PUBLICIDADE
Exposições e Cursos
UNIFOR

Fortaleza recebe mostra sobre vida e obra de Santos Dumont

Exposição relembra a vida e os feitos de Santos Dumont, um dos mais célebres inventores brasileiros

09:19 | 02/08/2018
Foto: Divulgação

O que você sabe sobre Santos Dumont além dele ser considerado, por nós, o legítimo "Pai da Aviação"? Um brasileiro à frente de seu tempo que, dentre outros aspectos, foi designer, esportista e bon vivant, ao mesmo tempo em que sucumbiu à melancolia. Você sabia? "Quando comecei a pesquisar, sabia que Santos Dumont tinha feito outras coisas também. Mas fiquei fascinada!", confessa a jornalista Luciana Garbin, responsável pela curadoria de Santos-Dumont - Coleção Brasiliana Itaú, exposição em cartaz a partir de amanhã, 2, no Espaço Cultural Unifor, onde fica até dia 9 de dezembro.

Na sexta, 3, às 9h30min, Luciana fará uma palestra no Teatro Celina Queiroz sobre os principais destaques da mostra, que reúne mais de 500 peças relacionadas à vida e aos feitos do inventor.

"Fiquei responsável por uma parte da curadoria, que reúne peças que nunca haviam sido expostas, peças raras de Santos Dumont. Peguei todos os documentos que tinha porque a maior parte da coleção é de documentos, desde coisas de banco até certidões de patentes de projetos dele. O acervo já era do Itaú Cultural, que eles tinham comprado de um colecionador que, por sua vez, havia comprado de parentes dele. Essa exposição, completa, passou pela primeira vez em São Paulo e Fortaleza é a primeira capital do Norte/Nordeste a recebê-la", esclarece Luciana.

"A gente mostra projetos bem menos conhecidos dele, como é o caso do Conversor Marciano, que foi um invento para ajudar os alpinistas durante a escalada. Era uma espécie de mochilinha que ficava nas costas acoplada com os esquis, tal como um plexo esqueleto do século passado. Tem ainda o Canhão Paradoxal (espécie de catapulta que auxiliava no resgate ao mar), que chegou, inclusive, a salvar duas pessoas e tem a foto dele mesmo testando, é incrível!", afirma a curadora. Um chamariz também da exposição tem sido o conjunto de cartões-postais enviados à época por um - admirador, talvez? - chamado apenas de Heitor para uma moradora de Fortaleza - Hersilia Burlamaqui Freire: Rua Formosa, 59.

A partir destas e outras 'descobertas', a curadoria resolveu dividir a mostra por temas específicos. "Resolvemos seguir uma ordem temática, mas baseada na cronologia dele. Houve uma preocupação de, como havia muitos documentos, que a mostra não ficasse chata. Então a gente tentou fazer uma coisa interativa em que quando a pessoa que chega, vai fazer um check-in. Quando ela entra, há um espaço com algumas cenas e imagens da exposição numa espécie de clipe, barulho de aviões, dos modelos mais simples aos de hoje", adianta Luciana.

Aspectos da trajetória de Santos Dumont, como a ciência, o empreendedorismo e a inovação serão o destaque da mostra. "Santos Dumont era um inventor clássico! O interessante é que os inventos relacionados à aviação, os dirigíveis, ele nunca quis patentear nada. Dizia que essas invenções tinham que ter uma contribuição para a humanidade. Todas as outras, no entanto, ele patenteou. Como ele gostava muito de corrida de cachorros, criou um mecanismo que estimulava os cachorros a correrem mais", explica. "E, apesar do 14-Bis ser o invento mais conhecido dele, a Demoiselle (cuja réplica, em tamanho real, estará presente na mostra) é considerada sua obra-prima", complementa.

Batizado Alberto Santos Dumont, o brasileiro - nascido em 20 de julho de 1873 - teve como terra-natal o Sítio Cabangu, em Palmira (MG). "Seu pai era um rico fazendeiro, conhecido como o 'Rei do Café' e ele foi educado em francês. No início, assinava como Alberto Dumont, mas depois que foi para a França, passou a assinar somente como Santos Dumont para ressaltar a ascendência brasileira. Tem muito documento sobre a morte e também controvérsias. O suicídio é uma delas. Falaram que sua morte havia sido por colapso cardíaco, já que os médicos haviam identificado esclerose múltipla".

A acessibilidade à mostra será reforçada com a disponibilização de tablets adaptados, bem como livros e demais documentos em braile, recursos audiovisuais com tradução simultânea em Libras.

Mostra Santos-Dumont - Coleção Brasiliana Itaú

Quando: abertura amanhã, 2, às 19 horas, prosseguindo até o dia 9 de dezembro

Onde: Espaço Cultural Unifor (av. Washington Soares, 1321)

Visitação: das 9 às 19h (terça a sexta-feira); e das 10 às 18h (sábados e domingos)

Entrada franca

Informações: (85) 3477 3319 / www.unifor.br

Palestra da curadora

Luciana Garbin

Quando: sexta-feira, 3, às 9h30min

Onde: Teatro Celina Queiroz (Campus da Unifor)

Duração: 1h30min (aprox.)

Capacidade: 330 lugares

Entrada franca

 

TERESA MONTEIRO