lugar significativo não apenas para a história da cidade, mas também para a arquitetura nacional.

Pelo quinto ano consecutivo, o arquiteto e paisagista Ney Filho assina um dos ambientes da Casa Cor. As vivências familiares ao redor da mesa e o gosto pelas artes como herança materna resultaram na criação do espaço chamado Sala da Família, que conta com uma grande escultura de Sérvulo Esmeraldo. "Para mim, a arte não tem tempo, ela é única, se sustenta por si mesma. Sou apaixonado pela natureza e pela beleza da caatinga e isso se traduz na concepção do espaço", finaliza.

Com proposta do design ecológico, a edição comemorativa da Casa Cor explora interações entre público e os ambientes em múltiplas formas, inclusive na gastronomia. O Restaurante Le Bistrô, por exemplo, propõe ao público um contato com a natureza de forma confortável e sutil. "Nosso design se comunica com a natureza, a partir de diversos elementos espalhados dentro do ambiente, nas cores e objetos", explica Camila Claudino. A arquiteta também inseriu uma iluminação leve, dentro do jogo de luz e sombra. "Em todos esses aspectos priorizamos a arte, música e convivência, que dialoga com a proposta do evento", explica.

O espaço, que tem atmosfera minimalista, clean e integrada com a natureza, também valoriza alimentos orgânicos. Rafael Sudatti, responsável pela elaboração do menu do Le Bistrô, explica que a arquitetura do cardápio sustenta-se em cores, texturas e sabores locais. "Priorizamos insumos regionais e produtos da agricultura orgânica, valorizando as frutas abundantes no Estado como o caju e banana". Já no Café Conceito, parceira com a Le Pain Le Café, a proposta é degustar diferentes sabores ao som de uma boa música.

 

Casa Cor Ceará 2018

Quando: 13 de setembro a 23 de outubro. Terça a sábado das 17h às 22h. Domingos e feriados das 16h às 21h.

Onde: Mansão da Família J. Macedo. Rua Visconde de Mauá, 950 - Aldeota

Quanto: R$ 48 (inteira) e R$ 24 (meia)

Informações: (85)3261 3533

 

 

IVIG FREITAS